13 de mar de 2012

Homofobia ou Evangelicofobia?

Neste país, todos os seguimentos da sociedade se dizem vítimas de preconceito e discriminação. Outro dia ouvia uma certa dupla sertaneja se dizer vítima de preconceito, pois se sentiam hostilizados em relação ao seu estilo de música. O pessoal do funk faz o mesmo discurso. E o que dizer dos negros? As organizações que defendem os direitos dos afro descendentes dizem que nossa nação ainda está no processo de conquistas dos tais direitos. Várias classes de trabalhadores gritam aos quatro cantos do mundo o mesmo bordão: "preconceito, discriminação". O movimento feminista tem sua representação na política. Este seguimento, por exemplo, decidiu resolver o problema do preconceito e da discriminação arrogando para si o chamado "direito de igualdade", seu opressor não tem nome, mas chamam-no de "sociedade machista". Para as feministas, o crime de "machismo" é cometido também pelas que fazem parte do time do "sexo frágil" (ops, esta é outra expressão inadmissível no meio), aquelas que pensam como esta sociedade!
Nunca porém, a questão do preconceito e da discriminação ganhou tanto espaço na mídia e na internet, bem como em encontros, debates, etc, como agora. A discussão é alavancada pelos movimentos de orientação gay. Com o famigerado discurso da homofobia, ganharam a atenção do país e pretendem convencer a nação de que são vítimas rebatendo-se num calabouço de ódio, preconceito e discriminação, ansiosos para garantir seus direitos, direitos que já lhe são assegurados pela Carta Magna deste país, independente do chamam de "orientação sexual".
A tal PL 122, aclamada por eles e questionada por quem tem o direito de faze-lo, ainda não estar em vigor, mas estamos assistindo de camarote, a ditadura gay praticar, principalmente contra os cristãos, a mesma discriminação e preconceito de que se dizem ser vítimas. Depois de tentarem proibir símbolos religiosos em tribunais gaúchos, agora é a vez de atacarem os serviços de capelania hospitalar feitos por evangélicos. Não, não importa quão salutar tenha sido o tal serviço, não importa a multidão de almas consoladas, abraçadas e restauradas. Para eles, o importante é a guerra insana contra quem pensa diferente em relação ao homossexualismo. Todos nós, principalmente cristãos, temos que pensar igualzinho a eles, caso contrário, uma mobilização nacional com apelos emocionais em nome da chamada e fantasiosa homofobia, é alavancada em nome do direito que só pertence a eles.
Segundo uma postagem do Pr. Josué Lima em Genizah, "o trabalho dos evangélicos nos hospitais está correndo o risco de ser interrompido..." e que "com um tradicional trabalho de mais de trinta anos, e atuante em mais de 200 hospitais brasileiros, a Associação de Capelania Evangélica Hospitalar, numa tentativa de defender seu trabalho e também de alertar a igreja brasileira sobre sua situação, lançou uma nota em seu site convocando todos para um abaixo assinado virtual, como apoio à instituição".
Todos os seguimentos da sociedade, ao se sentirem prejudicados em relação aos seus direitos, devem lutar democraticamente para que os mesmos lhes sejam assegurados. Agora, tolhir os dos outros para garantir os seus, é instalar um estado ditador e déspota, é rasgar a Carta Magna, é se auto proclamar senhores dos que pensam diferente!
Pensemos nisto, lembremos que este ano, especialmente, podemos fazer parte deste processo de fazer valer a Constituição Federal, elegendo quem tem compromisso com a verdade e com o direito de igualdade de cada cidadão deste país, independente de cor, raça, religião, filosofia, orientação sexual, etc. "Todos são iguais perante a lei"! Não podemos aceitar que nossos direitos e liberdade de expressão sejam tolhidos por quaisquer seguimento desta sociedade. 

Assembléia de Deus CONFRAMADEB em Santa Luz Está Forte e em Crescimento.

Estive neste último final de semana, a convite do Pastor Rondinellys, Presidente da Assembléia de Deus Vida em Santa Luz/Bahia, ministério CONFRAMADEB, ministrando no Seminário Teológico da referida igreja e pregando no culto à noite. A igreja fundada pelo Pastor e seu irmão Pastor Rodilys, está em franco crescimento e demonstra saúde espiritual. A prova é a Escola Bíblica Dominical com cerca de 80 alunos matriculados e um Seminário Teológico com cerca de 30 alunos. As aulas do Seminário acontecem no regime intensivo, uma vez por mês. Segundo os pastores, a igreja tem pouco mais de um ano e já conta com mais de cento e vinte irmãos na cidade e com outras quatro congregações, uma delas na cidade de Conceição do Coité, onde o trabalho cresce e prospera. 
Pastor Rondinellys que já pertenceu a Assembléia de Deus CEADEB, diz que resolveu abrir o ministério por orientação de Deus e o fez sob a benção do Pastor que o líderava na época. Os irmãos Rios, como são conhecidos na região de Santa Luz, desfrutam de credibilidade na região e vem conquistando vidas para o Reino de Deus e não precisaram dividir ou causar danos a nenhuma igreja. O trabalho tem uma visão inovadora e ousada e já está em vias de lançar um projeto para a construção da Sede do ministério em Santa Luz. 
A iniciativa do Seminários Teológico está abençoando líderes e obreiros de outras denominações que fazem parte desta primeira turma. Que Deus abençoe este ministério e continue crescendo debaixo da graça do Senhor!

9 de mar de 2012

Portas Abertas Traz a Salvador o Ex Coronel do Exército Peruano, Preso Oito Anos Por sua Fé em Cristo


O Pastor Davi de Vinatea estará em Salvador a partir do dia 10 de março testemunhando dos motivos que o levou a ficar oito anos preso por causa de sua fé em Cristo no Perú. Sua presença aqui é em nome de Portas Abertas, órgão que auxilia a Igreja Perseguida em todo o mundo. Abaixo, sua agenda e um vídeo para você que não poderá vê-lo testemunhar em uma das igrejas aqui em Salvador:

10/03 - Igreja Batista Metropolitana no Encontro Regional de CL's (Correspondentes Locais) e voluntários do undergound da Bahia (somente para inscritos no programa e interessados), das 14:00h. às 17:00h.
Endereço: Av. Luis Viana Filho, 2.152 - Imbuí
             Igreja Batista Filhos do Rei - Das 18:30h. às 20:00h.
Endereço: Rua Jaime Grave. Travessa Preguinho, 20 - Escada.

11/03 Igreja Batista Metropolitana - Das 9:00h. às 10:30h. e das 11:00h. às 12:30 (Em dois cultos).
Endereço: Av. Luis Viana Filho, 2.152 - Imbuí
             Igreja Batista Sinai - Das 18:00h. às 20:00h.
Endereço: Rua Prof. Artur M. Aguiar, 48, Barbalho.
             Igreja Assembléia de Deus em São Cristóvão - Das 19:00h. às 20:00h.
Endereço: Rua Lauro de Freitas, 53 - São Cristóvão - Próximo ao Salvador Norte Shopping.
Quem ministrará é a esposa do Pastor Davi, a Missionária Chely.

5 de mar de 2012

Mudanças na Mentalidade Missionária da Igreja - Mudanças no Comportamento da Liderança Evangélica.

E na igreja que estava em Antioquia havia alguns profetas e doutores, a saber: Barnabé e Simeão chamado Níger, e Lúcio, cireneu, e Manaém, que fora criado com Herodes o tetrarca, e Saulo.
E, servindo eles ao Senhor, e jejuando, disse o Espírito Santo: Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado. 
Atos 13:1-2

Na postagem anterior falava das mudanças significativas na mentalidade missionária da igreja brasileira a partir das descobertas, pesquisas, investimentos, debates, discussões, etc., acontecidos, principalmente, a partir da década de 80. Tentei discutir também que, tais mudanças, depois de mais de três décadas, ainda estão envolvidas em um processo lento, embora pesquisas americanas apontem um crescimento de 70% em relação ao ano 2000, no envio de missionários transculturais brasileiros. 
Entre as mudanças que ainda precisam acontecer, estão a necessidade de um olhar para nações não alcançadas, tanto quanto para aquelas com as as quais nos identificamos idiomática e culturalmente, e a de estudar, elaborar pesquisar, criar programas, treinar e enviar obreiros às regiões brasileiras com menor índice de pessoas que conheçam o Evangelho.
Dados apontam que no Brasil há cerca de 300 povos e centenas de idiomas, algumas, inclusive, sem tradução da Escritura Sagrada, como é o caso de certas tribos indígenas. No sertão brasileiro há um grito por obreiros treinados e por esforços missionários que atendam também às necessidades sociais. O maior celeiro de missões da atualidade, também é um campo branco para a ceifa.
Hoje, quero falar de mudanças que precisam ocorrer no comportamento protestante brasileiro, a fim de que uma mentalidade missionária sadia seja desenvolvida em nosso meio. 
No capítulo 11:19 em diante de Atos, deparamo-nos com o nascedouro daquela que se destacaria em esforços missionários em seus dias. Fundada por não judeus, Antioquia logo se tornou numa igreja forte e bem servida de sábios homens de Deus comprometidos com o jejum e a oração. Este alto compromisso lhes valeu o privilégio de ouvirem a voz do Espírito Santo.
Vale lembrar as principais lições deste texto:
A igreja de Antioquia tinha líderes preocupados e comprometidos com a comunhão com Deus. O texto do versículo primeiro diz que havia entre eles, profetas e doutores! Tais doutores, homens sábios e inteligentes, não tinham um super elaborado programa de evangelização, tampouco uma estratégia inovadora para missões; mas tinham canais espirituais abertos em direção a Deus! Eles estavam servindo ao Senhor e jejuando. A grande lição aqui é de uma liderança em sintonia com o Senhor, preocupada em serví-lo através de uma vida de consagração. Nenhuma mudança no seio da igreja é possível sem a iniciativa e postura da liderança. A liderança é peça chave para tudo quanto Deus quer compartilhar com seu povo; não é atoa que o Senhor a estabelece!
Como líderes espirituais, não fomos chamados para "embaraçarmo-nos com negócios desta vida" (2 Tm. 2:4), mas a um alto compromisso com a oração e o ministério da Palavra (At. 6:3,4). Esta postura da liderança possibilita o ouvir da voz de Deus, sua direção e seu prazer em relação ao que Ele quer que seu povo faça. Muito não se tem feito em missões porque infelizmente muitos de nós esquecemos este princípio. Ficamos muito tempo ocupados em como alargar nossas tendas, sem se quer imaginarmos que a tenda deve ser alargada para a direção determinada por Deus!
Não estamos aqui para montar impérios ministeriais, para financiar campanhas políticas, para levantar outra bandeira que não seja a do Evangelho. Não fomos chamados para atender expectativas, se não as de Deus. Não podemos perder tempo com disputas e debates (Tt. 3:9), com serviços fúteis na internet (eu estou mudando isto em minha vida), não fomos chamados para gastar nosso tempo em frente à TV, com games e lazer desnecessário. Fomos chamados para servir ao Senhor, para consagramo-nos a Ele, para estar atento à sua voz e obedecer à sua vontade, para sermos canais de sua glória! Se a liderança hodierna não assumir o mesmo compromisso que aqueles líderes antioquianos assumiram diante de Deus, então seremos o que no geral temos sido, uma organização, desprovidos das prerrogativas de um organismo vivo!
Esta é primeira mudança em nosso comportamento. Precisamos fechar as portas para inovações destruidoras. Precisamos deixar de atender as expectativas da grande massa, para atender à expectativas de Deus! Precisamos sair do engessamento religioso criado por nós mesmos com nossos conceitos equivocados da vida cristã piedosa. É hora de entrar na presença do Altíssimo e perguntar-lhe: "o que queres de nós Senhor?, Qual o teu plano para nós em nosso contexto? A quem temos que alcançar agora?"

Continua...

3 de mar de 2012

Mudanças na Mentalidade Missionária da Igreja

Louvo a Deus pelas profundas transformações, a partir da década de 80, ocorridas no protestantismo brasileiro, em relação a obra missionária. As primeiras reuniões internacionais, as primeiras discussões interdenominacionais, os primeiros acordos mundiais em favor de missões por líderes evangélicos, possibilitou o abrir de uma nova visão e o começo do elaborar de estratégias inovadoras que resultaram no envio e investimento em favor de missões.
Agências foram criadas, Secretarias montadas e obreiros se dispuseram à tarefa de fomentação, sustento e envio de mensageiros, tanto transculturais, quanto locais. Novas portas se abriram na chamada Janela 10/40, tão conhecida a partir de 1989, novos caminhos foram traçados, pesquisas foram financiadas, a fim de que conhecêssemos povos não alcançados e até a Igreja Perseguida, esta última, muito desconhecida ainda hoje, de muitos evangélicos nacionais.
Uma pesquisa publicada no Blog do Pr. Luiz Leandro, do Centro de Estudos do Cristianismo Global da Universidade Gordon-Conwell, aponta que o Brasil cresceu em média de 70% em relação ao ano 2000, no envio de missionários. A pesquisa considera que tal crescimento se deve ao fato de o Brasil ter adquirido "um senso maior de responsabilidade pelo mundo exterior, pela estabilidade econômica, por suas conexões de idioma com a África e por um desejo de oferecer uma evangelização que, diferentemente da praticada pelos EUA, não carrega o fardo de invasões", isto é, o Brasil é conhecido como um país amigo de todos os outros, com boas relações internacionais.
Todavia, ainda nos encontramos no processo dessas mudanças, os alvos não foram atingidos em sua totalidade ainda. Quero destacar aqui dois problemas neste contexto.
Primeiro, como bem indica a pesquisa americana, o Brasil tem boas "conexões de idioma com a África", e, acrescento, não só de idioma, mas de cultura e costumes; conexões étnicas profundas. E, por causa disto, um esforço notável tem se percebido para alcançar países como Guiné Bissau, Angola, Cabo Verde, Moçambique e até São Tomé e Príncipe. Guiné Bissau e Angola são o países que mais recebem missionários brasileiros. Angola, por exemplo, está sendo reconstruída por brasileiros. Milhares de brasileiros estão lá, como dezenas de empresas nossas também.
Mas o norte africano, onde se concentra a maior população muçulmana da África, não recebe a mesma atenção! Países como Argélia, Egito, Líbia, Marrocos, Sudão, Tunísia e Somália, este último com 100% da população sob o domínio do islamismo, deve se tornar, urgente, alvo dos esforços missionários brasileiro.
Que dizer da Ásia, em especial o Tibet, sob domínio da China comunista, que nesta semana chegou a exercer controle ao acesso a internet e o uso de celulares. Segundo o site do Estadão, "o anúncio significa que as comunicações via celular e internet, serão monitoradas e censuradas com ainda mais rigor."
E o Irã? Este é famoso pela suspeita de fabricação de bombas nucleares, o que ameaça a segurança internacional e pela intolerância para com outras ideologias, principalmente religiosa. É lá que o Pastor Yousef  Nadarkhani foi condenado a morte por enforcamento, por causa de sua fé em Cristo!
A Igreja brasileira precisa despertar urgentemente para esta realidade! Nossos esforços missionários precisam ter como alvo os povos não alcançados.
Como Secretário de Comunicação da Semadesal (Secretaria de Missões da Assembléia de Deus em salvador), percebo que a igreja atende à visão dos candidatos aos campos missionários e está desprovida de uma visão dada por Deus!
Não podemos mais nos dar ao luxo de viver sem visão de Deus e a serviço de "chamadas" que não atendem o propósito de Deus para estes dias! A igreja precisa buscar urgentemente uma direção do Espírito Santo, precisa gastar tempo na presença de Deus, a fim de ouvir sua voz e receber sua revelação em relação ao mundo perdido.
O segundo problema diz respeito ao interior da nação. Pesquisas apontam, por exemplo, que somente 1% da população no nordeste baiano, é de fé evangélica! O que significa para nós que há uma multidão a ser alcançada nesta região. O pior, não temos órgãos que forneçam pesquisas precisas em relação ao sertão brasileiro, não há programas de estudo e treinamento para obreiros para este contexto, o número de vocacionados para trabalhar no sertão brasileiro, com destaque para Bahia, Piauí e Pernambuco é muito pouco.
Precisamos lembrar que a pesquisa americana citada acima deve levar em consideração a desproporção dos esforços missionários de nossa nação. Enfatizamos demais determinadas necessidades e fechamos os olhos para outras tão importantes quanto estas, gerando assim, uma negligência para lugares onde o Evangelho quase ou nunca, alcança.
A Coordenadora de Missões da Assembléia de Deus em São Cristóvão, Setor 11 da Adesal, diz que "missões é uma questão também, de educação", isto é, a igreja precisa ser educada em relação a missões, devidamente informada. A educação missionária parte do pressuposto de que, a igreja deve investir em ensino, pesquisa, treinamento, campanhas de despertamento, informação precisa e atual, além de uma conscientização da revelação do Espírito Santo para a carência das nações nestes dias!
Concluo dizendo que, apesar de alguns avanços, a mentalidade missionária da Igreja brasileira, especialmente em minha querida cidade de Salvador, ainda está em processo de mudanças, mudanças que vem a passos muito lentos, desprovida de visão bíblica. Entendo que a igreja não pode atender ao grito secular que está em voga, mesmo quando o assunto é missões, ela precisa viver sob a constante orientação de Deus e informada acerca do que está acontecendo no mundo.

Pr. Raimundo Campos
Secretário de Comunicação da Semadesal