29 de abr de 2011

Pastor Carlos Tolentino Assume Pastorado na Adesal São Cristóvão

Com vasta experiência ministerial, tendo liderado igrejas importantes das Assembléias de Deus no Estado da Bahia, entre elas: Vitória da Conquista, Simões Filho e Feira de Santana, o Pastor Carlos Tolentino assume a liderança do setor 11 da Adesal - São Cristóvão , depois de ter passado por Tancredo Neves, setor 12 da Adesal. O Pastor assume a igreja num momento histórico da Adesal que teve sua Convenção, a CONFRAMADEB, homologada na AGO da CGADB neste mês de abril em Cuiabá.
A Assembléia de Deus em São Cristóvão foi fortemente atingida com a última crise entre Adesal e Ceadeb, crise que deixou dúvidas e feridas em vários corações. Para o Pastor Tolentino lhe ficou a tarefa de trazer cura e consolo para um rebanho que atravessou sérias dificuldades nos últimos dois anos. Ele assume o lugar do Pr. Joaquim Marques, que, apesar das dificuldades, conseguiu manter a unidade do setor, não perdendo nenhuma congregação para aqueles que investiram contra a Igreja do Senhor.
Segundo Pastor Carlos "este é um tempo de sarar feridas e esquecer os acontecimentos que prejudicaram nossa trajetória para os céus". Enfatizou ainda que, por mais que não consigamos esquecer episódios ruins, se faz necessário prosseguir para frente e olhar para os tais e vê-los como instrumentos que nos conduzem à maturidade e aprendizado.
Nosso desejo é que o Pastor Tolentino, com quem tenho a honra de trabalhar, seja um instrumento de restauração e pacificação, a fim de levar a Igreja de Cristo em São Cristóvão a um estado de vigor espiritual que resulte no cumprimento de seu papel como Corpo de Cristo na terra.

26 de abr de 2011

Pastor Raimundo Campos Dirige Cerimônia de Posse do Missionário Pedro Henrique


Posse do Miss. Pedro
O Miss. Pedro Henrique é solteiro, Diácono da Igreja Assembléia de Deus em Salvador (Adesal) e exercia o ministério de Pregador Intinerante. É noivo da jovem Patrícia, membro da Adesal em Jardim Praia Grande, Setor 32 - Rio Sena, onde Pedro trabalhou executando várias atividades com Escola Dominical e Liderança de Adolescentes. Por ser conhecido por seu bom testemunho e esforçado envolvimento na causa do Mestre, foi convidado pelo Pastor Raimundo Campos, Líder da Assembléia de Deus CONFRAMADEB em Mundo Novo , para liderar os trabalhos naquela região que já conta, além de uma igreja sede no centro da cidade, com uma congregação no Povoado de Indaí e um Ponto de Pregação na Fazenda Pedra Branca. A posse foi precedida por um Culto Evangelístico no Ginásio de Esportes da Cidade com a presença de uma caravana vinda de várias congregações de Salvador em dois ônibus e contou com apresentações teatrais, bandas, vários cantores e a presença ilustre do Prefeito da Cidade Lusinar. O Prefeito falou do importante trabalho social feito pelos assembleianos e como tem contribuído com a sociedade no resgate da cidadania.
Pr. Raimundo apresenta
Prefeito Lusinar
Pedro terá o desafio de ganhar vidas para Cristo numa igreja embrionária que conta com imensos desafios. Em todo município há povoados sem assistência espiritual e pouco investimento em evangelismo, o que torna o campo uma seara em branco pronta para a colheita.
O Pr. Raimundo Campos que já foi Líder da Assembléia de Deus CEADEB em Mundo Novo, ainda quando a mesma pertencia ao campo de Piritiba, incentivou a abertura de frentes de trabalhos na região em sua gestão em 2005 estabelecendo nove grupos familiares, batizando vários novos convertidos e abrindo uma igreja em Indaí.
Orando pelos Missionários Pedro
e Patricia
Por perceber a falta de assistência aos trabalhos por ele aberto, o Pr. Raimundo Campos volta a Mundo Novo seis anos depois para dar continuidade aos trabalhos começados sob a orientação do Espírito Santo. Antes da posse do Miss. Pedro, o Pastor vinha visitando Mundo Novo toda segunda-feira, quando apresentava o Programa Celebrai na Rádio Comunitária Santa Cruz FM, visitava os lares e dirigia e pregava no Culto da Segunda-Feira da Vitória. Agora, com a presença do Missionário, o Pastor fará suas visitas 2 vezes ao mês, quando em uma dessas oportunidades dará a santa ceia para os fiéis do campo.

A obra em Mundo Novo tem três desafios e necessidades principais no momento:
A compra de um terreno na cidade;
A compra de um terreno no Povoado de Indaí;
A compra de uma moto para o Missionário correr o campo.

19 de abr de 2011

Senhores da terra, escravos de nós...

Hoje é 19 de abril, dia do índio, mas só hoje? É, só hoje. Lembramos deles por vários motivos: primeiro porque sem esperarmos, nossos filhos chegam em casa com pena de papel na cabeça e rostinhos pintados por professoras que só o fizeram porque está lá no tal do livro aprovado pelo MEC, que só fez constar em suas páginas por uma questão política e cultural (cultural: às vezes visto como aquilo que só se faz por costume, tradição, sem saber o real significado).
Segundo porque a mídia fala, pouco, mas fala, afinal é tradição uma reportagensinha de cinco minutos falando o que todos já sabem, do peixe assado em palha, da farinha azeda e da água embriagante que surge depois que se coloca a mandioca enterrada vários dias na terra com água potável e da dança. Pronto acabou, agora podemos descansar, salvamos nossa alma, nossa consciência está mais leve, lembramos dos antigos senhores da terra de quem fizemos nossos escravos e os reduzimos a comunidades isoladas. Segundo reportagem do Bahia Meio Dia, Telejornal da Rede Bahia, afiliada à Rede Globo, temos cerca de 10.000 índios na Bahia! Pois é, no meio de quase 15 milhões de habitantes, lá está a diminuta população indígena. O que fizemos com eles? Não foi aqui que tudo começou?
Depois vou ver se continuo falando de nossa hipocrisia em homenageá-los, homenagear os senhores da terra, escravos de nós...

Ser Pastor...


Ser Pastor é ser crente fiel, salvo e lavado pelo sangue de Jesus. É ter certeza de ir para o céu, é ter testemunho "dos de fora" sobre seu estilo de vida comprometido com a santidade, moral e ética cristã. Ser Pastor é não se embaraçar com coisas desta vida. É não ter o dinheiro como seu senhor, mas ser senhor do dinheiro, reconhecendo-0 como a provisão daquele que lhe é fiel, Deus. Ser Pastor é ter chamada de Deus para o ministério e obedecer os propósitos de sua chamada. Ser Pastor é viver sob a direção do Espírito Santo, comportamento fruto de sua vida devocional com o Eterno. Ser Pastor é cuidar de ovelhas e não ser cuidado por elas, espoliando-lhes a lã e sugando-lhes o leite. Ser Pastor é madrugar, é chorar pelo rebanho e entender que dará conta dele a Deus, é dar a vida pelas ovelhas. Ser Pastor é não esperar recompensas terrenas e não tentar gravar seu nome nos anais da história de sua denominação ou grupo social. Ser Pastor é não esperar aplausos, é não esperar que todos lhe abrace. Ser Pastor é ser modelo. Ser Pastor é falar a Palavra de Deus e não mercadejá-la. Ser Pastor é ouvir. Ser Pastor é visitar, é amenizar o sofrimento alheio, é sorrir diante da adversidade e prosseguir. O Pastor dá o norte para o rebanho e não é guiado por interesses ou por quem lhe manipula em sua fraqueza.
Ser Pastor é ter paciência, é olhar com olhar de pastor. Ser Pastor é saber discernir as coisas. Ser Pastor é saber calar e falar na hora certa. É não ser falastrão. Ser Pastor é saber entrar e sair. Ser Pastor é ser sábio, porque a sabedoria vem de Deus e quem não a tem, peça a Deus que a todos dá, sem lhes lançar em rosto (Tg. 1:5). Ser Pastor é ser amável com o rebanho e a comunidade.
Ser Pastor é não confundir sua tarefa no púlpito de pregar a Palavra de Deus com seus desabafos. Ser Pastor é olhar nos olhos das pessoas e andar de cabeça erguida. É não dever nada a ninguém. Ser Pastor é ter autoridade para redarguir, exortar, corrigir. Ser Pastor é saber usar o cajado para alentar e para orientar. Ser Pastor é ter autoridade de Deus para gerir situações difíceis. Ser Pastor é ter autoridade sobre os demônios. Ser Pastor é não se conformar com este presente século comprometido com a ganância e a corrupção. Ser Pastor é não aceitar subornos. Ser Pastor é não fazer negócios ilícitos, é não envolver o rebanho em situações de escândalos. Ser Pastor é ter coragem para confrontar esta sociedade mergulhada no pecado. Ser Pastor é ter amor pelas almas e conduzir seu rebanho a uma consciência de seu papel na terra.
Ser Pastor não tem haver com título, mas com vocação. Se é vocação, então ela não pode ser negociada. Se é vocação, então não pode ser trocada por poderes terrenais e efêmeros.
Ser Pastor é estar onde Deus quer que esteja, ir para onde Deus mandar, é confiar em sua provisão. O Pastor cuida para não ser pesado a ninguém, mas também não cruza os braços diante da oportunidade de "fabricar tendas", se necessário.
Ser Pastor é não negociar campos e suas ovelhas.
O Pastor não aumentar sua própria prebenda para barganhar com companheiros. Ser Pastor é ser fiel, puro, irrepreensível, honesto, íntegro, modelo de pai, de amigo, de irmão. É ser conselheiro, é chorar e rir com as ovelhas, é sentar com elas para boas conversas e instantes de comunhão, é amparar, é promover a unidade.
Ser Pastor é tudo isto e muito mais, muito mais...

16 de abr de 2011

Presidente da CEADEB Não Aceita Proposta de Retirar Processos Contra Adesal

Durante AGO da CGADB realizada em Cuiabá de 12 a 14 de abril, o Presidente da Convenção Geral, Pr. José Wellington Bezerra propôs aos Presidentes da CEADEB e CONFRAMADEB que se adiasse a homologação da CONFRAMADEB por dois anos, enquanto que a CEADEB retiraria todos os processos movidos contra a Adesal (Assembléia de Deus em Salvador). O acordo poderia ser fechado, não fosse a decisão da Mesa Diretora da CEADEB em manter os processos contra a Igreja de Salvador.
A decisão revelou o quanto está distante a possibilidade de um acordo de paz entre CEADEB e ADESAL. Tal decisão denuncia o quanto alguns ministros do evangelho não vivem o que pregam. A notícia da decisão por parte da CEADEB em manter os processos contra a Adesal, foi noticiada no site da ADESAL e segundo Pastor Israel Alves em declaração no site, "está claro que o que eles gostam mesmo é de brigar e que eles querem mesmo destruir a Igreja do Senhor..."
Todavia, a proposta não foi bem vista por ministros da CONFRAMADEB, visto ter conquistado legalmente o direito de pertencer a outra convenção, sendo este o argumento da Mesa Diretora da CONFRAMADEB.
Segundo o Pr. Abiezer Apolinário, Advogado da Adesal e Presidente do Conselho Jurídico da CGADB, mudar de convenção (associação) é direito constitucional, isto é, nenhum cidadão é obrigado a estar filiado a uma associação ou instituição que não atenda suas expectativas políticas e filosóficas.
Deve-se ressaltar também que, os motivos que levaram a CEADEB a não aceitar a proposta de retirar os processos contra a Adesal não foram divulgados e que lhe é de direito aceitar ou não a proposta.
Oremos para que a unidade das Assembléias de Deus na Bahia não continue tolhida por caprichos humanos.

Na foto, Pr. Abiezer dá orientações jurídicas.

15 de abr de 2011

AGO da CGADB em Cuiabá: Marco Histórico Para as Assembléias de Deus na Bahia.

Pr. Mesquita, Presidente da UMADENE
Esta foi a AGO mais esperada , não só por ministros da CONFRAMADEB, como por ministros da CEADEB. O motivo era a proposta de "Homologação de Convenções afiliadas e/ou julgamentos de recursos", na pauta de uma das sessões. Entre essas Convenções estava a CONFRAMADEB, oriunda da decisão de ministros da Adesal em se desligar da CEADEB. A batalha pelo reconhecimento da Convenção Fraternal de Ministros das Assembléias de Deus na Bahia, começou no ano passado quando, durante reunião da UMADENE, órgão que funciona como Conselho Regional de Ministros das Assembléias de Deus no Nordeste, a CONFRAMADEB foi recebida por unanimidade, apesar do discurso contrário do Presidente da CEADEB, Pr. Valdomiro Pereira.
Pr. Jailton Simões, membro da CEADEB,
reconhece a vitória da CONFRAMADEB
e cumprimenta Pr. Israel.
Vários Pastores de Salvador compareceram a AGO demonstrando apoio à Convenção Fraternal e ao seu Presidente, Pr. Israel Alves Ferreira, que travou verdadeira batalha nos corredores da AGO, argumentando com companheiros e fomentando a idéia de uma convivência de paz no Estado da Bahia entre as duas Convenções. O discurso do Pr. Israel já é conhecido, daí ser chamado de pacificador por vários ministros da própria CEADEB.
Como era de se esperar, o Presidente da CEADEB fez discurso contra a homologação da CONFRAMADEB, querendo dar a entender que os ministros filiados a ela fossem rebeldes, discurso desgastado que já não surte efeito nem mesmo na Bahia.
Pr. Miguel Pereira, membro da
CONFRAMADEB,se emociona coma decisão.
Apesar de reconhecermos que muitos erros cometidos pelas duas convenções precisam ser corrigidos e que acordos de paz e fraternidade precisem ser feitos, a Bahia agora tem duas Convenções e ninguém neste país, pode dizer que a CONFRAMADEB seja ilegal.
O Pastor Israel recebeu apoio de inúmeros ministros do país que reconhecem e admiram o ministério do Presidente da CONFRAMADEB, eleito duas vezes Vice Presidente da CEADEB e ocupando atualmente a cadeira de Vice Presidente do Conselho Fiscal da CGADB.
A AGO de Cuiabá, portanto, marca um novo tempo para as Assembléias de Deus na Bahia e, independente da Convenção, a Igreja precisa continuar sua marcha em pregar o Evangelho e preservar as doutrinas pentecostais que defende desde a sua fundação e promover a paz e a harmonia em 2011, ano do Centenário da instituição no Brasil.
Veja abaixo os melhores momentos da AGO:

Texto: Pr. Raimundo Campos
Fotos: Pr. Dário Gomes

13 de abr de 2011

Herói Esquecido!

Não sabemos na verdade do perfil psicológico do Sargento Alves, ninguém se preocupa com isto, porque o perfil psicológico do assassino suicida é mais fascinante. Aliás, os vilões da vida são nossos heróis. Eles estão envolvidos com os mais sórdidos crimes do colarinho branco e são aclamados pelo povo nas eleições, recebem mais votos do que os que possuem "ficha limpa". Assistimos às novelas para ver a próxima perversidade do vilão, e que vilão! Possuidor de corpo atlético e olhos azuis, faz sucesso entre as mulheres e desperta nos adolescentes o desejo nefasto de ser como ele.
O vilão é mais interessante. O herói só deu um tiro imobilizador. O vilão deu vários. O herói é só mais um cara do dia a dia. O vilão não, tinha uma "causa", uma "causa" produto de sua mente doente e insana.
Hoje pela manhã, lá estavam os jornalistas polidos do Bom Dia Brasil, segurando suas canetas caras entre os dedos, de pernas cruzadas, falando do assassino do Realengo, repetindo frases decoradas ditas em edições anteriores como se fossem novas e dando uma importância estranha ao estudo da mente do rapaz conhecido como Wellington. A reportagem assume o mesmo papel repugnante dos jornais sensacionalistas do Datena e outros, que repetem palavras e usam o tempo para explorar o que deveria ser apenas uma nota.
Como disse Hermes C. Fernandes no título de sua matéria que fala do assunto, "Wellington conseguiu o que queria..." Aos poucos está se tornando herói para quem pensa como ele.
Enquanto que o homem que impediu que centenas de outras crianças fossem vitimadas da mesma sorte, tem seu nome esquecido. Seu perfil deve ser o de um homem comum, não tem nada atrativo. Ser normal não dá ibope. Não precisa convidar um psiquiatra forense com cara de louco para traçar o perfil psicológico de um Alves da vida que estava só cumprindo seu papel. A sociedade não precisa disto.
No mesmo jornal da manhã, noticiou-se que haveria uma missa de sétimo dia com presença dos familiares das vítimas, não ouvi dizer se o Sargento Alves fora convidado. Não ouvi dizer se fariam uma homenagem pública a ele. Talvez sim, eu é que não ouvi.
Ao pensar sobre isto, lembrei-me dos pastores de integridade indubitável que heroicamente luta a anos para defender seu rebanho de heresias e comportamentos questionáveis e anti-bíblicos, que passam horas em um gabinete tentando evitar um divórcio ou até um suicídio, que compromete seu nome financeiramente para adquirir um bem para a instituição e propiciar determinadas ações sociais da igreja e depois são trocados por conferencistas meliantes, verdadeiros pilantras da fé, gananciosos e carnais, amantes do dinheiro e da fama. Fomentadores de heresias e comportamentos mundanos, profanadores do sagrado e ladrões da saúde espiritual. Suas armas, tal qual a do psicopata de Realengo, estão apontadas e sendo disparadas contra a mente e coração do povo, tirando aquilo que homens de Deus levaram anos para semear. Mas eles é que são os heróis! Vejo gente desavisada endeusando-os, dando-lhes seu suado dinheiro, enquanto que nunca se preocupam em como está vivendo seu pastor. Nunca se sentem orientados para semearem na vida de quem é verdadeiramente herói. Herói esquecido.
A mente da sociedade precisa mudar. A mídia tem o poder de fazer isto e começar a transformar em herói quem realmente é. A liderança evangélica da mesma sorte. precisamos começar semear isto na mente de nosso povo. O escritor aos Hebreus traça um perfil do pastor tentando apresentá-lo aquele a quem devemos imitar:
"Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus, a fé dos quais imitai, atentando para a sua maneira de viver. Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil." (Hebreus 13:7, 17)

7 de abr de 2011

Tragédia no Rio: Todos Querem Entender!

"Um súbito despertar para a violência..." Essas foram as palavras do apresentador do Jornal da Globo, Willian Waac. A brutalidade das ações criminosas do jovem de 23 anos abalou o Brasil, deixaram extasiados profissionais acostumados com as chacinas do Rio, arrancou o grito desesperador do peito dos pais e amigos das 11 crianças que não sabiam porque estavam morrendo.
Imagine esses pais despedindo com um beijo na face seus filhos que cumprem diariamente a rotina de ir à escola, enquanto eles se despedem com a certeza que voltarão para casa ao final das aulas. Crianças, apenas crianças. A insanidade do assassino é inexplicável, nem sua carta deixada previamente, esclarece a razão de seus atos. Os argumentos nela, só geram revolta.
Todos querem entender o que aconteceu, todos querem explicações. Na verdade, nunca as teremos. Mas ninguém ainda perguntou é como na portaria da escola não tivesse ninguém que revistasse o rapaz, que questionasse seu argumento de que daria uma palestra, que percebesse o cinto de balas. O que queremos entender é porque o Estado não garante segurança aos nossos filhos dentro de seus estabelecimentos de ensino? Porque todos o acessam tranqüilamente?
Bem, enquanto as respostas não vem, lembremos que nossa vida está sob ameaça todos os dias, somos reféns em nossa própria casa, nas escolas, na rua, em qualquer lugar. Nem sempre temos um Sargento Alves por perto.
A insanidade do assassino é explicada pelo psiquiatra forense Guido Palomba como esquizofrenia e diz ainda que o sujeito vivia numa realidade diferente da nossa. Cá entre nós, quem não sabia?
O que precisamos saber mesmo é que esta hora é propícia para pensarmos em como tem sido nossa vida diante de Deus e da sociedade. Estamos preparados para enfrentar a morte?
Tal aquelas pobres crianças de Realengo, não sabemos a nossa hora. Por isso mesmo é preciso repensar nosso estilo de vida e preparamo-nos para encontramo-nos com o Senhor e, oremos pelas famílias enlutadas das crianças de Realengo.

Alguém Tem Que...

Alguém tem que falar, alguém tem que protestar, alguém tem que se posicionar, alguém tem que ter coragem, alguém tem que assumir responsabilidades pelo que pensa e diz, alguém tem que assegurar suas convicções, alguém tem que pagar o preço pela verdade, pela integridade, honestidade. Não podemos nos conformar, não podemos abrir um cínico e pálido sorriso, numa atitude covarde para as injustiças e posições contrárias à vontade de Deus. Alguém tem que pregar, alguém tem que apontar o erro e alertar para o perigo à porta, o juízo que vem, o Dia do Senhor, o dia de sua vingança.
Alguém tem que se colocar contra o recebimento e consagração ao santo ministério de homens cuja moral e testemunho cristão, não são ilibados. Alguém tem que apenas cumprir a Santa Palavra. É simples, é só isso, é só obedecer!
Alguém tem que estar disposto a ser estigmatizado como "santarrão", louco, inconveniente. Alguém tem que ser uma pedra diferente num quebra-cabeças de um sistema viciado, comprado, vendido, prostituído, contaminado por Jezabel e seus manjares. Alguém tem que confrontar a Palavra de Deus com o estilo de vida profano que alguns abraçaram e que maquiaram com a falsa fé, a falsa santidade.
Alguém tem que dar um basta, um grito. Alguém tem se posicionar contra os contratos, conchavos políticos em nome de Jesus, de sua palavra! Alguém tem que hastear a bandeira da justiça, da eqüidade, do bem.
Alguém tem que entender que há discrepâncias alarmantes entre o "ungido" e o que perdeu a unção, entre o pastor e o mercenário, salteador.
Alguém tem que bradar, fazer-se ouvir, ainda que não queiram ouví-lo, ainda que sejam "casa rebelde". Alguém tem que manifestar-se sem medo de represálias, sem ter sua reputação por preciosa. Afinal, os profetas de Deus não tinham sua reputação por preciosa, não tinham medo da execração pública, tinham medo de sim, de não entregar todos os oráculos do Senhor.
Alguém tem que bater na mesa e dizer: chega! Chega de mentiras, violência no lugar santo. Chega de profanar a casa do Senhor!
Alguém tem que pregar a Palavra como ela é. Alguém tem que combater a atual pregação nos púlpitos de nossa denominação. Pregações manchadas com a teologia da prosperidade, com o positivismo. Alguém tem que não mais comprometer os santos dízimos do Senhor com altos salários, altos cachês a mundanos da música gospel e a conferencistas meliantes.
Alguém tem que usar o "azorrague" que expulsa os aproveitadores e ambiciosos, que usam os recursos do povo de Deus e comprometem nossa moral, nossos princípios, expondo nosso nome, lançando-o na lama. Miseráveis vendilhões, que expõem nossas pérolas aos porcos, que pisam nossa ética, vituperam a fé que defendemos.
Alguém tem que começar a usar os santos dízimos com integridade, sanidade, responsabilidade. Alguém tem que entender que o Senhor tudo vê, que Ele reservou um dia para prestarmos contas. Alguém tem que entender que o "Juízo começa pela Casa de Deus", que Ele não toma o culpado por inocente.
Alguém tem atentar para a causa dos que carecem, não dos que "merecem". Alguém tem que não acariciar o ego alheio e fazê-lo por interesse pessoal.
Esse alguém tem que ser eu, tem que ser você!


5 de abr de 2011

Missionários de República Dominicana Agradecem à Adesal


Para quem tem dúvida da integridade da Semadesal (Secretaria de Missões da ADESAL), o email abaixo foi-nos enviado hoje às 12:49, pelos nossos missionários na República Dominicana e quero reproduzir aqui, o original (o negrito é nosso). Os missionários trabalham na cidade de Santiago da República com evangelismo e discipulado de adultos e jovens e estão com uma igreja em formação.

Contato dos missionários: dossantos_jose_luiz@hotmail.com

"Queridos e amados irmãos.
A paz do Senhor para todos.
Escrevo para agradecer por todo esforco que voces fazem no departamento de missoes para nos enviar o nosso sustento fielmente a cada mes. Realmente estamos muito grato a nosso Deus, por todo o trabalho que voces tem feito para nos ajudar. Felicitamos Os Pastores Dario, Raimundo Campos e a nossa misionaria Andrea.Tambem desejamos agradecer a todos os Cordenadores,Secretarios (as) junto com os pastores setorias e a toda igreja Adesal em Salvador.
Sabemos que nosso Senhor Jesus Cristo esta recompensando a todos voces que estao comprometidos com a evangelizacao mudial e nos aqui somos privilegiados por ter nossa Igreja mae que esta conosco no alcance das almas Dominicanas para Crsto."

3 de abr de 2011

Como Estão os Missionários da Adesal?


Trabalho voluntariamente como Secretário de Comunicação da Semadesal, Secretaria de Missões da Adesal, acompanho de perto os relatórios financeiros dos cultos de missões realizados na Adesal, estou diretamente envolvido com a Diretoria da Semadesal, fazendo parte de reuniões, decisões e vendo de perto como está cada missionário no campo através de seus relatórios, emails, telefonemas, e visitas aos seus campos e posso afirmar categoricamente: os Missionários da Adesal estão bem e sendo assistidos por sua Secretaria de Missões, a Semadesal.
Todos os setores da Adesal que passaram a ser campo da CEADEB, SUSPENDERAM suas contribuições missionárias, as quais antes eram direcionadas para a Semadesal a fim de prover o sustento dos missionários. A princípio, alguns desses pastores, para continuar enviando a contribuição, exigiam que lhes fosse passado a conta do missionário, o que fazíamos. Porém, depois, nem desta forma continuaram a contribuir. Todavia, a Semadesal sustenta alguns missionários que estão em CAMPOS DA CEADEB, cuja relação está acessível aos membros da Assembléia de Deus de Salvador (Adesal), quanto aos da Assembléia de Deus CEADEB. Basta entrar em contato com a Semadesal. Porque sustentamos missionários em campos da CEADEB? É simples. Primeiro porque temos o compromisso com o Reino de Deus e não com a briga mesquinha das duas instituições. Segundo porque temos um compromisso espiritual e moral com cada missionário. Terceiro, entendemos que os mesmos tem família e as tais precisam do amparo e cuidado da Secretaria de Missões e da nossa Igreja. Sabemos que os tais obreiros são homens de Deus, realizando trabalhos dignos na seara do Mestre.
É necessário lembrar que alguns desses missionários não mais receberão o sustento da Semadesal pelos dois principais motivos:
A CEADEB não permite relação fraternal entre os membros ligados a ela e os membros da Adesal;
A CEADEB não permite que nós, mantenedores desses missionários, os visitemos. A visita é tarefa fundamental da Secretaria na relação com o missionário. Portanto, é de responsabilidade da CEADEB a desvinculação financeira entre o missionário em campo da Ceadeb e a Semadesal.
Qualquer irmão em Cristo que está hoje nos chamados campos da CEADEB e irmãos da Adesal podem entrar em contato com a Semadesal e ter acesso aos contatos dos missionários, e saber deles mesmos se a Semadesal os tem desamparado. Todo dinheiro, fruto das arrecadações dos cultos de missões da Adesal, são honestamente geridos em favor dos nossos missionários.
Nossas despesas vão além daquelas que se referem ao sustento missionário. A Semadesal paga Assistência Odontológica para todos os missionários, assume despesas com passagens, vistos, passaportes, além de assistência médica e outras necessidades dos missionários. Temos também despesas com custo operacional do escritório, como: telefone, água, internet e todo equipamento necessário para seu funcionamento. Todas as entradas e saídas passam todo mês pelo crivo do Conselho Fiscal da Adesal e são contabilizadas na Tesouraria da Igreja.
A Semadesal, portanto, realiza um trabalho sério e comprometido com a causa missionária e REPITO: a Adesal e sua Secretaria NÃO DESVIA SEUS RECURSOS PARA ATENDER INTERESSES DE TERCEIROS, NEM MESMO DO PRESIDENTE DA ADESAL, ATÉ PORQUE O MESMO NÃO TEM ESTE COMPORTAMENTO.
O Pastor Presidente da Adesal tem assumido um compromisso sério com a obra missionária, apoiando o trabalho da Diretoria da Semadesal e sendo o primeiro a incentivar que os obreiros da Adesal não deixem de realizar os cultos de missões e determinando que os tais cultos tenham o seu dia no 2º domingo de cada mês, quando toda oferta desses cultos são exclusivamente dos missionários.
Na foto acima alguns de nossos missionários que estavam no campo transcultural e que estão um tempo na Base, outros que estão com projetos para ir ao campo este ano e colaboradores da obra missionária em Salvador com o Pr. Dário Gomes, Diretor Financeiro.
Mais esclarecimentos, visite o Blog da Semadesal: http://missoesadesal.blogspot.com ou entre em contato: (71) 3241-2182 ou missaoadesal@hotmail.com


1 de abr de 2011

Um Sistema Que Precisa Mudar

Eram nove horas da manhã. Eu estava na sala do Pastor X. Conversava sobre meu ministério e meu projeto de voltar à minha terra, a Bahia. Eu tentava formar um diálogo entre amigos, porém, sentia sua distancia de mim, dos meus sonhos, dos meus planos. Seu olhar só parava em mim quando algo que considero que ele achasse mais importante, não lhe chamasse a atenção. As ligações telefônicas eram constantes, ao que ele fazia um sinal de "pare" com a mão e me emudecia numa atitude que me forçava a recomeçar várias vezes minha insignificante história.
Quando já estava quase meia hora em sua sala, sem se quer ter chegado ao meio de meus argumentos, ele fez um gesto com mãos pressionando-as na ponta da mesa, como se fosse apoiar-se sobre elas e levantar-se, gesto que fatalmente dizia que meu tempo estava esgotado e que o reverendíssimo tinha mais o que fazer. Sua frase, a única com mais de duas palavras em nosso encontro fatídico, foi: "Vamos ver isso aí, mas no momento não posso ajudá-lo". Antes, em um de seus importantes chamados pelo telefone, que lhe foi passado por um "assessor" frenético que me olhava com ar de quem queria me expulsar da sala, enquanto lhe dava o aparelho telefônico sobre meus ombros, ouvi dizer sem constrangimento ao seu interlocutor: "vai ser bom pra você. Lá tem casa pastoral, um ótimo salário e um carrão rapaz! (risos)".
Pensei ter ele interesse em ajudar um obreiro que lhe confessasse sentir-se chamado por Deus, porém precisando de ajuda. Entendi depois que este é na verdade, o tipo de obreiro considerado derrotado. Ele não tem nada a oferecer, portanto descartável no sistema. Ele não é politicamente interessante, ele não tem amigos influentes, seu trabalho ministerial é sempre realizado nos chamados "campos de prova", ele terá que conquistar seu espaço. Aí sim, quando ele estiver em alguma igreja onde possa oferecer a quem quiser trocar com ele de campo, um bom salário e outras tantas vantagens, ele será o cara! Aí ele terá o "privilégio" do aperto de mão com sorrisos do Pastor X, Presidente da Convenção Z.
Neste mesmo dia vi a lista de mudanças de campo realizadas na última AGO. O vício não tinha acabado. Quem dirige campo do nível "A" (grandes cidades com grandes igrejas), só tem chamada para outro campo do nível "A" ou, então, chamada para continuar onde está, enquanto que, quem dirige campo de nível "C" (cidades pequenas com igrejas pequenas ou em formação), é cria dum sistema que o classificou como obreiro de nível "C" e acabou. Porque? Porque quando o Pastor do campo de nível "A" faltar, o Presidente já tem um dos seus. Quem são eles? Aqueles que rodaram o Estado em suas campanhas, que lhes defenderam ardorosamente, fazendo por mero interesse.
Saí naquele dia sem perspectiva e sem esperança de dias melhores para aquela instituição. Apesar de conhecer homens de indubitável integridade naquela "casa", o grito deles tinha ecos que só reverberavam nos bastidores do sistema.
Mas o que fazer? Quando Lutero pregou as famosa 95 teses, ele queria apenas discutir com os capazes de argumentação, representantes de sua sociedade, as possibilidades do começo de um processo que levasse à mudança da igreja que ele amava. Acontece que o sistema do qual fazia parte e no qual teria acreditado e dedicado sua vida, seus estudos e formação filosófica e teológica, não estava aberto ao diálogo. A conhecida alcunha de herege lhe foi inevitável, ao que surgiu o movimento do qual dizemos pertencer.
Mas já desde os seus dias, o movimento que surgiu de sua coragem de questionar o sistema mais poderoso do mundo, também divergia, e outras reformas foram feitas.
Enquanto não tivermos a coragem de questionar este sistema déspota e anti-bíblico, que não atenta para o rebanho e não preza a razão para a qual fomos chamados, seremos apenas os pais do cego de nascença que, por medo do sistema que persegue e estigmatiza, não defende o que pensa e deixa seus filhos fazerem suas próprias defesas, com a desculpa de que são emancipados socialmente e ficamos a vê-los sozinhos tentando mudar o "imudável".
1 Tm. 3:1-7 traça o perfil do pastor, do bispo. Ele está cada vez mais raro neste sistema que estamos alimentando com nossa omissão.

Líderes de Missões da Adesal Reunem-se para Relatórios, Informativos e Perspectivas para 2011.


Pr. Dário incentivou os líderes a continuarem firmes
Num clima de agradecimento a Deus pelas vitórias obtidas em 2010, foi realizada a primeira reunião para Coordenadores e Secretários de Missões da Semadesal, ontem, 31 de março às 20:00h., no 3º andar da Adesal Liberdade. Além dos já alistados cooperadores da causa missionária, estavam também novos Coordenadores e Secretários de Missões, e Missionários de Base e os que estão "na" Base.
A reunião foi aberta com louvores e uma reflexão bíblica feita pelo Pr. Adailton Barbosa, missionário no Chile e que está na Base para cuidar da saúde e rever familiares, com retorno ao campo previsto para 29 de abril.
O Pr. Dário Gomes, Diretor Financeiro da Semadesal, coordenou a reunião e trouxe relatórios de vários missionários, entre eles, a Miss. Edvaldina que agora assumiu uma nova tarefa em Boa Vista de Roraima, onde auxilia a Assembléia de Deus e desenvolve evangelismo entre os índios Macuxis.
Miss. Adailton trouxe a mensagem
Pastor Dário apresentou os Missionários que chegaram recentemente do campo e explicou que já se convencionou entre as agencias missionárias que o missionário transcultural deve ter um período de, pelo menos, um ano de descanso após três anos no campo missionário, como é o caso do casal de missionários Jair e Deny, há quatro anos em Guiné Bissau e que passaram por sérios problemas de saúde e desgaste físico e mental. Já a Miss. Iraildes que, apesar de ter vindo ao Brasil para casar-se, viveu o drama do terremoto que abalou o Haiti em janeiro de 2010. Além disso, o Haiti este ano, foi brutalmente atingido por uma epidemia de cólera, o que forçou o prolongamento da estadia da missionária e seu esposo, Miss. Lucson, no Brasil.
O mesmo pode se dizer do Miss. Eduardo que já estava a cerca de quatro anos na África do Sul, onde sua saúde foi abalada devido sua baixa imunidade, tendo, também, que passar por uma cirurgia. Ao chegar na Semadesal, o missionário foi imediatamente encaminhado para um tratamento dentário e assistido em outras necessidades.
Missionários e colaboradores
Durante a reunião, falou-se ainda da necessidade de melhorar as ofertas missionárias e de os líderes estarem atentos para falsos boatos que objetivam enfraquecer o trabalho sério que vem sendo realizado pela Semadesal, Coordenadores, Secretários de Missões e membros da Adesal.
Ainda na pauta estava a realização do Treinamneto de Líderes de Missões, agendado para 21 de maio e a Feira das Nações em Setembro deste ano.
Ao final, vários Líderes de Missões se manifestaram acerca das dificuldades que sentem em suas respectivas congregações e pediram auxílio à Semadesal no sentido de melhorar seus desempenhos na tarefa que lhes foi confiada. A Miss. Andréa Reis, Secretária da Semadesal, fez o cadastro dos presentes e lhes dispôs relatórios e informativos.
A próxima reunião ficou marcada para 29 de abril.