18 de fev de 2013

Quem Pode Compartilhar da Minha Visão

Recentemente disse a uma amiga que está no campo missionário que ter uma visão ou uma revelação de Deus nem sempre é o suficiente, é necessário saber com quem compartilhá-la. Quem pode ser nosso parceiro no grande projeto que Deus pôs em nosso coração? Muitos missionários se frustram porque acham que sozinhos são suficientes. Basta ter uma revelação e pronto, pode começar a trabalhar. Nem sempre é assim. Tenho visto alguns saírem de nossa cidade, de nosso estado e até de nosso país, com uma visão, uma revelação e vontade imensa de fazer acontecer, todavia, uma vez em campo, descobrem por exemplo, que a autoridade espiritual com quem deseja trabalhar não tem a mesma visão.
Imagine alguém saindo do Brasil para trabalhar com uma igreja ou pastor que não tem a mesma visão que lhe foi revelada! Quão frustrante não será esse empreendimento!Parceiros de visão são necessários. Assim como recebemos a visão ou revelação de Deus, precisamos também que Ele nos mostre com quem compartilhá-la. Quem pode ser nosso parceiro. Quem compreenderá os riscos e as implicações deste projeto! Quem ficará conosco nas horas difíceis e quem não se constituirá em empecilhos em momentos importantes. Quem não nos abandonará quando mais precisarmos!
O Apóstolo Paulo soube compartilhar sua visão com amigos e irmãos. Trabalhou e sofreu com eles, embora alguns o tenham abandonado. No entanto, Paulo sempre soube levar avante grandes projetos em parceria de gente como Silas, Timóteo, Tito, Priscila, Aquila e tantos outros. Paulo gostava de se acercar de gente que pensava como ele em relação ao Reino de Deus (2 Tm. 4:11) e que eram úteis para a visão de Deus em sua vida.
Em Filipenses 2:19 e 20, Paulo diz que Timóteo possuía o mesmo sentimento que ele no que dizia respeito ao cuidado pelo rebanho. Já no versículo 21 Paulo destaca o tempo que seu parceiro viveu com ele e como o serviu. Timóteo era um parceiro de Paulo e de sua visão.
Portanto, o que pretendo dizer é que, não basta uma visão. Não podemos incorrer no sério risco de sair de uma cidade, estado ou país, sem saber onde por esta visão em prática e com quem iremos contar! Talvez você me diga: "mas Pastor, se Deus mandou ir, Ele levantará tais parceiros!" Você está certíssimo, entretanto, seremos nós que teremos que identificá-los, sob a orientação do Espírito Santo! Quero dizer que não podemos sair fazendo aliança com o primeiro que aparece em nossa frente com boas intenções! Que não devemos nos empolgar com grandes estruturas colocadas à nossa disposição. Algumas vezes, os interesses envolvidos nessas parcerias podem não ser espirituais!
Tenho acompanhado trabalhos sérios de missionários que se constituíram em mão de obra gratuita. Pastores que arregimentam "mão de obra escrava" pagas por outros ministérios e, quando o projeto do missionário precisa tomar uma dimensão que vai de encontro com os costumes e os interesses daquele pastor ou daquela instituição, o missionário se frustra e o projeto fica paralisado!
Aconselho a quem tem uma visão, um projeto, uma revelação divina para qualquer lugar, que comece a orar para que Deus coloque em teu caminho pessoas certas, que entendam o que Deus quer fazer através de você. Gente que tenha compromisso com o Reino de Deus e não apenas com estruturas religiosas e eclesiásticas.
Lembro-me que quando era missionário no interior da Bahia, alguns pastores queriam me impedir, por exemplo, de deixar crianças com brincos e maquiagem cantarem num grupo vocal. Eram crianças que eu e minha adorável esposa tínhamos ganhado para Jesus e eles queriam que disséssemos para elas que primeiro deveriam tirar a maquiagem e os adereços. Outros tentaram me impedir de distribuir cestas básicas para a comunidade carente, pois achavam que para ganhar as vidas teríamos apenas, que pregar a Palavra de Deus. Certa vez um outro disse-me que alugaria o pequeno templo onde nos reuníamos com os poucos irmãos, para o funcionamento de uma escola da prefeitura. Nosso sofrimento nesta época foi grande. Foi triste ver o prédio da humilde igrejinha depredado pelos alunos daquela instituição!
Estávamos compartilhando nosso ministério e nossa visão com pessoas erradas! Prometi a mim mesmo que jamais me submeteria aos caprichos de gente que não tem a visão do Reino de Deus! Tínhamos um bom projeto, ânimo e coragem para evangelizar naquela esquecida comunidade do sertão baiano, todavia, tínhamos também, os parceiros errados.
Muita lágrima, sofrimento e aborrecimentos poderiam ser evitados se tivesse ido ao campo missionário com a visão do projeto e a revelação de Deus sobre nossos parceiros!
Tínhamos a Escola Bíblica Móvel, projeto que visava levar as lições da Escola Bíblica para crianças de comunidades distantes do povoados, como fazendas, arraiais, etc. Tínhamos também o Encontro de Mulheres. Minha esposa visitava mulheres não evangélicas e marcava com elas um chá com suas amigas, oportunidade em que compartilhava o amor de Deus. Ganhamos muitas vidas assim!
Mas tínhamos um problema: parceiros errados. O parceiro pode não concordar com alguns detalhes de tua visão, ele pode discutir com você, etc. Todavia, o verdadeiro parceiro, aquele que entende a essência da visão, do projeto, nunca se constituirá em empecilho!
Portanto, ore a Deus e faça como Neemias, revele seu plano na hora certa (Neemias 2:16-18). Tenha gente cujo coração esteja inclinado a trabalhar com você (Neemias 4:6). Monte parcerias que estejam prontas a defender o teu projeto (Neemias 4:16).
Que o Senhor seja contigo...

2 comentários:

Eliel Barbosa disse...

Meu amigo,

Como tem sido difícil. Compartilhar visão é correr os mesmos riscos, renunciando ao poder, ao dinheiro e ao status. A meta é uma vida, uma alma cansada, um coração sedento por Deus, é o combater o bom combate.

Hoje, não dá. Quando propomos uma visão espiritual, o que vem a mente de muitos é, "quem vai mandar?" "que cargo terei?" e "quanto vou receber?". As vidas se perdem, a casa se divide e o povo se destrói correndo atrás de Mamom e de besteirol.

Olhe os profetas da vez. Postam, orgulhosos, suas imagens na internet e, como narcisistas, cultuam suas próprias faces em vez de Deus. No púlpito, sabem manipular as massas e fazê-las rodar no vazio da ignorância sobre o verdadeiro evangelho.

Por sua vez, os ingênuos acreditam em mentiras, rodopiam, gemem, suam e, cansados, retornam para as velhas derrotas que, pela falsa profecia, acredita ter se transformado em "vitória do povo de Deus".

A visão do Reino de Deus exposta na Bíblia não está na moda. Veja a constatação de Jeremias (5:31) - "Profetas profetizam falsidades, os sacerdotes administram de mãos dadas com eles e é disso que meu povo gosta..." Não foi sem razão que o segundo livro de Jeremias foi "lamentações".

Lutar pela visão do Reino de Deus é, hoje, clamar no deserto. Quem ouvirá?

Fique com Deus.

Eliel Barbosa disse...

Meu amigo,

Graça abundante de Cristo sobre sua vida e família.

A visão do Reino de Deus não dá dinheiro, tira; não dá status, submete; não dá controle ao homem, reconhece em Deus. Não, definitivamente, não!

A visão que tem valor em nossos dias é aquela que ridiculariza o ser humano, que lhe tira o dinheiro do aluguel, que não lhe faz crescer, pelo contrário, o escraviza na ignorância do desconhecimento de Deus.

Veja os que compartilham da "visão moderna" estão a oferecer às pessoas na internet (Facebook é um bom exemplo). Futilidades, superficialidade, besteirol e carnalidade. Olhe os profetas da vez, orgulhosos e vaidosos, fazendo pose para a foto e, como narcisistas, adorando se ver celebridades.

Não, definitivamente, Não! A visão do Reino de Deus exposta na Bíblia está fora de moda. Tá difícil encontrar quem queira.

Quem compartilha da visão do Reino de Deus exposta na Bíblia, hoje, clama no deserto.

Fique com Deus.

Em Cristo,

Eliel Teixeira
www.elielt.blogspot.com