30 de dez de 2013

Lições da Derrota de Anderson Silva

O problema da gente tratar de temas como esse é que os "críticos" de plantão, aqueles que sob as lentes de sua filosofia, criam suas definições e conceitos e as publicam como sendo a verdade absoluta, vão logo tentar impedir que pensamentos contrários se manifestem e tenham sua parcela de credibilidade. Mas vamos lá, eis o que penso e aprendo do episódio "esportivo" que frustou os fãs de MMA ou UFC e de Anderson Silva.
Em sua última batalha contra Chris Weidman, o "herói" brasileiro, invicto e detentor do cinturão dos pesos médios, entrou no ringue extremamente confiante, usou e abusou de sua chamada "estratégia", desdenhou do adversário e foi nocauteado! Em entrevista coletiva, o organizador do evento declarou que Silva pedira-lhe uma imediata revanche. A luta foi marcada para a madrugada do último dia 28 para 29 de dezembro. As concessionárias de TV fechada chegaram a vender a exibição da luta por mais de R$ 70,00 e, no dia da luta, as linhas telefônicas das mesmas estavam congestionadas. A expectativa e as apostas em torno da luta superou as expectativas dos organizadores.
A lenda do MMA, o cara mais admirado e respeitado deste tipo de esporte, entrou mais uma vez no ringue para enfrentar o cara que o derrotara em sua última luta. Acontece que Silva lutava contra alguém que pareceu ter sorte da última vez. Entrevistado em alguns programas de TV aqui no Brasil, Anderson Silva tentou tirar da mente dos brasileiros aquela imagem de exaltação e arrogância que lhe foram atribuídas, de auto confiança exacerbada. Disse que aquele suposto desdém fazia parte do jogo e já era uma velha estratégia sua e que em momento de descuido, foi atingido.
Mas Weidman não o via como um cara de sorte, mas como um campeão perigoso, levou a sério seu oponente, estudou seus movimentos e, em entrevista coletiva, disse ter treinado para se defender do chamado chute da "destruição" de Anderson Silva, chute aliás que nocauteara outro campeão brasileiro, o evangélico Vitor Belfort. 
Ao assistir sua entrevista ontem no Fantástico, observei duas coisas básicas ditas por Weidman:
Primeiro: Chris Weidman considerou o oponente, reconheceu suas habilidades e não o subestimou. Reconhecer a força e o perigo que o adversário tem ou representa é fundamental para aqueles que enfrentam batalhas. Esta deve ser uma lição para a vida em comunidade como para a vida espiritual. A super valorização de si mesmo e o olhar de menosprezo para o adversário pode nos levar a derrotas que possivelmente não nos permitirá uma "revanche".
Segundo: Weidman estudou uma das maiores habilidades de Anderson, o chute. Se preparou para defendê-los e criar a impossibilidade de ser atingido. Se fortaleceu e fez da grande arma de seu oponente, um fiasco. Não entrou no ringue despreparado, já conhecia os movimentos do adversário e estava preparado para cada um. Tão preparado estava que se a luta fosse de apenas um round, Chris Weidman seria o campeão de qualquer forma. O Apóstolo Paulo disse que, para não ser vencido por Satanás, não ignorava os seus ardis (2 Coríntios 2: 10,11). Ardil: o mesmo que astúcia ou estratagema. A grande estratagema de Anderson Silva, seu chute da "destruição", foi bem identificada e detida pela defesa de Weidman!
No twitter, Silva agradece aos fãs o apoio e diz sentir muito.
Quero agradecer a todos meus fans e amigos pelas mensagem de suporte e carinho, estou bem e agora…

Brasil sinto muito não queria ter desapontado vocês dei o meu melhor eu juro

21 de dez de 2013

Porque Ninguém Diz Nada?

Vivemos um tempo de silêncio da Igreja. Alguma coisa está acontecendo para mantê-la tão calada e tão conformada! A pregação, instrumento mais poderoso do discurso que condena o pecado, está em falta em nossos púlpitos. A verdade está dando lugar à fantasia e às posturas de suposta prudência. A mentira e os ressentimentos estão em nossa conversa de roda, em nossas notas virtuais e discussões de redes sociais.
Os doentes, magoados e ressentidos se acovardam por trás de seus falsos perfis e não conseguem sentir piedade, muito menos liberar perdão. Suas ideologias estão acima de qualquer mandamento bíblico e a facção da qual fazem parte é o reduto onde está contida a razão, a verdade!
Enquanto muitos se escondem por trás de suas verdades e defendem sua filosofiasinha de quinta categoria, cegos e indiferentes à máxima do Evangelho do Filho de Deus, o amor, confundindo o direito de discordar com a amizade, o amor cristão e o perdão, a Igreja vai ficando cada vez mais em silêncio e cada vez mais rancorosa.
Este é o século da "doutorização" teológica, mas também da burrice espiritual. O intelectualismo teológico anda em linha paralela com a incoerência e com o conformismo. Coloca-se um anel no dedo e nega ao coração o amor! Na parede, pendura-se o Certificado, o Diploma, na vida prática, o carimbo da ambição, da divisão e do exclusivismo.
Nos intelectualizamos tanto, que não nos permitimos aprender, voltar às origens, ao arrependimento e à humilhação. Não, somos muito inteligentes e sabemos o que estamos fazendo (?!)
E neste estado de coisas, nesta via confusa e tortuosa, ninguém diz nada! Ninguém protesta, todos aceitam, acham normal. Parece que se deliciam com a ilusão de um sucesso falso e um clima de falsa paz, vendando os olhos à guerra fria e calada em que estamos, onde pelejamos um contra o outro e todos contra Deus!
Os profetas do Senhor devem estar em algum calabouço, porque, aqueles que ouvimos, profetizam sempre vitória. Parece que são amigos de Hananias (Jeremias 28). Fazem um grande espetáculo público, quebram jugos e proferem uma paz inalcançável. 
Não há ninguém capaz de profetizar contra o altar (1 Reis 13), o altar da ganância, da glória dos homens e das tramas para se levar vantagem em tudo!
Mas afinal, porque ninguém diz nada? Porque nos calamos e cometemos a loucura de andar na contra-mão de Deus? 
Nesta insanidade evangélica, refugiamos-nos em nossas festinhas, encontros, congressos, convenções, nos deliciamos com os gritos eufóricos, emocionalistas, mas sem lastro bíblico e teológico. Dançamos e nos embalamos nas canções, produto da implacável e ambiciosa indústria gospel e repudiamos uma adoração simples e verdadeira para rendermo-nos à "extravagante"!
E ninguém diz nada! O maldito desejo de popularidade impedem alguns, enquanto que a falta de autoridade espiritual domina outros. Tudo decorrente do pecado, da espontânea decisão de negligenciar as ordens do Senhor!

20 de dez de 2013

O Redesenhar da Igreja

Fiquei observando um certo artista com a habilidade de criar os desenhos mais inusitados, fazer vários rascunhos. O que para mim era um desenho perfeito, para ele havia alguma coisa errada e, inesperadamente, amassava o que em minha visão era uma obra de arte. Fiquei pensando: "O que ele procura? Onde está o erro?" Suas formas, seus riscos, os contornos não davam-lhe a imagem que sua mente concebia, que sua imaginação teimava em querer dar asas.
Era como se suas mãos insistissem em dar a forma errada àquilo que seu coração estava planejando e que ele via em sua mente de artista. Aos poucos, seu semblante ficava cada vez mais determinado como se procurasse em algum canto do papel o seu sonho e o lápis era sua ferramenta, a testemunha ocular desta aflição. Custou para, enfim, perceber um breve sorriso no semblante daquele artista determinado que, depois de ir contemplando paulatinamente sua imaginação tomando forma como se houvesse uma sintonia misteriosa entre sua mão e seu coração, pareceu que ia encontrando as linhas perfeitas para aquilo que  sua mente projetou e que agora conseguira transformar nas formas que apresentaria a quem visse aquele desenho, forma original, concebida em sua mente, fruto de sua inspiração.
Passei a pensar em como Deus olha para a forma em que tomou a igreja e o vi como o artista aflito que rejeita as linhas e contornos que não conseguem dar forma àquilo que ele projetou em sua mente! É claro que Deus, neste caso, é o artista que idealizou, criou, deu formas, mas neste caso, sua criação teima em ser um rascunho que não projeta a ideia original.
A Igreja então é como o desenho que ganhou vida, mas quer ser independente, está descontente com as formas, linhas e contornos originais e teima em ser uma arte que foge dos padrões do artista Pai e não consegue, portanto, refletir seu sonho.
Sim, o desenho ganhou vida e tenta se amoldar aos padrões modernos, enquanto que o Artista Pai, ordena-lhe não se amoldar ao presente século (Romanos 12:2). A forma assumida pelo desenho, distancia-se cada vez mais do original e no mundo espiritual dá pra perceber a aflição do Autor e Consumador da Fé (Hebreus 12:2) que, através de sua Palavra, chama atenção, desfaz as formas, apaga as linhas não sincronizadas, e a recria, dando forma correta a fim de que combine com a arte final.
Nunca a Igreja precisou ser "redesenhada" como agora! Precisamos urgentemente amoldarmo-nos ao projeto original do Artista, daquele que nos idealizou "antes da fundação do mundo" (Efésios 1:4), que elaborou uma forma que coadunasse com princípios estabelecidos por Ele em sua Palavra (1 Tessalonicenses 3:13)
O Grande Artista, deseja não somente encontrar fé e vigilância (Lucas 18:8; Mateus 25:13) mas também exclamar de alegria por que aquilo que planejou antes da fundação do mundo, enfim tenha assumido a forma original, surgida em seu coração de amor (Mateus 25:34)!

10 de dez de 2013

BOLETIM MUNDO NOVO, MISSÃO LUZ PARA AS NAÇÕES

Missionários Taciano e Ednalva assumem a Missão Luz  Para as Nações

Depois de mais de dois anos à frente da Missão Luz Para as Nações, o Missionário  Pedro Henrique entregou o trabalho para ir a São Paulo e se preparar para seu casamento. O Senhor nos dirigiu a convidar o casal de Missionários Taciano e Ednalva, membros da Adesal, com formação missionária pela Jocum e vasta experiência em evangelismo e missões transculturais. Foi realmente algo de Deus! O casal ganhou em pouco tempo a confiança e carinho da Assembléia de Deus Luz Para as Nações em Mundo Novo e vem  conquistando vidas e solidificando a Igreja através do discipulado, treinamento e exercícios de comunhão que tem mantido a igreja unida e saudável para glória de Deus!


 Missionários Taciano e Ednalva Começam com Evangelismo e Trabalho Social no Bairro da Floresta

O bairro Floresta é considerado um dos lugares mais humildes de Mundo Novo.
Culto evangelístico no Bairro Floresta
Localizado ao alto da cidade, parte da comunidade é conhecida como Capanga Suja, onde justamente os missionários estão dando continuidade a um trabalho de evangelismo começado pelo Miss. Pedro. Mas o casal foi além e iniciou também um Reforço Escolar gratuito com turmas pela manhã e pela tarde que está conquistando a admiração e respeito da sociedade. Através do Reforço, os missionários tem conseguido levar a Palavra de Deus e já ganhou algumas vidas para Cristo, resultando em um batismo realizado no dia 01/12/2013, onde 7 novos crentes desceram às águas batismais! As mesas e cadeiras foram doadas por mantenedores do casal da Igreja Batista Missões de Pirajá em Salvador e da Igreja Batista Nova Aliança de Catu/Ba. A iniciativa é o começo de uma série de serviços sociais que os missionários pretendem implantar. Veja abaixo, imagens do Reforço Escolar e do batismo:














Terreno Adquirido Com Ofertas de Nossos Mantenedores Espera Ajuda Para a Construção do Templo em Indaí

Depois de quase três anos funcionando em local alugado, o templo da nossa missão em Indaí, Povoado de Mundo Novo, precisa ser construído. A proprietária da casa onde os irmãos congregavam precisou vender a propriedade e isso nos levou a mais uma campanha em Salvador que resultou na compra de um terreno no valor de R$ 5.000,00 ( cinco mil reais). Por enquanto, os irmãos em Indaí estão congregando nos lares e estão ansiosos pela construção do templo.



  

LOUVAMOS A DEUS POR TUA VIDA.

Graças a Deus e à tua generosidade é que conseguimos essas e tantas outras. Obrigado por manter esta obra, por acreditar em nosso trabalho, por confiar em nosso ministério.
Que o Deus Todo Poderoso te recompense de forma extraordinária e que teu coração continue cheio de amor para com esta obra.

Nossos Desafios:

¨ Construir os templos nos Povoados de Indaí e Santo Antonio;
¨ Adquirir um terreno na cidade de Mundo Novo;
¨ Montar a Escolinha de Futebol que funcionará como estratégia de evangelismo às crianças;
¨ Fundar a Creche-Escola que dará estadia e Reforço Escolar às crianças carentes de Mundo Novo.

Para Contribuir



Para falar conosco

CONTATO: PRREIS07@HOTMAIL.COM
WWW.RAIMUNDOCAMPOS.COM
FACEBOOK: RAIMUNDO CAMPOS, EDNALVA SANTOS E TACIANO SACRAMENTO.

25 de nov de 2013

Muitas de Nossas Congregações Estão Reféns de Uma Falsa Pregação

Lá estava eu naquele culto da minha denominação, ouvindo um companheiro de ministério e me sentindo em uma igreja neo pentecostal! Um amigo havia me convidado para aquela congregação aqui na cidade de Salvador. Para não chamar a atenção, resolvi ir sem terno, o traje comumente usado por nós, ministros assembleianos. Me apresentei apenas pelo que sou antes de qualquer coisa: irmão Raimundo, de tal bairro.
A princípio gostei do culto; povo alegre, irmãos receptivos. Porém, o púlpito estava vazio, vazio da Palavra de Deus, vazio das verdades fundamentais do Evangelho e cheio de um discurso positivista, e de gritos e jargões que se repetiam com uma frequência absurda!
Uma mentira estava sendo dita ao povo descaradamente, uma promessa era feita a cada minuto, pior: promessas que Deus nunca fizera nem ao fiel dos fiéis, se é que o tal existe! Observei o semblante dos fiéis. Percebi algumas senhoras mais antigas de olhos fechados e tentei imaginar o que se passava em suas mentes. Tentei acreditar que elas sentiam o mesmo desespero que eu e que tentavam entender aquele estado de coisas e como tudo se diferenciava de, pelo menos, trinta anos atrás!
Observei que aqueles que aparentavam ser crentes mais novos na fé, empolgavam-se com os absurdos ditos naquele púlpito. Os vi como uma geração que está sendo alimentada com um alimento não proveniente de Deus, cuja vida cristã está sendo edificada sobre a areia e pude perceber sua queda e quanto ela está próxima! Uma geração raquítica e carnal, iludida pelo mel deste discurso da Teologia da Prosperidade que também é a Teologia da pobreza espiritual!
Sabe o que é pior? Vamos consagrar mais obreiros despreparados, embasados na desgraçada argumentação de que já teem "x" tempo de Presbitério e que foram indicados na última oportunidade e não puderam receber suas "consagrações"! É de dar nojo!
Esquecemos que a consagração ao santo ministério é, na verdade, o reconhecimento do ministério daquele que diante de Deus e do povo, já é ministro e não o esforço para beneficiar os Presbíteros que um dia foram Diáconos e que, por isso, fazem parte de escala ascendente ao pastorado.
Não se deve ter dúvidas de que Deus pedirá contas, Ele quererá saber, naquele Grande Dia, porque impomos as mãos sobre homens sem chamada ao ministério e porque nos vendemos a um outro evangelho!
Porque, ao invés de proclamar as boas novas de salvação e edificar a igreja com a sã doutrina, traímos nosso compromisso de combater a heresia e proteger o rebanho de falsos ensinos! Ao invés disso, nos tornamos canais de uma mensagem que o Senhor não nos autorizou proclamar!
Basta dar uma volta em muitas de nossas congregações, Adesal ou Ceadeb, para encontrarmos uma igreja que se afastou da doutrina, outrora tão preservada por nossa denominação!
Não podemos mais aceitar e sorrir para esta situação. Não precisamos atualmente consagrar ninguém. Precisamos sim, capacitar e filtrar os que estão como ministros do Evangelho! Identificar os verdadeiros e chamados, proporcionar-lhes treinamento e capacitação e ter a coragem de tirar do ministério o falso, o que nunca teve chamada e só chegou lá por causa de apadrinhamento ou por causa de um tipo de seleção equivocada!
Mas quem fará isso, quem assumirá tal compromisso com Deus? Quem estará disposto a se expor por amor à causa, pela saúde da igreja e pela continuação de uma pregação evangelística e verdadeira?
Nosso povo está caindo nas mãos de uma geração de pregadores meninos e que não tem nada para dar a ninguém! Pregadores vaidosos que acham que a porcaria de sua aparência é que vale. Obreiros preguiçosos com relação ao estudo da Palavra e preparação do sermão. Copiam pregações na internet e não são capazes de chorar diante de Deus, buscando dele sua vontade e revelação!
Voltando à congregação em que visitei: a pregação teve início perto das 21:00h., horário em que algumas pessoas, saturadas pela embromação, começara a sair. Terminou quase às 22:00h. com frases de efeito e uma gritaria histérica que dava dor nos ouvidos e em meu coração um vazio, uma tristeza e um choro na alma, por minha igreja, meus irmãos, reféns de uma mensagem que pode ser de qualquer um, menos de Deus!

16 de nov de 2013

Eleitor de Lula, BarbosaTornou-se Algoz do PT

Por Josias de Souza


Joaquim Barbosa foi caprichoso na execução das penas do mensalão. Poderia ter aguardado até segunda-feira para mandar prender os condenados. Preferiu apressar o passo. Levou trabalho para casa, lapidou os mandados de prisão até tarde da noite, e mandou recolher os presos em pleno feriado. Um feriado simbólico: 15 de novembro, Dia da Proclamação da República. Foi como se o ministro desejasse, por assim dizer, reproclamar a República.
Primeiro dos oito ministros indicados por Lula para o STF, Barbosa chegou ao tribunal graças à coloração de sua pele. Recém-empossado, em janeiro de 2003, Lula incumbiu o então ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos de encontrar um nome para o Supremo. Fez uma exigência: no melhor estilho 'nunca antes na história', queria nomear o primeiro ministro negro do STF.
Thomaz Bastos garimpou um negro de mostruário. Primogênito de oito filhos de um pedreiro com uma dona de casa da cidade mineira de Paracatu, Barbosa formara-se e pós-graduara-se na Universidade de Brasília. Passara pela Sorbonne, fora professor visitante de Columbia e lecionava na Universidade da Califórnia. De quebra, votara em Lula.
Indicado com “entusiasmo”, Barbosa tomou posse no STF em junho de 2003. Decorridos dez anos, frequenta o noticiário como uma espécie de coveiro do ex-PT. Lula procurava um negro. Achou um magistrado. Entre fazer média com o petismo e exercer o seu ofício, Barbosa optou pela lei.
No penúltimo lance do processo, Barbosa levou ao plenário a tese do fatiamento das penas. Fez isso para antecipar a execução dos pedaços das sentenças insuscetíveis de recurso. Prevaleceu no plenário. E impediu que o STF virasse Papai Noel dos condenados que questionaram parte dos veredictos por meio dos famosos embargos infringentes, ainda pendentes de apreciação.
Quarenta dias antes do Natal, em pleno Dia da Proclamação da República, Barbosa mandou para a cadeia uma dúzia de condenados graúdos – políticos, banqueiros, operadores de arcas eleitorais. Coisa nunca antes vista na história desse país, diria Lula se pudesse.
O PT critica as condenações. Dirceu e Genoino declaram-se presospolíticos. Devem a perseguição a Lula e Dilma. Passaram pelo julgamento do mensalão, além de Barbosa, outros sete ministros indicados por Lula e quatro escolhidos por Dilma Rousseff.
Barbosa não foi a única autoridade brasiliense a celebrar o calendário. Dilma também anotou no Twitter: “Hoje comemoramos o 124º aniversário da Proclamação da República. A origem da palavra República nos ensina muito. A palavra República vem do latim e significa ‘coisa pública’.
 Ser a presidenta da República significa exatamente zelar e proteger a ‘coisa pública’, cuidar do bem comum, prevenir e combater a corrupção.”
Embora não tivesse a intenção, foi como se Dilma batesse palmas para o STF e para Barbosa, o magistrado que Lula imaginou que fosse apenas negro.
Por Josias de Souza

15 de nov de 2013

Mariana Valadão no palco do 5º Congresso do DEPAD - Cobertura 2

Foto: Nadiel Souza



A noite chegou e com ela a voz serena de Mariana Valadão que encheu o estádio do Pituaçu, levando os presentes a viver um momento singular de adoração a Deus. Apesar das espessas nuvens que teimam em cobrir algumas estrelas no céu de Salvador, a noite é fresca e torna agradável o ambiente do Congresso que  acontece agora, 21:00h., e que está lotado de adolescentes vindos dos 30 setores da Adesal.
Foto: Nadiel Souza
Mariana Valadão que é sucesso no Brasil com músicas que sempre lembram o Diante do Trono e as composições de sua irmã, a não menos famosa Ana Paula Valadão, tem um jeito próprio de expressar sua adoração e consegue transmitir aos adolescentes a mensagem de suas músicas.
O evento, ao que tudo parece, deve terminar depois das 22:00h., mas também não trará grandes transtornos para quem volta para casa, já que os setores vieram em caravanas e as equipes de apoio do DEPAD estão muito bem orientadas para proporcionar a quem vai ao Estádio do Pituaçu, a possibilidade de assistir ao Congresso sem aborrecimentos.

O Congresso do Depad Já Começou - Cobertura

Foto: Facebook

Eram exatamente 16:00h. quando começou hoje, 15 de novembro, a 5ª Edição do Congresso de Adolescentes da Bahia, realizado pelo DEPAD (Departamento de Adolescentes da Assembléia de Deus em Salvador). Este ano o evento acontece no estádio do Pituaçu que tem capacidade para 30 mil pessoas.
Já na entrada se percebe que este Congresso está organizado e com uma logística bem montada. Os
Foto: Facebook
pastores, por exemplo, não terão dificuldades, já que seus nomes estão numa lista de presença que lhes dão, inclusive, acesso a estacionamento privado.
Apesar do atraso para a abertura dos trabalhos de hoje, o evento começou com oração e muita música na voz do cantor Marcos Nunes que fez a galera adolescente tirar o pé do chão.
Nas arquibancadas, o colorido das camisetas do congresso dava um tom na alegria da moçada que ansiava por viver os momentos do Congresso que a cinco anos ajuda a manter a unidade dos nossos adolescentes e inspira líderes em suas congregações a encarar o trabalho com eles como um ministério.
A tecnologia portátil estava em todas as mãos. A geração que está vivendo a era das novas tecnologias em tabletes, Smartphones, ipad, etc., registrava cada instante como se fossem os preciosos minutos de sua idade adolescente.
O Congresso encerra amanhã à noite e tem presença confirmada de Gabriela Rocha e Mariana Valadão, além do Pastor Enéas Fernandes. 
Nosso blog está fazendo a cobertura e postaremos aqui, logo que encerre o Congresso.

14 de nov de 2013

Vem Aí a Primeira Eleição da Mesa Diretora da Conframadeb

Praticamente já começou a correria em busca de votos para um lugar na Mesa Diretora da Conframadeb. Agora que o número de componentes na Diretoria aumentou, a disputa passa a ser também regional, já que em cada região do Estado a Conframadeb será representada por um Vice Presidente e um Secretário.
Este processo eletivo deverá, como em outras ocasiões, revelar gente boa e capaz, mas, com certeza, revelará também aqueles que só tem intenções políticas e aspirações meramente pessoais e que alimente a gana por holofotes e privilégios. 
As estratégias já começaram a ser montadas e não se fala em outra coisa. O pior é que 2014 será também o pleito para eleições dos Executivos e Legislativos Federal e Estadual e, por causa disto, candidatos a Deputados já começam a dar o tom desta campanha conframadebiana. Promessas, articulações, estratégias, fazem parte deste processo que, ao que tudo parece, em nada se difere daquele praticado nas eleições seculares. 
Minha pergunta é: E os interesses da instituição? E o bem estar da Convenção que tem menos de quatro anos e que ainda está aprendendo, embora esteja também se fortalecendo?
Com problemas precocemente adquiridos nesses mais de três anos, a Conframadeb precisará de uma Diretoria que faça frente a comportamentos que teimam em comprometer o futuro da instituição que tem tudo para ser a Convenção assembleiana com um notável diferencial!
A organização e a moralização deve ser algo a ser levado a sério neste processo eletivo que, em hipótese alguma, deve ser encarado com leviandade e ficar refém de incapazes e gananciosos. O rumo da Conframadeb deverá ser definido com esta eleição; ela será importante e, uma vez eleita a Mesa Diretora, todos nós teremos um retrato do que será os próximos três anos da instituição que luta entre a possibilidade da fragmentação e da consolidação.
Para alguns candidatos, aqueles que já gritaram aos quatro cantos seu nome para os cargos eletivos e que já estão investindo em "santinhos", cartas, chaveiros, calendários etc., o desafio é correr a Bahia, visitar campos e é aí que a lástima começa, pois começará também as trocas de favores, as promessas absurdas, as negociatas, e lamento ter que admitir que as exceções serão muito, muito poucas.
Enquanto isso, preciso lembrar da famosa frase de Martin Luther King: "O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons!" Lembrei-me das palavras do meu amigo, o Pastor Melquisedeque da Cruz, as quais tomo a ousadia de para fraseá-las: "Os bons não podem ficar calados, eles tem que fazer frente a este estado de coisas!"
Interessante é que a reforma estatutária, acontecida no último sábado, dia 09/11, não contemplou uma discussão que visasse regulamentar a ética dos candidatos neste processo, com a intenção de evitar o que todos nós temos certeza que acontecerá.
Todos aqueles que, de coração sincero, desejam que se instale um estado de equidade, ética e de verdadeira fraternidade em nossa Conframadeb, deverão fazer uso do voto para tal, não aceitando benefícios e vantagens pessoais, evitando pensar só em si e pensar na instituição, em sua sobrevivência e na construção de uma Convenção da qual tenhamos orgulho em participar.
Projetos mirabolantes e promessas impagáveis, devem ser rejeitados e posições firmes precisam ser adotadas por cada convencional, para que não continuemos a alimentar  vícios que teimam em perpetuar em nosso meio.
Para o Pastor Abiezer Apolinário, Presidente do Conselho Jurídico da Conframadeb, "a regulamentação do processo eletivo em decorrência da proposta que aumentou o número de componentes na Diretoria da Convenção, não é fácil". Portanto, esta será uma eleição que dará dor de cabeça à Comissão Eleitoral, bem como ao Pastor Abiezer, responsável pela construção do texto que regulamentará este processo.
Resta-nos fazer acontecer, dizer o que pensamos e esperamos com o voto, no mês de março, mais precisamente nos dias 26 a 29.


9 de nov de 2013

A AGE do Presidente

Pr. Israel Alves:
Presidente CONFRAMADEB
Por Raimundo Campos
(O texto reflete minha visão desta AGE)

Instalada para discutir pontos cruciais do Estatuto Social e do Regimento Interno, a Assembléia Geral Extraordinária da CONFRAMADEB, ocorrida neste sábado, dia 09 de novembro no Templo da Assembléia de Deus na Paralela, foi, na verdade, a AGE do Presidente. Dois pontos do Estatuto discutidos na plenária, teve sua interferência na qualidade de membro da instituição, deixando nas mãos do Vice Presidente, Pastor José Pereira Lima, a cadeira de Presidente para tal.
Com a habilidade herdada dos muitos anos que atuou como Vice Presidente da CEADEB, Pastor Israel Alves, defendeu como membro da CONFRAMADEB, a proposta de mandato de 3 anos e direito a reeleição, quantas vezes for necessária, para a próxima Mesa Diretora que, segundo discutido e aprovado hoje, passando a constar no Estatuto, deverá ser escolhida por voto no final de março de 2014.
A proposta contrapunha-se à do Pastor Abiezer Apolinário que propunha 2 anos com direito a apenas uma reeleição, embora após ter ouvido o Pastor Israel, concordou com os 3 anos, não abrindo mão, todavia, do direito a apenas uma reeleição. Embora a votação tenha sido um pouco conturbada por causa dos interesses das partes, a proposta do Presidente prevaleceu em votação com poucos votos de diferença.
Mas o Presidente estava mesmo disposto a defender seus pontos de vista e entrou com mais uma proposta: aumentar o número de componentes da Diretoria a partir da próxima eleição. Enquanto defendia que a nova Diretoria tivesse representações dela em regiões da Bahia, como um Vice Presidente e um Secretário para cada uma delas, o Pastor Abiezer defendeu que se diminuísse o número de componentes na Diretoria. Colocada em votação, a proposta do Pastor Israel ganhou quase que por unanimidade, devido a argumentação do Presidente que, ao meu ver, foi interessante para os obreiros do interior baiano.
Embora eu não concorde com tudo, tenho que admitir que o Presidente da CONFRAMADEB conduziu a AGE de hoje com muita determinação, sem ter receios de manifestar o que pensa, mesmo sabendo que poderia ser mal interpretado.
Pastor Abiezer Apolinário, teve um relevante papel neste contexto, já que é o responsável pela construção
Pr. Abiezer Apolinário
Conselho Jurídico
do texto do Estatuto e do Regimento Interno. Além de explicar ponto por ponto, fez propostas, discutiu-as e fez interferências que dirimiram dúvidas e evitou discursos desnecessários.
Pastor Abiezer foi, na verdade, um moderador, assumindo uma postura a princípio neutra, mas expondo com maestria o que pensa acerca dos pontos que concordava ou discordava.
Mas esta AGE foi também a AGE da democracia, onde todos tiveram direito de se manifestar e também de votar no 2º Tesoureiro. O Pastor Manoel Bonfim foi eleito com 93 votos, enquanto o segundo lugar, Pastor Melquisedeque da Cruz, teve 90. Vale lembrar que o Pastor Melquisedeque não fez campanha, não distribuiu informativos, nem esteve nos corredores a pedir votos. Seus 90 votos, portanto, foram, a meu ver, os mais impressionantes nesta eleição e a meu ver falou mais alto neste processo.
As discussões inflamadas , as contra-propostas, as substitutivas, os contra-argumentos, fazem parte do processo democrático  das AGO's e AGE's ou de qualquer outra reunião desta ou qualquer outra instituição.
Que Deus abençoe a CONFRAMADEB e que cada um de nós Ministros, trabalhemos para o seu crescimento.

6 de nov de 2013

Pela Conframadeb Prometida

Por Raimundo Campos

No calor das decisões que resultaram no desligamento da CEADEB (Convenção Estadual das Assembléias de Deus no Estado da Bahia) de 82 Ministros do Evangelho, esperava-se ansiosamente pela criação de uma instituição que fosse resposta aos desmandos daquela que, ao invés de ser órgão moderador dos conflitos da instituição pentecostal mais antiga da Bahia, se tornara o pivô de uma briga que chegaria a público e teria grande repercussão, principalmente, na internet.
Naquele tempo, homens como o Pastor Carlos Tolentino, então líder do Setor 12 - Tancredo Neves, pedia uma reflexão mais profunda antes da decisão histórica de se desligar da CEADEB. Já homens como o Pastor Felipe das Virgens, conhecido por posições bem definidas e por não temer expressar suas opiniões, manteve-se ligado à CEADEB, mesmo diante dos boatos de supostas ameaças de que poderia ser excluído daquela instituição pelo simples fato de ficar ao lado de suas ovelhas. Felipe resistiu até meses atrás. Sua postura entre os pastores da Adesal é incomum, sua integridade e sua paixão pelo ministério que lhe foi confiado, é exemplo para a nova geração.
Um conflito foi travado durante sérias discussões, entusiasmados discursos e inflamados gritos de uma suposta liberdade. No meio desta balbúrdia, que denunciava um estado de desorientação, medo e temores, esperava-se que a criação daquela que conhecemos hoje como CONFRAMADEB fosse a via de escape para aquele estado de fortes conflitos.
De um lado, a promessa de que estaríamos amparados legalmente pelo direito constitucional de manter-se ligado ou de simplesmente de se desligar de uma associação como aquela Convenção, do outro, as constantes ameaças e a pressão psicológica de que estaríamos sob maldição, maléfica arma de quem entende a liderança como um estado déspota. 
Para piorar a situação, obreiros meninos e interessados somente em seu bem estar, preocupados com seu status quo, tanto de um lado como do outro, aproveitaram-se da lamentável situação para formar seu reduto, chamado equivocadamente por estes obreiros do mal de "ministério".
A isca fora lançada no mar desses "peixes" ambiciosos travestidos de obreiros, tanto no arraial de cá, como no de lá!
A CONFRAMADEB se constituiu na esperança em meio a esta escuridão, vencendo todas as etapas legais em reuniões, AGO's e AGE's da UMADENE (União de Ministros da Assembléia de Deus no Nordeste) e da CGADB (Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil). Tornou-se legalmente uma Convenção, recebeu ministros de várias igrejas na Bahia e hoje tem em torno de 1.000 ministros.
Mas faltando quatro meses para a primeira eleição depois da fundação, depois de três anos, a CONFRAMADEB ainda luta pelo status de salvadora da pátria. Esta ainda não é a CONFRAMADEB prometida. 
Deixe-me dizer: acredito na CONFRAMADEB. Em sua lista de associados temos homens sérios e de respeitável ministério, gente que pode fazer muito por esta Convenção, conduzindo-a a um status de Associação de Homens de Deus e não apenas em mais uma associação transformada em plataforma política e usada para fins pessoais, atendendo aos interesses de homens carnais.
A missão da CONFRAMADEB não é a briga por espaço, não é aumentar o número de ministros ou de igrejas, mas de ser um canal para a promoção da unidade de homens que entendem que a obra de Deus é o que devemos fazer.
A CONFRAMADEB não pode ser mais um redemoinho de problemas financeiros e institucional, esta não é a CONFRAMADEB prometida. Ela não pode se constituir na ponte para chegar do lado das vantagens e dos interesses políticos. Ela não pode ser tratada com desdém. Temos um compromisso moral, ele foi assumido na fundação desta Convenção e nosso olhar não pode perder este foco.
Portanto, aos companheiros que hora se candidatam a algum cargo na Diretoria de nossa CONFRAMADEB, não o façam por meros interesses, por desejos infames de glória ou por posição, não o façam se a vossa capacidade está aquém do que exige este momento de nossa história, não o façam se serão apenas mais alguém na cadeira, se serão mais uma caneta a assinar e corroborar atitudes insanas e irresponsáveis.
Não precisamos de grandes projetos e mirabolantes eventos, precisamos de seriedade e da simplicidade de atos que contribuam com o crescimento da prometida CONFRAMADEB. Precisamos de apenas reordenar e redirecionar, estabelecer alvos precisos e, planejadamente, cumpri-los. 
Se apoiaremos o atual Presidente, o façamos com a consciência de que precisamos responsabiliza-lo e imputar a ele a honrosa obrigação de cumprir com a promessa de uma CONFRAMADEB que seja aquilo para quê ela foi fundada.
Se não, que o façamos sob as benção de um estado democrático, mas acima de tudo, regido pela lei do amor cristão e da honra que se deve a um Homem de Deus como o Reverendíssimo Israel Alves Ferreira.

Pastor Raimundo Campos
Pela Conframadeb prometida.

AGE da Conframadeb Discutirá Estatuto

Pr. Israel Alves Ferreira - Presidente da Conframadeb
Atendendo aos disposto em seu Estatuto Social, o Presidente da Conframadeb (Convenção Fraternal dos Ministros das Igrejas Evangélicas Assembléia de Deus no Estado da Bahia), Pastor Israel Alves Ferreira, em Edital de Convocação, datado de 01 de outubro de 2013, convocou os ministros da citada instituição para AGE (Assembleia Geral extraordinária), no dia 09 de novembro, próximo sábado, para, prioritariamente, discutir reformas estatutárias em 16 artigos.
Obedecendo a uma programação que deverá começar às 09:00h. da manhã com um devocional, esta AGE é importante não só pelo fato das possíveis mudanças estatutárias, mas porque ela acontece quatro meses antes da eleição para a nova Diretoria. 
Obedecendo ao Artigo 33, Seção 1, do Capítulo V, que trata das razões que motivam a Convocação para uma AGE, onde diz: 
"destituir e eleger substitutos dos componentes da Diretoria, do Conselho Fiscal e da Comissão Eleitoral, em caso de vacância, durante o exercício do mandato;", durante esta AGE, acontecerá também a eleição para preenchimento da vaga de 2º Tesoureiro, já que o 1º renunciou e sua vaga  foi preenchida pelo 2º Tesoureiro.
Vale lembrar aos candidatos a 2º Tesoureiro que o Estatuto, no Capítulo IV, Artigo 19, Parágrafo 6º, exige que os 1º e 2º Tesoureiros sejam eleitos "dentre os membros residentes na Sede da Conframadeb".
Segundo a proposta de reforma enviada aos associados, as possíveis alterações não trarão grandes transformações na natureza da instituição e, alguns casos, poderão até melhorar, como é o caso do Artigo 9º, Seção 3, Capítulo II, que trata dos deveres do ministro:                  

"Observar e obedecer o Credo Doutrinário da CONFRAMADEB constante no anexo deste Estatuto, as normas bíblicas, as estatutárias e regimentais, bem como as deliberações da Assembleia Geral, da Mesa Diretora e demais órgãos administrativos, quando estas forem conformes a Bíblia Sagrada e não firam a dignidade e a honra pessoal;"

Possivelmente, esta AGE servirá também como plataforma política, como é natural na história das AGO's e AGE's na Bahia. Muitos candidatos a cargos da Diretoria e Conselho Fiscal já começaram se movimentar e se articular para aquela que será a primeira eleição depois da fundação da Conframadeb.
O Pr. Israel Alves Ferreira, Presidente da Conframadeb, apesar dos constantes ataques sofridos por uma certa Convenção que se constituiu rival desta, conseguiu desde 2010, manter a unidade da Convenção Fraternal dos Ministros das Igrejas Evangélicas Assembléia de Deus no Estado da Bahia, mantendo um diálogo sempre aberto nas Assembléias Gerais Ordinárias e Extraordinárias, conseguindo o respeito e admiração na Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil (CGADB) e fazendo com que subsista, a Convenção que foi ameaçada de sequer conseguir seu registro nos Cartórios de sua Comarca e na AGO da CGADB.
Não resta dúvida que alguns vícios precisam ser urgentemente extinguidos da Conframadeb; vícios herdados da Convenção anterior e que ainda se constituem numa força que impede um crescimento mais acelerado e promissor. Vícios que o Senhor Presidente da Conframadeb terá que ter coragem de fazer frente e confrontá-los como ele mesmo disse em seu pequeno artigo intitulado "Confronto" em seu blog: 
"Não podemos viver sem confrontar ou sermos confrontados...Precisamos de coragem para confrontarmos o mal em nome de Jesus, com determinação e muta fé."

Que cada ministro da Conframadeb tenha uma ótima AGE e que mais uma vez o bem estar da instituição, os valores bíblicos e estatutários defendidos por ela, vençam em detrimento de interesses pessoais e meramente políticos!

esta

31 de out de 2013

Trabalho Missionário em Catu Tem Reconhecimento da Conframadeb



O trabalho missionário que começou em Pau Lavrado, na região de Catu/Bahia, hoje se estende até o centro da cidade levando a Palavra de Deus à região catuense.  Além de ter um forte caráter missionário, é também um dos mais expressivos da Convenção Fraternal de Ministros das Assembleias de Deus no Estado da Bahia, devido à seriedade e compromisso ministerial do Pastor Genilson Reis que, no mês de setembro, realizou o batismo de cinco novos fiéis e a cerimônia de lançamento da pedra fundamental do que será o templo sede da Assembleia de Deus Conframadeb em Catu.
Durante as solenidades estiveram presentes o Presidente da Conframadeb, Pastor Israel Alves Ferreira e comitiva. O batismo foi realizado no Sítio Caminho das Árvores, região de Catu, onde aconteceu também a celebração da Santa Ceia do Senhor, oportunidade em que os novos membros participaram de sua primeira ceia.
Hoje, o trabalho liderado pelo Pastor Genilson já conta com quatro congregações: em Catu tem a sede, a congregação no bairro do Estádio, a congregação no bairro Barão de Camaçari e outra no Sub Distrito de Pau Lavrado.
O Pastor Genilson espera construir a sede própria o mais breve possível e conta com a contribuição daqueles que já conhecem seu trabalho desde que chegou à Bahia e foi trabalhar na região de Caturama, no sudoeste baiano.
A 78 Km de Salvador, Catu é considerada um polo petrolífero próspero da região de Alagoinhas. Mas, como qualquer cidade em desenvolvimento, Catu tem também suas mazelas e necessidades espirituais que só podem ser atendidas com a pregação do Evangelho. É para atender a este clamor que o Pastor Genilson  e sua esposa, Missionária Nara, estão nesta região e já conseguiram expandir o trabalho, fazendo conhecido o nome do Senhor Jesus.
Veja abaixo, fotos do batismo e lançamento da pedra fundamental, ocorrido em 22 de setembro de 2013:











26 de out de 2013

A Mulher do Presidente da Adesal


Desde 2010 que o homem que preside a Adesal (Assembléia de Deus em Salvador) e agora a CONFRAMADEB (Convenção Fraternal de Ministros das Assembléias de Deus no Estado da Bahia), se vê envolto em circunstâncias que geraram insatisfação por parte de alguns, enquanto que outros o ovacionaram como Salvador da Pátria, especialmente no caso Adesal X Ceadeb!
Desde então, o Pastor Israel Alves Ferreira se tornou alvo de críticas e de insultos por parte de gente que preferiu a guerra, o litígio, ao invés do diálogo. Para manter o equilíbrio e a paz entre fiéis, obreiros e ministros da Igreja em Salvador, o Presidente da Adesal escolheu a defensiva ao invés da ofensiva, preferiu abençoar ao invés de retrucar boatos que sempre considerou infundados. Em seu discurso, sempre esteve presente um espírito pacífico e disposto ao debate aberto.
Mas esta postura não é a única coisa curiosa em sua trajetória. Sua esposa, irmã Joilda Ferreira, Líder da UCOADSAL (União do Círculo de Oração da Assembléia de Deus em Salvador) e do DEPAD, Departamento de Adolescentes da mesma instituição, tem sido, sem dúvidas, um marco em seu ministério, mui especialmente neste tempo nebuloso em que vive a Adesal.
Com uma facilidade de argumentação e carisma suficiente entre as mulheres da igreja, a irmã Joilda consegue, com maestria, mobilizar quem esteja interessado em empreendimentos como a Construção do Grande Templo da Paralela, numa época de dúvidas e insatisfações!
Sua habilidade vai além da vontade, chega à coragem! Ignorando os contradizentes e os que fazem questão de se manifestar contra um projeto tão audacioso como o da citada construção, a mulher do Presidente da Adesal vai além do que os atuais diretores da ASSUMO (Associação Subi ao Monte), associação responsável por gerir os recursos arrecadados em favor do grande templo, seriam capazes de fazer!
Para tanto, a esposa do Presidente da Adesal posou em uma foto na internet ao lado de um automóvel doado para sorteio em favor do templo, algo que já foi feito em tempos passados!
Sua presença em frente à Gincana das Mulheres da Igreja, ocorrido no local da construção do templo, nos dias 25 e 26 de outubro, revelou uma liderança que faz falta neste tempo tão delicado da Adesal. 
Enquanto que o grito de seu marido, no que diz respeito à construção que se tornou a marca do descrédito na Adesal, parece se ouvir ao longe, o de sua esposa, soa como um comando aos ouvidos das mulheres da igreja. A organização somada ao entusiasmo e às idéias de Joilda Ferreira, transforma os eventos em que toma a frente, num verdadeiro canal de possibilidades. 
Sua maneira de ver este estado de coisas vividos pela Adesal, é diferente. Irmã Joilda Ferreira articula e mobiliza, contagia e consegue convencer a outros a terem seu olhar.
Em sua página do Facebook, posta diariamente imagens de uma Adesal que muitos teimam esquecer. Uma Adesal forte e que continua realizando coisas no Reino de Deus. Ao lado de Valterney, Joilda Ferreira vem realizando um trabalho que vem levantando a auto estima dos adolescentes da Adesal. A última cartada é a realização do Congresso do DEPAD no Estádio do Pituaçu. Demonstrando entusiasmo e jeito de quem está "tomando posse", Joilda postou a foto ao lado com a seguinte frase: " A Glória de Deus vai encher este lugar! Será dias 15 e 16 de novembro congresso do Adolescentes Depad da Adesal Orem e Participem!"
Mas não fica por aí, Joilda Ferreira é uma empreendedora, investe em novas formas de arrecadar fundos, já investiu e arrecadou ofertas com vendas de lençóis a preço de fábrica e agora vê na Akmos, empresa que comercializa uma certa linha de cosméticos, mais uma oportunidade mercadológica que pode dar certo!
Não precisa entrevistar Joilda Ferreira para perceber e entender que ela acredita no que faz e que faz questão de levantar a bandeira do ministério de seu esposo, o Presidente da Adesal, Israel Alves Ferreira. Aliás, é graças a essa força que encontra sabemos onde, que Joilda Ferreira pode ser considerada uma mulher de fé e garra, que acredita, investe e luta.
Parabéns Joilda Ferreira!

24 de out de 2013

Precisamos de Hermenêutica Urgente Parte 3 - A Necessidade da Interpretação da Bíblia


Por Raimundo Campos



Apesar de Pedro ter dito que "nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação", 2 Pe. 1:20, ele não se referia à interpretação necessária para a compreensão do texto, que é aquela usada de acordo com o princípio interpretativo hermenêutico, usado por Orígenes, de que a Bíblia interpreta a própria Bíblia. Não. Ele referia-se a uma interpretação vulgar, leviana e descompromissada com o que o texto realmente quis dizer.

A Bíblia precisa sim ser interpretada com seriedade, levando em conta alguns princípios que quero destacar nesta matéria. Você pode me perguntar: Se a Bíblia é a Palavra de Deus e Ele é o primeiro interessado a querer que o homem a entenda, porque ela precisa ser interpretada? Porque precisarei fazer uso de métodos interpretativos e de me gastar em pesquisa? Por razões bem óbvias e simples defendidas por qualquer hermeneuta. Antes é bom lembrar que a Bíblia deve ser vista sob o aspecto de sua natureza humana, isto é, apesar de ser um livro de inspiração divina, ela foi escrita por homens falíveis, com recursos limitados e seus escritos estiveram sujeitos às circunstâncias terrenas; e, sob o aspecto divino: foi inspirada por um Ser Supremo, de mente infinitamente superior à dos homens e que vive num estado de pureza e santidade inimaginavelmente acima. 
Hoje, quero destacar as razões pelas quais devemos nos esmerar em interpretá-las, sob o aspecto de sua natureza humana:

Primeiro: estamos distantes temporalmente dos seus escritos originais e de suas cópias originais. Te explico: Os textos foram escritos a centenas ou a milênios de ano. É claro que se perderam os originais e muitas cópias já não existem mais. Acredita-se que o livro mais antigo da Bíblia tenha sido escrito a cerca de 4 mil anos e o menos antigo a cerca de 2 mil anos! Então, a Bíblia é um livro antigo e que precisa ser compreendido, interpretado e estudado, levando em conta de que é um livro de mais de dois mil anos!

Segundo: estamos distantes da Bíblia contextualmente, isto é, ela foi escrita no contexto do antigo oriente, numa cultura tão distante de nós, que algumas já até desapareceram ou foram substituídas por outras. Está claro que quem a escreveu, o fez sob circunstâncias de tais culturas!

Terceiro: estamos distantes da Bíblia liguísticamente. A Bíblia foi escrita no hebraico, aramaico e grego e em tipos desses idiomas que não se falam mais hoje em dia! Tanto o hebraico quanto o grego modernos, não é o mesmo bíblico. Quem entende melhor de grego do que eu diz que, o grego bíblico, do Novo Testamento, era o "Coinê", e o moderno é o "Demotikê". Já o aramaico é uma língua morta e que acredita-se que algumas tribos distantes da civilização, no oriente, ainda fale esse idioma! Logo, os textos sagrados precisam ser traduzidos para a língua de quem os estuda, respeitando princípios gramaticais da língua original e idéias dominantes nos textos, sob a ótica cultural e gramatical.

Quarto: temos um distanciamento autorial dos escritos sagrados. Todos os autores já morreram, não podem ser consultados. Os escritos da Bíblia não é como a matéria de um jornalista de O Globo, cujo autor possa ser entrevistado ou consultado para dirimir dúvidas de seu texto, ou como o autor de um livro lançado recentemente no mercado e que possa ser inquirido por seus leitores acerca de suas idéias e pensamentos quando o escreveu! Não. os autores da Bíblia não podem nos esclarecer nada. Portanto, uma pesquisa responsável e séria precisa ser feita, uma exegese, um dissecar do texto, para entendê-lo!

Diante do exposto acima, devido às distâncias temporal, contextual, linguística e autorial, precisamos criar uma ponte que nos ligue à Bíblia sob o aspecto de sua natureza humana, e isso só é possível a través de uma interpretação que leve em conta esses distanciamentos, entre outras regras necessárias.
Aí entra a tarefa do intérprete, aproximarmo-nos do texto sagrado, romper esses distanciamentos e nos dizer o que Deus, em determinados textos nos quis dizer!

16 de out de 2013

Uma Mulher, Um Conflito e Uma Atitude Sábia

Por Raimundo Campos



"Então, Ana se levantou, depois que comeram e beberam em Siló; e Eli, Sacerdote, estava assentado numa cadeira, junto a um pilar do templo do Senhor. Ela, pois, com amargura de alma, orou ao Senhor, e chorou abundantemente" 1 Samuel 1:9, 10
Não era normal uma mulher no templo cumprindo suas devoções. Geralmente, elas nem participavam de atividades litúrgicas, muito menos dedicavam-se a momentos a sós no templo a não ser que estivessem com o marido. Esse é provavelmente um dos motivos pelo qual Eli achava difícil Ana estar em juízo perfeito. Um outro, é que o tipo de celebração feito por Elcana diante do Sacerdote do Senhor uma noites antes,  envolvia bebida e, talvez, aquela mulher solitária tivesse passado um pouco da conta!
O fato é que Ana não estava ali por nenhum dos motivos especulados aqui. Ana convivia com um conflito que lhe havia reservado certas tribulações em sua vida.
O versículo 6 do primeiro capítulo de 1 Samuel diz que o Senhor lhe cerrara a madre! Isto era, sem dúvida, uma maldição para qualquer mulher judia. A mulher no contexto judaico era criada para os afazeres domésticos, a obediência ao marido e para lhe garantir a posteridade. Não dar filhos ao marido, era deixar-lhe sem herdeiro, quem desse continuidade ao seu nome!
Além disso, Ana tinha que conviver com a ideia de presenciar seu marido alegrando-se com cada filho que nascia de sua outra esposa. O versículo 4 deste texto diz que Penina, a outra esposa, tinha filhos e filhas! O dia do sacrifício para Ana deveria ser um tormento! Imagine ela observando seu esposo compartilhando da refeição do sacrifício com aqueles garotos, filhos de sua rival.
Mas não era só isso: Ana era provocada pela outra esposa de Elcana. A Bíblia não entra em detalhes, mas podemos imaginar as discussões, as disputas, os olhares provocativos, as palavras ofensivas.
Tudo isto se constituía em pressões para Ana. Esterilidade, provocações, anseios, sentimento de inferioridade em relação à outra esposa, mágoa, angústia, por certo eram sentimentos que ocupavam o coração daquela que foi, mais tarde, mãe do fundador da monarquia em Israel.
Mas é necessário dizer que Ana ainda convivia com a incompreensão do marido. Ele a amava e achava que seu amor era suficiente para que ela se sentisse realizada (1 Sm. 1:8). Mas Ana queria algo mais. Ela também queria se sentir realizada como mãe e não apenas mulher de um marido bondoso. 
É com este coração que Ana comparece diante do Senhor no templo. Gosto quando o texto diz que "Ana se levantou". Neste caso, não é só sair de uma posição física para outra, mas também indica decisão. É como se Ana quisesse dizer: "Chega, de hoje não passa. Vou fugir ao modelo, vou quebrar o protocolo, vou fazer eu mesmo minha petição, vou deixar de lado os rituais, vou extravasar, vou gritar e tirar do peito esta angústia e pedir aquilo que tanto almejo!".
Poderíamos fazer um extenso discurso sobre a oração de Ana, todavia, quero destacar duas coisas: um choro amargo e uma petição ou uma alma amarga, atribulada e um pedido. Ana se derramou diante do Senhor, foi ela mesma, sem rituais, sem sacrifícios, só uma alma anelante por ajuda do Eterno.
Mas aquele não era um pedido para outros ouvirem. Era o grito sufocado em um coração que só balbuciava. O texto sagrado diz que "só se moviam os seus lábios". O pedido de Ana foi:
"Senhor dos Exércitos! Se benignamente atentares para a aflição da tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva não te esqueceres, mas à tua serva deres um filho homem, ao Senhor o darei todos os dias dias da sua vida, e sobre a sua cabeça não passara  navalha". 1 Sm 1:11
Depois de ser consolada pelas palavras do Sacerdote que compreendeu seu estado de amargura, o texto destaca três coisas que aconteceram com Ana.
Primeiro: "a mulher foi o seu caminho..." É como se ela se reencontrasse. Ela seguiu sua vida. Aqueles instantes falando com Deus, chorando suas desilusões e mágoas lhe deu forças para retomar "seu caminho". Era uma mulher levantando sua cabeça, pronta para voltar para a mesma casa onde era provocada e desprezada.
Segundo: "comeu". No versículo 7 Ana está tão depressiva que não consegue comer. Agora não. Ela havia sido renovada pelo mesmo que havia ouvido suas orações. Ela resolveu cuidar de si, sobreviver, deixar para trás seu estado depressivo, voltar á rotina saudavelmente.
Terceiro: "o seu semblante já não era triste". Não senhor! A tristeza agora fazia parte da história de uma mulher que ainda não havia se prostrado diante do Senhor. Ela não era mais aquela mulher. Um fardo havia sido deixado naquele templo enquanto orava.
Por fim, Ana recomeça sua vida, se dá ao esposo em relação sexual e o Eterno se lembra dela!
O que se segue é uma história de cumprimento das promessas feitas em tempo de angústia. Ana por certo não sabia, mas Samuel, fruto de suas orações, se tornou mais tarde num dos maiores líderes espirituais da história de Israel. Ele se tornou juiz, profeta e sacerdote. Foi responsável pela separação do primeiro rei de seu povo, Saul,  e do rei mais amado de Israel, Davi. 
Esta é a história de uma mulher que deixou uma lição extraordinária, que em meio a um conflito desesperador, assumiu uma posição diante de Deus, resolveu orar com todas as forças de sua alma numa atitude sábia e confiante e que se deu a si mesma a oportunidade de viver um novo tempo em sua história de vida!