14 de mar de 2013

O Que Penso da Carta Aberta da Liderança Protestante Histórica Acerca da Presidencia da Comissão dos Direitos Humanos

 É interessantes como alguns que assinam esta carta (LEIA A CARTA), já criticaram publicamente o Silas Malafaia por se fazer representante dos evangélicos brasileiros, se é que isso é verdade, e agora aparecem cometendo o mesmo errinho medíocre! Nesta fatídica missiva falam dos direitos dos "pobres" (?) e propositalmente omitem o fato de que, quem tem interesse na destituição do então Presidente da famosa comissão, são os ativistas gays. Acusam, como o faz a imprensa comprometida com o marxismo e ateísmo, o Deputado Marco Feliciano de fazer declarações contra os negros! Que desgraça é essa senhores intelectuais? Que tenha feito uma declaração teologicamente absurda, tudo bem, mas racista? Vocês dão atestado ou de burrice ou do que verdadeiramente estão sendo, instrumento de interesses marxistas e petistas! Onde estão os militantes da consciência negra que não se manifestam, onde estão os integrantes dos movimentos em favor de outras minorias que não se manifestam? 
Porque só os ativistas gays chegam ao absurdo de irem até à frente da igreja do Deputado em questão, perturbar a paz do culto, local sagrado constitucionalmente? Cadê a carta de repúdio de vocês a este absurdo? Me façam uma garapa! Vocês são tão danosos quanto qualquer medida que contrarie os chamados Direitos Humanos! Conheço bispos e gente séria do protestantismo histórico que não coadunam com este manifesto hipócrita, de gente como vocês, que ficam no redutozinho de sua classe social, observando sob a lupa de uma teologia e de certas ciências humanas que estão a kilômetros de distancia das Escrituras!
A carta absurda tenta induzir os leitores a acreditar que a Comissão dos Direitos Humanos da Câmara Federal seja a mais importante do país, quando as mais importantes são as de Constituição e Justiça assumidas por parlamentares do PT condenados na CPI do mensalão! Quem discute o assunto na internet e em outras mídias, concordam que há um interesse poderoso, além das vexações dos ativistas gays e dos discursos gayzistas de Jean Wyllys, que neste processo são instrumentos de uma trama petista.
Os que se constituíram como liderança do protestantismo no Brasil nesta carta, usam as mesmas armas dos ativistas gays, fazendo uma interpretação esdrúxula das declarações infelizes de Marco Feliciano, infelizes, mas não racistas ou preconceituosas. 
Não admiro o Marco Feliciano como pregador, acho ele um desastre em questões de homilética e hermenêutica, mas entendo que suas declarações nada tem haver com as acusações oportunistas de quem tem interesse em manter uma pessoa que tem princípios cristãos distante de qualquer posto nesta sociedade com poder de influência!

Nenhum comentário: