28 de fev de 2011

Missionários que Retornaram do Campo São Recebidos Em Culto de Boas Vindas Na Adesal Paralela

Missionários na Base
Foram recebidos em um Culto de Boas Vindas no templo da Adesal Paralela, na terça-feira, dia 22/02, os Missionários Jair, Deny e seus filhos Vítor e Adassa (Guiné Bissau/África) e o Missionário Eduardo Menezes (Worcester/África do Sul).
Miss. Eduardo sendo apresentado pelo Pr. Dário
O culto é uma iniciativa da Semadesal (Secretaria de Missões da Adesal) que visa fazer com que o missionário se sinta amado pela igreja mantenedora e de que continua com os braços abertos para recebê-lo em seu seio.
No culto que celebrou as vitórias de Deus na vida dos missionários citados, estiveram presentes os Missionários na Base, Missionários da Jocum, Coordenadores e Secretários de Missões de várias congregações, além de irmãos e amigos dos missionários e da causa.
Jair, Deny, Vítor e Adassa (Guiné Bissau)
Pr. Dário Gomes, um dos Diretores da Secretaria, iniciou o encontro apresentando os missionários e falando do envolvimento da Igreja com missões.
Pr. Jair Barbosa, missionário em Guiné Bissau com sua esposa Deny que já tem vasta experiência em Guiné, falou dos choques culturais ilustrando alguns deles.
A igreja, Coordenadores e Secretários compareceram
Já o Miss. Eduardo falou de seu trabalho desenvolvido com crianças órfãs e vítimas do vírus HIV. Perguntado pelo Pr. Dário sobre qual momento marcou sua vida, o Miss. Eduardo respondeu que não poder falar o idioma foi um grande problema no início e ser discriminado por ser estrangeiro (Xenofobia) lhe marcou profundamente. Pr. Dário ainda lhe perguntou qual momento de seu ministério lhe causou alegria, o missionário disse que foi quando chegou no hospital de crianças com câncer fazendo apresentações com bonecos de bexiga e percebeu nos olhos daquelas crianças o brilho voltando e o sorriso se estampando em seus rostos.
Os Coordenadores e Secretários que compareceram ao evento receberam o Manual do Secretário de Missões, desenvolvido pela Semadesal, além de outros informativos. A Secretária da Semadesal Andréa Reis e as Missionárias Cláudia, Helena, Eli, e a Secretária de Missões Gilcélia da Liberdade, deram apoio na recepção e marcaram a presença dos Líderes de Missões.
O culto teve um clima de adoração a Deus pela maneira extraordinária como Deus cuidou desses mensageiros transculturais. O clamor a Deus pelas nações e pelos nossos missionários foi um momento de quebrantamento e forte presença do Senhor.
Os missionários da Jocum Salvador fizeram apresentações musicais, tocando e cantando, contagiando o ambiente com o louvor a Deus.

Fonte: Blog da Semadesal

Mais Um Trabalho da Conframadeb no Interior do Estado

Localizada às margens da BR 324 (Salvador - Jacobina), no território da Bacia do Jacuípe, a 220 Km de Salvador, Nova Fátima tem cerca de 7.602 habitantes segundo o censo de 2010 feito no município que foi coordenado pela assembleiana Dâmares. Apesar de ser uma das maiores produtoras de sisal da região, a produção é muito menor que nos anos 80 o que tem resultado na migração da população para a sede de Nova Fátima, que abriga hoje 80% da população do município, e para cidades maiores na região de Feira de Santana. Mesmo com a crise econômica que atravessa a cidade, o povo fatimense manifesta sua fé em várias igrejas espalhadas pela cidade e o terreno tem sido fértil para a pregação do Evangelho.
O Evangelista Jailton (membro da Conframadeb) que, apesar de não ter nascido em Nova Fátima, recebeu da Prefeitura o título de "Cidadão Fatimense", com a ajuda
da Assembléia de Deus Cristianismo Além das Fronteiras de Feira de Santana, Presidida pelo Pastor Josué Brandão (2º Vice Presidente da Conframadeb), inaugurou uma filial do ministério no sábado, dia 26/02.
A cerimônia de inauguração aconteceu na Praça de eventos e teve a presença de vários fiéis de várias denominações, entre elas, Assembléia de Deus Madureira, Assembléia de Deus Peniel de Gavião, Igreja Batista de Nova Fátima, além de vários Pastores e cantores que abrilhantaram a festa.
A Mesa Diretora da Conframadeb, enviou o Pr. Raimundo Campos, Presidente do CEMIC (Conselho Estadual de Missões da Conframadeb) e o Evangelista Érico Bispo, que levaram o apoio e congratulações do Presidente da Conframadeb, Pr. Israel Alves Ferreira.
A iniciativa de começar um trabalho apoiado pela Conframadeb atende ao pedido de vários irmãos assembleianos da cidade que desejam vivenciar um tempo de liberdade e do agir de Deus em suas vidas e fazer parte de uma instituição mais humana e que priorize o Reino de Deus.
Foi uma noite de grande alegria e de muito louvor. Vários obreiros de outras denominações manifestaram seu apoio ao trabalho. O Prefeito da cidade também se fez presente e participou de todo o trabalho e, ao falar, disse que a Igreja Assembléia de Deus desempenha um importante trabalho social, resgatando o cidadão de vários erros e pecados e conduzindo-o a Deus.
Durante a pregação da Palavra, o Pr. Raimundo Campos aconselhou a igreja a que tivesse o único propósito de glorificar a Deus e alertou-os para que não se preocupassem em dar respostas a quem quer que seja, mas cumprir o propósito para o qual o Corpo de Cristo existe.
Após a mensagem o Pr. Raimundo falou em nome da Mesa Diretora da Conframadeb, na pessoa de seu Presidente, Pr. Israel Alves Ferreira e deu por iniciadas oficialmente as atividades da Assembléia de Deus Cristianismo Além das Fronteiras em Nova Fátima e orou pelo Prefeito e pelo Pr. Jailton, Líder da Igreja.
O culto foi encerrado num clima de alegria e comunhão.

22 de fev de 2011

Queda de Ditadores: Porta Aberta para o Evangelho?

Totalitarismo

O termo foi primeiramente cunhado pelo filósofo Giovanni Amendola, que definiu o regime totalitário enquanto auge de um processo onde um indivíduo ou partido político passa a controlar o Estado. No entanto, o totalitarismo também pode ser definido por meio de uma relação com a sociedade onde os indivíduos têm suas vidas intimamente controladas pelo governo.
Este controle acontece nas esferas política, econômica e religiosa. A maioria dos regimes totalitaristas vê na religião uma ameaça ao seu discurso e usam fora de contexto a expressão de Karl Max que dizia que "a religião é o ópio do povo" .
No regime totalitarista não há espaço para opinião e expressão. Qualquer manifestação que demonstre discordância com o regime é considerada oposição que deve ser erradicada imediatamente.

A atuação de Deus
Independente dos pensamentos filosóficos ou das ideologias dos ditadores que já fizeram história, a Bíblia diz que Deus é o Senhor de toda terra e Ele está acima dos soberanos, governos, ditaduras, etc. Ele é o Senhor de toda a terra. Nabucodonozor pensava que era a razão da existência de seu império e teve que humilhar-se diante do Senhor e reconhecer que Ele é o único que reina com efeito.
"Mas ao fim daqueles dias eu, Nabucodonosor, levantei os meus olhos ao céu, e tornou-me a vir o entendimento, e eu bendisse o Altíssimo, e louvei e glorifiquei ao que vive para sempre, cujo domínio é um domínio sempiterno, e cujo reino é de geração em geração. Agora, pois, eu, Nabucodonosor, louvo, exalço e glorifico ao Rei do céu; porque todas as suas obras são verdade, e os seus caminhos juízo, e pode humilhar aos que andam na soberba." (Daniel 4:34,37)
Basta uma consulta ao Portal de Portas Abertas para conhecer os países de regime totalitaristas e perceber como a Igreja de Cristo subsiste sob a ditadura do totalitarismo (sem querer ser redundante). Os esforços de igrejas e agências missionárias para penetrar em tais países tem sido frustrados ao longo de anos, podendo apenas, sob orientação do Espírito Santo, usar das inúmeras estratégias revelada por este à sua Igreja.
Grandes acontecimentos
Fenômenos naturais

Grandes contecimentos de repercursão internacional tem sido usado por Deus para que sua Palavra chegue aos milhares mergulhados em trevas nestes países. O tsunami de 26 de desembro de 2004, que castigou a Ásia e a costa leste da África e causou a morte de cerca de 280.000 pessoas, é um grande exemplo. Depois disto, países que nunca da Ásia totalmente fechados para a presença de Pastores e Missionários, abriram suas portas para eles na qualidade de profissionais da saúde, socorristas, bombeiros, educadores, entre outros. O mesmo ocorreu em outubro de 2010, quando pelo menos 40 pessoas morreram e 380 ficaram desaparecidas após um tsunami ter atingido várias ilhas na Indonésia e ter destruído 10 povoados.
Queda de Ditadores.
Agora é a vez de ditadores testemunharem o fim de seus impérios. Os casos mais recentes são os do Egito e Líbia. "Após 18 dias de intensos e violentos protestos que tomaram diversas cidades do Egito, o ditador Hosni Mubarak, 82, renunciou ao poder depois de comandar uma ditadura com mão de ferro durante 30 anos." (Folha.Com)
Já na Líbia "o líder líbio, Muamar Khadafi, afirmou nesta terça-feira no segundo pronunciamento em menos de 24h que não deixará a Líbia nem que isso represente a sua própria morte." (Msn Notícias)
Na Líbia, "o cristianismo foi praticamente eliminado e, atualmente, há apenas alguns milhares de cristãos líbios, a maioria constituída de trabalhadores estrangeiros.
Nenhuma forma de evangelismo ou trabalho missionário é permitida. Apenas os estrangeiros podem se reunir, contudo, eles são monitorados. Assim, os líbios não participam desses cultos por medo de serem vigiados, delatados, presos e até mesmo assassinados." (Portas Abertas)
Apesar do processo ser lento para que as portas se abram para o Evangelho, a Igreja de Cristo deve ficar atenta e observar as oportunidades que venham surgir.
Portanto é necessário que o Corpo de Cristo mantenha-se preparado e treinando constantemente seus obreiros, pois as postas estão se abrindo, é só ficar atento.

19 de fev de 2011

A Verdade Sobre os Ateus de Nova Ibiá no Sul da Bahia

ONDE FORAM PARAR OS ATEUS DE NOVA IBIÁ


SEM PADRE
Sem a presença do padre, católicos fazem a leitura da Bíblia: convite para recrutar mais fiéis

No caminho para Nova Ibiá, a cidade baiana onde 60% da população diz não ter nenhuma religião, há uma igreja abandonada. Cercada por um mato alto e paredes descascando, a Igreja Nossa Senhora de Lourdes, onde se celebrava uma missa mensal, não abre mais as portas. Lília Lisboa, que cuidava do prédio, mudou-se para Salvador e ninguém se interessou em tomar conta do templo. Quinze quilômetros à frente, já no centro de Nova Ibiá, diante da praça central, fica a modesta Igreja de São José, o principal templo católico do vilarejo. Ali, numa noite de segunda-feira, dezoito pessoas escutavam a leitura da Bíblia sob a luz tênue de uma vela grande e oito velas pequenas. Não havia padre no altar. A leitura da Bíblia era feita por uma beata, sentada no primeiro banco de madeira. À entrada da igreja, um cartaz conclamava: "Toda a igreja está feliz com sua vinda. Quando voltar, traga um convidado".

Apresentada assim, com igreja abandonada e campanha de recrutamento de fiéis, Nova Ibiá parece fazer jus à fama de a cidade mais atéia do Brasil. Mas há algo que não se encaixa. Tudo em Nova Ibiá recende a religião. O município não tem agência bancária, médico, hospital nem juiz, mas tem três lan houses – e nada menos que doze igrejas. São três católicas e nove templos evangélicos, além de um terreiro de candomblé. "Também", diz o prefeito, José Murilo de Souza, "é mais fácil abrir uma igreja do que um comércio." Na Igreja de São José, cujo santo é o padroeiro do povoado, as missas de domingo reúnem 150 fiéis. Dobrando a esquina, a Igreja Batista de Nova Ibiá, fundada em 1908, recebe 400 pessoas nos dias mais concorridos – uma enormidade para um vilarejo de 7 000 habitantes. O altar é um móvel de compensado, custou 180 reais logo ali, na Paloma Móveis, mas o sistema de som, para não perder um único aleluia, é coisa de 25 000 reais. "Aqui, ou é crente ou é católico", diz o bispo Raimundo Santana, negro corpulento de 51 anos, casado, quatro filhos, todos batistas e um já missionário, que há 28 anos comanda a Igreja Batista de Nova Ibiá.


COM O BISPO
O bispo Raimundo, em seu templo: o altar é de compensado, custou 180 reais, mas o som é de primeira

Onde estão os ateus, os agnósticos, os sem-religião de Nova Ibiá? Há algo que não se encaixa. Em 1991, o censo do IBGE descobriu que havia 6,35% de pessoas sem religião na cidadezinha e que 83,35% da população dizia ser católica. Em 2000, no novo censo, a realidade havia virado de ponta-cabeça: 59,85% afirmavam não ter religião e apenas 16,02% diziam-se católicos. Tamanha mudança só se justificaria com uma rebelião de católicos, mas ninguém tem notícia de um movimento dessa natureza. Ao contrário. Até fevereiro do ano passado, o padre não morava em Nova Ibiá. Ia à cidade de vez em quando, para celebrar a missa, e partia. Agora, o padre Albervan da Silva Cruz mora na cidade e reza muita missa. Na Igreja Matriz, há missa no domingo, na terça, na primeira sexta de cada mês e, de quinze em quinze dias, no sábado. Na Igreja de São Roque, a missa é na quinta. Na Igreja de São Francisco, na zona rural, a missa é rezada duas vezes por mês, sempre aos domingos. Aos 30 anos, o padre Albervan é o primeiro pároco de Nova Ibiá, e Nova Ibiá é a primeira paróquia do padre Albervan. Ali, ele já fez dez casamentos e dá aula de filosofia para quinze turmas da 5ª à 8ª série da escola pública local.

O cenário religioso de Nova Ibiá é um retrato em miniatura da realidade brasileira: os evangélicos crescem, enquanto os católicos lutam para que seu rebanho não se disperse – ainda assim, a queda vertiginosa de 83,35% para 16,02% de católicos em nove anos é inexplicável. O padre, rival dos evangélicos, tem uma explicação conspiratória. Diz que ouviu falar que os pesquisadores do IBGE eram protestantes e, quando um católico dizia ser católico, mas não praticante, eles cravavam "sem religião" por conta própria. "Não sei se é verdade", afirma. É improbabilíssimo que seja, mas é certo que os evangélicos estão ganhando terreno. De 1991 para 2000, saltaram de 9,69% para 23,65%. O pulo, conforme o bispo Raimundo Santana, deu-se em 1998, quando a Igreja Batista resolveu "renovar-se", ou seja, passou a acreditar em dons espirituais e curas divinas. "Eu mesmo não acreditava, mas hoje acredito", diz ele. "Depois da renovação, a igreja cresceu muito." De dízimo, ela recolhe entre 3 000 e 4 000 reais mensais.



O comerciante Idevaldo Prazeres da Silva, de 50 anos, é um dos convertidos. Era católico, há nove anos virou evangélico, tem um irmão pastor e está lendo a Bíblia pela quarta vez. Veste uma camiseta na qual se lê: "Em Deus tenho posto minha confiança". Da loja de material de construção de Idevaldo da Silva, sobe-se uma ladeira para chegar à casa do único ateu identificado de Nova Ibiá. Ateu? Não, ele diz que não, que é católico há anos e perdeu a conta do tempo que freqüenta a igreja. Com a barba por fazer, mãos levemente trêmulas, o ateu enrustido – ou o católico caluniado – diz que só conhece gente de fé em Nova Ibiá. O bispo Raimundo Santana, com sua experiência de quase três décadas pregando, garante que há outros dois ateus no vilarejo, mas não os identifica. Porque um está indo a um centro espírita e abandonando o ateísmo. O outro está dando os primeiros passos para aderir à igreja do bispo. Ele não quer estragar essa peregrinação rumo à fé revelando quem são. Acredita que em breve Nova Ibiá não terá nem ateus nem materialistas – e explica, com sua metafísica peculiar, a diferença entre um e outro: "Ateu não acredita em nada, materialista só acredita no que pega e vê".

Fonte: http://www.forum.clickgratis.com.br/tjlivres/t-2160.html

Pesquisa Revela que a Igreja Evangélica Brasileira Precisa Fazer Missões.

Veja estes dados do censo do IBGE do ano de 2000. É grande mais vale apena ser lido, é surpreendente. Os dados do Censo de 2000 listou 5560 muncípios, mostrando que existem 71 cidades com menos de 1% de evangélicos. A Região Nordeste do Brasil está muito atrás do restante do Brasil em termos de presença evangélica. A média de presença evangélica dentre a população em todas as regiões do país é de 15,41%. No Nordeste, essa média cai para 10,26%. Enquanto que 12 estados brasileiros apresentam taxas acima de 20%, o Nordeste não há nenhum estado com mais de 15% de evangélicos em sua população. E pior. Em 6 estados nordestinos a população de Evangélicos está abaixo de 10%: Alagoas, Ceará, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe. Desses seis estados, Paraíba é o que possui a maior concentração de cidades com menos de 5% de evangélicos. Alagoas fica com o lamentável índice de estado com a maior concentração de cidades com menos de 1% de evangélicos. Já o estado do Piauí é o que possui a população com o mais baixo percentual de evangélicos do país. A capital baiana – Salvador – cidade nacionalmente conhecida pelo grande número de adeptos da Umbanda e do Candomblé, só aparece na 172ª posição da lista.Em 11 cidades brasileiras, o índice de evangélicos é “zero”, ou seja, o censo do IBGE não contabilizou nenhum único evangélico.O Rio Grande do Sul é o estado onde se concentra o maior número de cidades com índice “zero” de evangélicos – 9 cidades ao todo. As 11 cidades sem nenhuma presença evangélica são: Queluzito (MG), Carrapateira (Pb), Boa Vista do Sul (R.G. do Sul), Nova Alvorada (R. G. do Sul), Nova Roma do Sul (R.G. do Sul), Protásio Alves (R. G. do Sul), Relvado (R. G. do Sul), Santo Antônio do Palma (R. G. do Sul), São Jorge (R. G. do Sul), União da Serra (R. G. do Sul), Vespasiano Correa (R. G. do Sul). Essas cidades merecem a atenção da Igreja brasileira. A Região Sul também possui a menor taxa de crescimento anual de evangélicos em todo o país. Entre as 20 cidades brasileiras com maiores índices de seguidores da Umbanda e Candomblé, 16 estão no Rio Grande do Sul e 4 delas aparecem no topo da lista: Rio Grande, Dezesseis de Novembro, Viamão e Bagé. Nova Ibiá, na Bahia, com 7.166 moradores destaca-se como a cidade com o maior percentual de habitantes “sem religião”. Em todo o Brasil 12,5 milhões de pessoas declararam-se sem religião. Esse índice é tão alto que só não ultrapassa o número de católicos e evangélicos. Se somarmos os números de seguidores de todas as religiões – não incluindo católicos e nem evangélicos – o valor dos que se declararam “sem religião” chega a ser mais do que o dobro do número de adeptos de todas as religiões somadas.

Fonte: Igreja Batista Peniel

18 de fev de 2011

O Amadorismo Reinante em Nossa Liturgia

E era o número deles, juntamente com seus irmãos instruídos no canto ao SENHOR, todos eles mestres, duzentos e oitenta e oito. (I Crônicas 25:7)

Basta um breve olhar em todos os textos do Antigo Testamento onde o assunto é culto a Deus, que se percebe logo uma preocupação no esmero e busca pela perfeição na liturgia.
Alguém poderá perguntar: então você acha que a liturgia deve ser conduzida por profissionais?
Quando falo de amadorismo, não estou com isto defendendo o profissionalismo, pois o mesmo "é a atividade duma pessoa que faz alguma coisa por ofício". Logo, nem sempre profissionalismo é sinônimo de perfeição. Por isso mesmo a perfeição nem sempre está presente nos trabalhos de alguns profissionais.
O profissional pode fazer algo com perfeição, mas nem sempre a perfeição será característica da obra de um profissional.
Gosto da palavra "esmero", pois ela tem haver com "cuidado máximo em fazer perfeito", "usar todos os meios (lícitos) para a excelência".
Davi, conhecendo a grandeza de Deus, buscava cultuar a Deus com esmero, insistia em apresentar o melhor, de tal maneira que se pode perceber nos episódios de adoração da vida de Davi, o zelo pela excelencia.
A Bíblia mostra o que Davi pensava sobre as coisas apresentadas a Deus. A casa de Deus, por exemplo, deveria ser "magnífica em excelência" (1 Cr. 22:5), e construída por "toda sorte de peritos em toda espécie de obra" (1 Cr. 22:15). Apesar de em alguns casos Davi contar com voluntários, esses estavam meticulosamente organizados (1Cr. 23:2-32).
A função dos levitas músicos era assunto bem definido para Davi. Neste quesito, os levitas deveriam ser devidamente instruídos e mestres em música (1 Cr. 25:7), além disso, eram homens preparados para serem liderados (1 Cr. 25:6a). Para ele o cântico a Deus deveria ser com alegria (1 Cr. 15:16), ele tinha um especialista em canto, que ensinava a "entoar" (1 Cr. 15:22,27).
Davi deixou tudo tão bem organizado que a excelencia na apresentação do louvor a Deus refletiu no reinado do seu descendente Ezequias em 2 Cr. 29:27,28 onde mostra a sincronia entre o holocausto e o "canto do Senhor".
Davi deixou uma lei tão bem elaborada para a família sacerdotal, destacando-se aí os levitas, que muitos anos depois, estes não precisaram em tempo de crise abandonar seu ministério do louvor, porque os demais levitas eram responsáveis por prover o sustento deles (2 Cr. 35:15).
Temos copiado tantas coisas da Bíblia, pregamos fervorosamente sobre algumas delas, como os dízimos por exemplo, e ignoramos algo tão relevante na Palavra de Deus que é o esmero em servir a Deus cultuando-o.
Nossos cultos tem um amadorismo que não é visto nem em apresentações mundanas. O ministério do louvor na maioria das igrejas ficou relegado a algumas pessoas de quem não se cobra e não se dá nada.
Eu observei que em 1 Cr. 25:1, o louvor é visto por Davi como um ministério e o texto usa a expressão "separou", isto é, consagrou, ungiu. Veja com que seriedade o culto era visto por Davi. Alguns dos levitas eram profetas e profetizavam enquanto entoavam seus cânticos através de seus instrumentos, veja o exemplo de 1 Cr. 25: 3. Certa vez Eliseu se sentiu inspirado em trazer uma Palavra para Josafá depois de ouvir uma canção por um harpista, algumas versões dizem "músico", outras, "tangedor" (2 Re. 3:15).
Desde a separação do levita até à sua apresentação na casa do Senhor, seja tocando ou cantando, havia um esforço por fazer tudo com excelência e isto era levado tão a sério por Deus que ele respondia usando estes homens com palavras proféticas.
Nosso desprezo por prestar a Deus o excelente, priva-nos da oportunidade de ver Deus fazer maravilhas em nosso meio.
Sem medo de errar posso afirmar, que nós, os pentecostais somos os que mais pecamos neste quesito. Valorizamos tanto o aspecto espiritual que cometemos grotescos erros em nossa liturgia. Nossos ensaios são mais para sabermos o que iremos fazer, mas não tomamos cuidado em fazer com perfeição. Temos a infeliz idéia de que, porque Deus é misericordioso, Ele aceitará qualquer coisa de nós! Contemplamos sua misericórdia e desprezamos sua magnificência e poder! O tratamos como o amigo que releva tudo e sequer procuramos saber se Ele está satisfeito.
Tenho visto apresentações na igreja que é de doer os ouvidos e deixar a alma doente. Hinos desentoados, peças mal ensaiadas, luz que nunca acende na hora certa, cd que nunca toca no tempo certo, instrumentos que ficam sempre mais altos que as vozes dos solistas (santa paciência), e temos a cara-de-pau de dizer que é para glória de Deus!!!!
Uma das definições do amadorismo é "condição daquele que não tem zelo" ou "quando se faz algo por prazer ou distração". É este tipo de amadorismo reinante em nossa liturgia.

O SENHOR reina; está vestido de majestade. O SENHOR se revestiu e cingiu de poder; o mundo também está firmado, e não poderá vacilar. (Salmos 93:1)




Projetos nos Planos de Deus e Relacionamento Semadesal X Missionários

Estes foram os principais assuntos na pauta da Primeira Reunião dos Missionários na Base de 2011 da Adesal.


A reunião privativa aos Missionários na Base da Adesal, foi realizada no 1º andar da Adesal Liberdade nesta quinta-feira, dia 17/02, e foi dirigida pelo Pr. Dário Gomes, Diretor da Semadesal (Secretaria de Missões da Assembléia de Deus em Salvador). Estiveram presentes os Missionários Lucson e Iraildes (Haiti), Cláudia Oliveira (Projeto Índia), Eli Rosângela (Auxiliar de Ministérios Trancuslturais), Maria Helena (Projeto Guiné Bissau), Taciano e Ednalva (Jocum Salvador), Jair e Deny (Guiné Bissau), Eduardo Menezes (África do Sul) e o Pr. Raimundo Campos, Secretário de Comunicação da Semadesal.
Pastor Dário começou a reunião falando da necessidade do missionário levar em consideração o plano de Deus para sua vida independente de seus projetos para o campo, mesmo sendo ele fruto das melhores intenções. Um grande projeto pode naufragar se não tiver a aprovação de Deus, enquanto que a obediência ao plano de Deus pode fazer surgir grandes projetos que culminarão na salvação de vidas e cumprimento de seu propósito.
Além deste tema, estava na pauta da reunião assuntos como:
Miss. Deny: "conscientizar a Igreja é preciso"
  • A importãncia da Semadesal na vida dos missionários: neste tópico o Pr. Dário solicitou dos missionários que lembrassem de divulgar o trabalho da Semadesal em favor dos missionários a fim de que a Secretaria obtenha cada vez mais o apoio da Igreja;
  • Envolvimento do Missionário na Base com as atividades da Semadesal, sendo ele uma mão-de-obra nas atividades diárias da Secretaria;
  • Ética no relacionamento com a Semadesal: a Secretaria estará sempre à disposição do missionário ajudando-o em suas dificuldades diárias, todavia, este deverá fazer sua parte de levar em consideração a ética e o relacionamento cristão e fraternal com a Secretaria;
  • Despesas com o missionário na Base: a maioria dos Missionários na Base já estiveram no campo, portanto, devem lembrar que a Secretaria prioriza os tais em momentos de socorro e ajuda. Isto se dá porque o missionário na base geralmente está perto da família, diferente daquele que está no campo;
  • Relatórios: os missionários devem manter a Secretaria e a Igreja informadas de suas atividades periodicamente.
Além destes e outros assuntos, a reunião foi uma oportunidade em que todos os missionários puderam compartilhar de suas dúvidas e fazer elogios e críticas. A Missionária Iraildes, por exemplo, agradeceu à Semadesal o apoio que esta lhe deu quando do seu retorno ao Haiti pós terremoto, enviando com ela a Miss. Maria Helena. Segundo ela, aquele foi um momento importante em sua vida em que era importante a presença de alguém que lhe auxiliasse na reentrada de um país que está devastado. Iraildes elogiou o caráter e trabalho da Miss. Helena que lhe foi como filha e ajudadora, sempre servindo com zelo nas escolas e na igreja do Haiti.
Miss. Cláudia: "este encontro deve acontecer com mais frequencia"
A Miss. Deny lembrou que a Semadesal deve conscientizar a Igreja de que o missionário é um ser humano normal que também precisa de descanso e férias para repor as energias, já que ela tem ouvido de muitos crentes que "é um absurdo um missionário retornar ao seu país para descansar, e que lugar de missionário é no campo".
Entre um assunto e outro, um clima descontraído e proveitoso marcou este primeiro encontro da Semadesal com seus missionários. A Miss. Cláudia falou que este momento deve sempre ser renovado e que isto só fortifica a relação Semadesal X Missionários.
Pr. Dário enfatizou durante a reunião que a Semadesal é uma família e que a Secretaria deseja fazer o possível para que esta relação se sustente neste sentimento.
Ao participar da reunião percebi que a Adesal continua fazendo seu papel através de seus membros espalhados nas mais de trezentos congregações espalhadas por toda Salvador. Seu papel no sustento dos mais de 70 missionários revela seu caráter evangelizador e uma visão que vai além da placa denominacional.
Esta face da igreja difere daquela que se encontra envolvida com problemas políticos e de divisões e ambições.

14 de fev de 2011

Partiu Irmã Rosa

Não tenho nenhuma foto dela, mesmo que tivesse, nada adiantaria, você não a conhece. Ela foi uma daquelas mulheres de honra, que sustenta sua igreja na oração e se dedica ao serviço cristão como forma de agradecimento a Deus pela salvação de sua alma pecadora. Ela foi exemplo para tantos jovens que negam o vigor de seu corpo e sua capacidade mental para o labor nas searas do Mestre. Ela esteve presente, foi pioneira. Ao lado de seu esposo, ajudou muitos pastores. Chorou com as irmãs do Circulo de Oração, cantou no Grupo Boas Novas das Senhoras da Assembléia de Deus em São Cristóvão - Salvador/Ba. Quando cantava, ficávamos pasmos, obeservando como alguém na terceira idade poderia cantar com tanta força e vigor, além de possuir uma bela voz.
Irmã Rosa tinha cuidado em incentivar aos demais irmãos de fé a ofertar para os órfãos. Ninguém a via entrometida em falatórios ou qualquer outro tipo de comportamento não cristão.
Com o seu marido, o Presbítero Roque Borges, teve, segundo me disseram hoje em seu sepultamento, vinte filhos, dos quais vivem doze, fruto de uma união conjugal de mais de cinquenta anos.
A igreja, chorou, a família chorou, os vizinhos choraram, o bairro chorou...
Foi-se uma mulher amada e honrada por quem a conhecia. Foi-se uma guerreira de oração, uma ovelha dos pastos do Sumo Pastor, uma mulher amante do que fazia.
Ela deixa, além saudades, uma lacuna em nossos corações, uma lacuna em nossa igreja, em nossa comunidade.
Um dia, porém, encontraremos-nos com ela, ali, onde reina eterna paz, ao lado do nosso Salvador. Adeus irmã Rosa...

10 de fev de 2011

Padre quer cobrar multa por atraso em casamento no Paraná

Noivos que se atrasarem para o casamento na Catedral Nossa Senhora de Lourdes, em Apucarana (PR), sem justificativa aceitável, poderão pagar multa de R$ 500. A ideia está sendo estudada pelo pároco da igreja, monsenhor Roberto Carrara, de 71 anos. Ele disse ter conversado sobre o tema com a comunidade em missas.
"Fui aplaudido em pé", afirmou o padre. Isso teria acontecido no último domingo, quando estavam presentes cerca de 1,3 mil
pessoas.
Segundo ele, a situação de atraso não incomoda apenas os religiosos, mas também os convidados. "Tem noiva que está achando chique chegar atrasada, e é mais de uma hora, deixando 700 pessoas esperando durante todo esse tempo", afirmou. "O padre também tem outros compromissos e outros casamentos para celebrar", acrescentou. Se a ideia avançar, o padre admite tolerância de cerca de 15 minutos. "Mas sou muito radical nessa questão de horário", destacou.
O monsenhor disse que a ideia ganhou força quando uma noiva teria espalhado entre convidados que atrasaria em uma hora a chegada à igreja. "Eu a chamei e disse-lhe que tinha compromissos logo depois do casamento", afirmou. "Ela negou e disse que não era verdade o que diziam, mas no dia do casamento chegou com uma hora de atraso". Carrara não se negou a celebrar. "Mas pedi desculpas e fiz só o essencial do casamento, dispensando outras coisas, como alguns cantos", explicou.
Ele afirmou que, em princípio, é contrário à cobrança da multa que está estudando, até porque a igreja já recebe o dízimo. "Não é o que queria, mas estou sendo forçado pela situação", ponderou. De acordo com o padre, "mexer no bolso" das pessoas faz com que tomem atitudes diferentes. Caso a decisão pela cobrança seja tomada, os noivos deverão deixar um cheque-caução já no momento em que forem marcar o casamento na catedral. Se chegarem no horário combinado, o cheque será devolvido imediatamente.
Além de disciplinar o horário, o padre pretende que o sentido do sacramento do matrimônio seja resgatado. "No curso de noivos já tocamos nesse assunto", disse. "O matrimônio na igreja não é um ato social, não é um desfile, mas um ato religioso. Não estamos ali assistindo ao casamento, mas participando". Hoje, monsenhor Carrara atendeu a vários meios de comunicação que queriam informações sobre a novidade e admitiu que não esperava que a repercussão fosse tão grande. O bispo da diocese de Apucarana, dom Celso Antonio Marchiori, foi procurado, mas estava viajando.
O município de Apucarana, no norte do Paraná, possui 120.884 habitantes, de acordo com o Censo IBGE 2010. Nele estão instaladas 14 paróquias católicas. Na Catedral Nossa Senhora de Lourdes são realizados, em média, seis casamentos por mês.

Fonte: Último Segundo
Foto: Canal 38

Comentando:
Concordo plenamente com a Reverendíssima pessoa do Monsenhor. Em nossa denominação em Salvador, chega-se a esperar até mais de duas horas. O desrespeito pela igreja e convidados é gritante. Sem falar nas criancinhas que são convidadas para entrar de florista, pagem, porta-aliança, etc., que chegam a chorar de tédio e cansaço.
Já é hora de começar a fazer o mesmo aqui na Adesal.

8 de fev de 2011

A Igreja Evangélica Está Forte?

"De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas,
E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.
E em toda a alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos.
E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum.
E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo cada um havia de mister.
E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração,
Louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar."
(Atos 2:41-47)

Ao ler este texto de Atos dos Apóstolos, deparamos-nos com uma igreja forte, em crescimento, ativa. Havia um movimento do Espírito na Igreja que refletia não só em suas atividades internas, mas também em suas relações com a comunidade. O povo gostava da igreja, eram simpáticos a ela, respeitavam-na. Não temos dúvidas de que aquela comunidade dos primeiros cristãos também tinha os seus problemas, cometiam seus erros, mas o Espírito Santo foi tão atuante em seus dias que o Escritor de Atos não pôde deixar de registrar seu cotidiano e sua influencia naquela sociedade.
O texto do versículo 41 diz que agregaram-se à igreja quase três mil pessoas. Os versículos seguintes descrevem-nos o comportamento destes fiéis, e vemos neste comportamento atitudes de uma igreja forte, saudável. Eles tinham quantidade e qualidade. Eles provaram que quantidade não é impedimento para a qualidade.
Em Atos 4: 4 diz: "Muitos, porém, dos que ouviram a palavra creram, e chegou o número desses homens a quase cinco mil." A igreja estava em constante crescimento, nenhuma perseguição a impediu de crescer, pelo contrário, parece que a perseguição motivava-os, impelia-os a pregar e disseminar com mais fervor o Evangelho.
Neste contexto de crescimento e avanço, a Igreja conseguiu evangelizar toda a Ásia em dois anos (Atos 19:10), debaixo de grandes perseguições e ameaças doutrinárias. O gnosticismo, a depravação moral, a idolatria, a perversão sexual da cultura greco-romana encontrada em várias cidades como: Éfeso, Corinto, onde as prostitutas cultuais faziam do sexo uma adoração aos seus deuses.
A igreja do primeiro século cresceu e operava sinais e maravilhas numa época de indiferença, onde eram chamados de pertecentes à "seita dos nazarenos" (At. 24:5) e seu Senhor, chamado de "...um tal Jesus, morto..." (At. 25:19).
Todavia, o crescimento da igreja hodierna é ainda maior. No caso do Brasil, acredita-se que em 2050, cerca de 50% da população será de evangélicos (e olha que estamos passando dos duzentos milhões de habitantes!). A cada dia centenas de igrejas são abertas em nossa nação. Aqui em Salvador parece que isto acontece aos minutos.
Nunca se viu tanta igreja! o que mais assusta é o surgimento de líderes e pastores! Tem igreja para todos os gostos, nos variados lugares. Igreja para artistas, sufistas, empresários, pobres, só para quem sofre de opressão demoníaca ou de alguma enfermidade, etc.
Crescimento numérico não é o problema. Nossa tristeza é que, não amadurecemos ao passo em que crescemos, e neste processo estamos deixando grandes lacunas que vão consequenciando no surgimento de uma geração doente e distante de Deus. Estamos formando um corpo defeituoso cujas vestes estão manchadas diante do Senhor.
Percebe-se que a Igreja Primitiva tinha marcas que foram essenciais para seu amadurecimento, como: perseverança na doutrina dos apóstolos, comunhão, oração, ajuda aos mais pobres, temor e sinais e maravilhas eram operados.
A igreja evangélica brasileira conhece muito bem os discursos sobre "poder e unção apostólica", mas está longe de se quer saber o que é "perseverar na doutrina dos apóstolos". Ela já está "crack" em defender sua denominação, brigar pelo seu líder, advogar suas causas, coreografar os abraços de fraternidade com tapinhas nas costas dos outros no momento sagrado da liturgia, mas está longe de viver a comunhão bíblica.
Estamos envolvidíssimos com as campanhas de oração de quebras de muralhas, do alcance de objetivos pessoais e longe de uma vida de oração por prazer de estarmos perto de nosso Senhor e desfrutar de um profundo relacionamento com Ele.
Temos um assustador crescimento horizontal, mas na vertical, o crescimento está a passos de tartaruga. Para completar, estamos desunidos como corpo de Cristo. Cada um de nós em suas denominações acha que o mundo só será devidamente evangelizado, através dos programas de evangelismo de nossa denominação. Somos soberbos a ponto de pensar que a linha teologica defendida pela nossa comunidade é a certa. Arrendamos os céus e só entra lá, quem passa pelo crivo de nossos conceitos teológicos.
Há brigas pelo poder nas Igrejas e nas famingeradas convenções. Os escândalos são tantos, que os líderes fiéis também perderam a credibilidade e pagam o devido preço.
Os líderes perderam a visão a ponto de priorizar a amizade e os interesses pessoais em detrimento do Reino de Deus e do bem estar das ovelhas.
Não, a Igreja evangélica não está forte. No geral está enferma. Ela cresce no tamanho, mas é uma anã em sua maturidade e em seu relacionamento com Cristo e sua Palavra.
E eu? O que estou fazendo? Estou orando agora mesmo: Senhor, perdoa nossos pecados!

3 de fev de 2011

Humanismo Gospel

O Humanismo foi um movimento filosófico que despontou na transição entre a Idade Média e o Renascimento. A Europa, e depois o mundo, passava por grandes transformações provocadas por exemplo, pela invenção da bússola que proporcionou a expansão marítima, que por sua vez incrementou a indústria naval facilitando o desenvolvimenbto do comércio, consequenciando com o crescimento urbano, surgimento dos burgueses, entre outras transformações sociais e conômicas. O aperfeiçoamento da imprensa possibilitou o interesse pela cultura e conhecimento democratizando o direito de expressão e despertando o desejo pela crítica.
Essas transformações serviram para "reconceituar" o homem e colocá-lo no centro das atenções. Os humanistas eram estudiosos da cultura clássica antiga. Alguns eram ligados à Igreja, outros eram artistas ou historiadores.
Mas o cerne do pensamento humanista é que o homem é o centro de tudo, sendo senhor do seu destino, o que é refutado pela Palavra de Deus! Essa reformulação do conceito do homem se deve às transformações que este provocou na virada do século XV.
É nesta época que florece o ateísmo decorrente da lacuna deixada pela igreja. As atrocidades teológicas e sociais cometidas pelo catolicismo romano fez florecer correntes fiosóficas que questionaram Deus, a Bíblia e a Igreja.
A decepção com o sagrado foi tão grande que o homem foi ao extremo: colocou Deus como relativo e o homem como absoluto.
Mas o humanismo não morreu. Ele está entre nós. Se mistura com resquícios do positivismo oriental e se envereda na igreja pela Teologia da Prosperidade.
Ele está presente em "nossas" pregações, em nossa liturgia e nos conceitos enlatados de nossa vida cristã.
Eu o chamo de Humanismo Gospel. O Humanismo Gospel acredita que "somos vencedores" e não "vencedores em Cristo". Acredita na "palavra profética" e não na Palavra de Deus, acredita em "atos proféticos" e não em resplandecer a sua luz para que vejam suas obras e glorifiquem ao Pai Celestial (Mt. 5:16).
O Humanismo Gospel coloca Deus a serviço do homem e não o contrário. No Humanismo Gospel cantamos: "...e chamar tua atenção para mim...", quando a atenção deve ser chamada para Deus.
O Humanismo Gospel vai além daquele movimento social e filosófico do final do século XV, ele é ainda mais irracional, a ponto de alguém cantar que:
"Quem te viu passar na prova
E não te ajudou
Quando ver você na benção
Vão se arrepender
Vai estar entre a platéia
E você no palco".
O que isso parece, senão um sentimento de vingança? Porque alguém que não me ajudou se arrependerá? O que reservarei para esse alguém? Porque almeja-se tanto o palco e se esquece tanto de 2 Tm. 3:12 que diz: "E também todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições"? Vale ainda lembrar de Mt. 5:10 "Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus".
No Hmanismo Gospel não se admite derrotas. Esquecem que derrotas fazem parte das batalhas dos vencedores. Basta um olhar na Bíblia e lembrar das derrotas sofridas por grandes homens de Deus, momentos em que "desperaram até da vida" (2 Co. 1:8).
No Humanismo Gospel o homem ganha sempre e seus caprichos devem ser sempre atendidos, afinal, ele é "filho do rei".
Mas o Humanismo Gospel também é capitalista. Não se admite pequenas ofertas, tem que haver "grandes sacrifícios", monetários claro.
No Humanismo Gospel, o homem é o centro porque ele gera lucros. Por isso seus líderes espirituais os vê como notas de valor e não "como ovelhas que não tem pastor" (Mt. 6:34). Nas reuniões desses líderes a avaliação dos trabalhos é feita a partir das entradas dos dízimos e ofertas e não do número de salvos batizados e discipulados e dos que foram curados ou ainda dos programas de evangelização que deram resultado. Por isso a pregação tem sempre que agradar o "cliente".
No Humanismo Gospel as ovelhas fingem que vivem a Palavra de Deus e os Pastores fingem que a ensinam.
Deixe-me parar e deixar pra mim e você as Palavras de Paulo em 1 Tm 6:3-5:

"Se alguém ensina alguma outra doutrina, e se não conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, e com a doutrina que é segundo a piedade, É soberbo, e nada sabe, mas delira acerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, blasfêmias, ruins suspeitas, Contendas de homens corruptos de entendimento, e privados da verdade, cuidando que a piedade seja causa de ganho; aparta-te dos tais."

Você Pode Vencer

Olá, caros leitores.
Estou sem poder blogar. Todavia, senti o desejo de deixar uma breve reflexão para você. Não sei como você está hoje. Se está chorando, se tem tem tantas preocupações que sua vida hoje está um caos. Uma decepção assaltou-lhe o coração ou coisa semelhante. Permita-me te dizer algo simples, mas forte e real. Você pode vencer!
Vencer é o desejo de qualquer ser humano. Quando alguém perde o desejo pela vitória, é sinal de que esta pessoa está vivendo algo que lhe tirou a esperança. A maioria das pessoas que perderam o desejo pela vitória, está num quadro patológico de depressão, elas não acreditam mais em si mesmas. As derrotas de sua vida são tantas, que a vitória passa a ser uma utopia ou um sonho inalcançável. Apesar de termos capacidade dadas pelo próprio Deus para criar situações que nos levem à vitória, a Bíblia fala que Deus é o dador das vitórias de nossa vida. 1ª Coríntios 15:57 diz: "Mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo".
Interessante, não? "A" vitória. Esta vitória já foi conquistada na cruz do Calvário por Jesus Cristo e está a disposição de quem recebe-lo pela fé. É por isso que você pode vencer! Há uma vitória garantida a você. Basta crer agora, abrir seu coração e reber a Jesus. Deixe Ele entrar em tua vida e de conceder esta vitória. Saia da depressão, levante a cabeça. Se Cristo foi capaz de morrer por você, é porque você tem valor. Ele não morreria por qualquer coisa, Ele morreu pelo que há de mais precioso na criação de Deus, você!
Portanto, VOCÊ PODE VENCER!