4 de mar de 2013

Thalles, Sua Graça e Sua Esquisitice

O Thalles é a revelação da música gospel nos últimos dois anos, disto ninguém duvida. Um estilo novo e letras bem interessantes embalam suas canções que já conquistaram o coração de gente de todas as idades. Ouvi-lo, é agradável. Sua voz é única e é diferente de outros que sempre usam o mesmo gingado.  Por exemplo: se você ouvir Davi Sacer, Fernandinho, André Valadão e tantos outros, vai perceber aquela mesma repetição que eles chamam de ministração e, às vezes, de "espontâneo", fazendo a canção ficar longa com uma letra minúscula, e pior, cansativa.Thalles Roberto fala de experiências de conversão e apresenta Cristo à galera numa linguagem que eles conhecem. Ele mistura rítimo e letra com uma certa graça (de Deus!) e deixa as pessoas entenderem que ele está evangelizando. Ele parece não se importar com o que as pessoas pensam do seu jeito de cantar, pois, como se comporta em um show, se comporta num templo!
Todavia, o cantor parece encantado demais consigo mesmo! Outro dia circulou na internet que ele teria feito um acordo com uma certa rádio para circular numa limusine com um fã sorteado: leia aqui. Apesar de Thalles ter desmentido através de sua assessoria de imprensa, o portal Agita Vale Gospel, publicou que "a promoção era sim de extrema veracidade e de conhecimento da assessoria do cantor". É claro que o boato não prejudicou  o momento áureo em que vive o cantor mais aplaudido nos eventos gospeis, mas a dúvida ficou no ar. 
Mas não fica por aí. O cantor já foi criticado por deixar publicarem um cartaz onde se dizia que ele liberaria uma tal "unção poderosa": Veja Aqui. É claro que eu sei que o cantor não tem culpa dos cartazes que andam fazendo com o nome e a cara dele, mas o certo seria ele observar quem o contrata e para quê. 
Agora o cantor mania do momento lançou um boneco de si, o tal Thalleco! A mídia virtual ainda não comentou o impacto que isso trará ao "ministério" do cantor, mas muita gente já está comentando de forma negativa, como é o caso do polêmico Caio Fábio que disse que "a síndrome de Lúcifer é o que está em curso e, neste caso (do boneco do Thalles), tem contornos de grotesca ilustratividade"
A pergunta que se faz é: mas o ministro do louvor não deveria se preocupar em engrandecer a Cristo e, por conta disto, se diminuir? Não seria essa coisa de boneco um certo narcisismo?
Sabe-se hoje que uma apresentação de Thalles custa R$ 30.000,00. Se for para Prefeituras, o valor dobra: Veja Aqui.
Na verdade, seu comportamento é o reflexo de uma "gospealidade", palavra que inventei agora para denominar este estado de vaidade e estrelismo entre os cantores gospeis! Essa gente começa bem, cantando em qualquer igreja, qualquer evento e depois se perdem nas avenidas escuras da fama e  da glória dos homens e confundem isso com as oportunidades realmente dadas por Deus.
Mas apesar das caras e caretas que sempre costuma fazer em suas apresentações, apesar de suas esquisitices e seus gritinhos, Thalles tem um talento extraordinário e é capaz de compor canções que, com certeza, ficará escrita na história da música gospel brasileira. Fiz uma seleção de músicas que ele canta e que já são conhecidas, pouco ouvidas e as ouço enquanto dirijo. A primeira é uma versão de "Maravilha", trilha sonora do filme "Três Histórias, Um Destino". As outras, na maioria, fazem parte do CD Raízes, puro tesouro!






Nenhum comentário: