29 de ago de 2012

Um Povo Que Luta Para Ficar de Pé

Conferência Missionária na Adesal Nova República
Abrindo minha agenda hoje, fiquei lendo os compromissos, os contatos e os nomes de quem me convidou. Passei a lembrar dos compromissos passados e dos eventos de missões, encontros de jovens, palestras, seminários, etc. e fiquei pensando como o povo da Assembléia de Deus em Salvador, luta para continuar de pé, apesar de tantas intempéries enfrentadas pela instituição. Hoje, encontrei uma jovem da Congregação de Bairro da Paz V e ela contou-nos que, depois de muitas dificuldades, a igreja conseguiu construir seu templo e se expressou dizendo: "o povo está esperançoso!". O sorriso no rosto daquela jovem foi para mim, como o lampejar da expressão de esperança, fé e altruísmo dessa gente que prossegue, que consegue tirar de dentro de si uma certa resiliência e continuar a ostentar a bandeira do Evangelho.
Gostaria que a maioria dos nossos líderes (Diretoria da Igreja e Pastores Setoriais, principalmente) conseguissem ver isso. Gostaria que parassem para pensar que esta gente é que são os maiores responsáveis pelos empreendimentos de fato, da instituição. É essa gente que investe tempo e dinheiro naquilo que acreditam. São eles que fazem funcionar esta máquina mal gerida. São eles que agem com mais responsabilidade do que a maioria dos que se chamam líderes.
Eles lutam para ficar em pé, são fiéis mesmo acumulando inúmeras razões para não serem. Eles na verdade, perdoam e oram por seus Líderes. Vejo bravas mulheres em nossos Círculos de Oração fazendo incansáveis petições pelo "ministério"; Diretores, Coordenadores e Líderes de Departamento em uma luta desfavorável para cumprir a tarefa que lhes foi confiada. Superintendentes de Congregação que não deixam que os erros de seus líderes interfiram em sua missão de pastorear e honrar o nome de Cristo e da instituição.
Outro dia estava na Adesal Dique do Tororó e vi a maneira simples e humildes como o Evangelista José Maia trata suas ovelhas, seu cuidado para com uma jovem arrancada das mãos do crack e cuja mente ficou debilitada! Sua fala em favor da obra missionária e seu entusiasmo ao convidar o povo para a evangelização. É um povo que luta para ficar de pé. De pé diante dos episódios de irresponsabilidade e das insanas guerras travadas em nosso seio.
Vejo templos em condições precárias de funcionamento abrigando uma gente alegre, que busca apenas adorar a Deus e serví-lo de todo coração. Um povo que passa por cima da indiferença de quem deveria cuidar e atentar para as necessidades e clamores dessa gente que luta para ficar de pé.
Mas, as coisas não duram para sempre. Nossos líderes (nem todos) pensam que terão para sempre esta fidelidade, brincam com os sentimentos e ignoram que tem gente com a taça da tolerância prestes a transbordar, em seu limite.
Enquanto isto, entregamos os postos mais relevantes de nosso ministério a incapazes e mercenários, negociamos e pagamos favores com o santo ministério. Esta tem sido a prática mais comum não só em Salvador. Isto não é um problema de CONFRAMADEB ou CEADEB, é um problema na Assembléia de Deus neste Estado. 
Parece que vivemos aquele conto dos habitantes de um palácio que vive para manter seu status quo às custas dos altos impostos e da exploração dos desafortunados e ingênuos trabalhadores. Mas quem dá uma volta pelo reino e visita uma humilde aldeia deste sistema corrupto, encontra comunidades alegres, que aprenderam a conviver com o pouco e sequer imaginam que são massas manipuladas por sagazes senhores.
Não dá para continuar a ignorar esse povo que luta para ficar de pé. Isto precisa mudar!

Nenhum comentário: