17 de abr de 2012

No Brasil é Assim: Candidatura é Lançada Para Atender Interesses dos Partidos...E Nada Mais.

Foto: Blog do Estadão
Francisco Everaldo Oliveira Silva, o palhaço Tiririca, um dos Deputados Federais mais bem votado do país, cuja capacidade de ler foi questionada, e a de legislar até agora é um incógnita, aceitou proposta do PR de lançar a pré-candidato à Prefeitura de São Paulo. Motivo? Pressionar a Presidente Dilma Rousseff a devolver à legenda, o comando da pasta dos transportes; e nada mais. O próprio Tiririca, no alto da sua, talvez humildade, declarou: "Eu não estou preparado para isso..." Isso, todo mundo já sabia.
Que o Deputado Everaldo é uma figura importante do humor brasileiro, ninguém tem dúvida, ele é extraordinário em sua arte de fazer rir, afinal, ele é o "palhaço" Tiririca. Mas o que lamento é que gente boa como ele, talentosa naquilo que faz, confunda "as bolas" e, para garantir um lugar ao sol, ocupe as cadeiras da legislatura nacional, na casa onde passam decisões importantes do legislativo brasileiro.
Infelizmente o brasileiro ainda não leva a sério sua tarefa de votar; daí Tiririca vir a calhar na hora mais importante, aquela que pode decidir os destinos desta nação: a hora do voto. A Câmara Federal está cheia de "palhaços", "mulheres frutas", "boxeadores", "jogadores de futebol", e falta cada vez mais os idealistas, aqueles que tem um projeto, que sonham por seu povo. 
A notícia do lançamento da pré-candidatura de Tiririca é um atentado à inteligência do brasileiro, um deboche com os problemas deste país, uma agressão aos conceitos mais elevados da arte de fazer política, um desdém com o povo querido de São Paulo. É transformar a República Brasileira numa anedota das mais engraçadas, tão engraçada quanto àquelas contadas pelo humorista Tiririca.
No blog do Estadão, a postagem de Eduardo Bresciani, dá a entender que o parlamentar em questão, entendeu que fazia parte de um "jogo do PR" e que "vai focar sua atenção em projetos que apresentou na defesa de artistas de circo".
Pois é, o "jogo do PR". É assim que funciona. O que está em questão não é o povo e seus interesses, mas o "jogo" dos partidos. Neste caso, parece conveniente, sem ofensas, usar o "palhaço", que por sua vez, se por ignorância ou por ganância, entra no tal "jogo" e, no final, tudo é circo e uma grande piada, daquelas que olha para o brasileiro e diz: "Ô menino lindo!".

Nenhum comentário: