6 de jul de 2013

FIEL ATÉ O FIM



Por Carlos Tolentino
Pastor do Setor 11 - São Cristóvão 
da Assembléia de Deus em Salvador.


(...) Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida(...) (Ap. 2:1-11)


“Quem é pois, o servo fiel e prudente(...) (Mt.24.45-51)

Todos nós precisamos ter amigos, aliados e seguidores fiéis. Há aqueles que são amigos de graça, independente de circunstâncias. Vibramos mais por estes. 
Com Jesus não foi e não é diferente. Em muitas ocasiões ele falou e demonstrou a importância que dá àqueles que lhe são fiéis, independente de circunstâncias. Ele não demonstrou interesse por aqueles que visivelmente o procuravam interessados nos pães que multiplicara. “Senhor que horas chegastes, onde moras”. Jesus respondeu: Vocês me procuram não pelos sinais que eu fiz, mas porque multipliquei os pães. “As raposas têm covis e as aves dos céus ninhos, mas o filho do homem não tem onde repousar a cabeça”. Endereço para estes nem pensar. Ele sempre colocou como condição principal para segui-lo, o querer, a opção por ele: “Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo...”. 
Estejamos ligados no seu estilo de ser, fazer e ensinar. Ele se importa sim com nossa prova de amor e fidelidade. “Se me amardes, guardareis os meus mandamentos”. 
Jesus testou a fidelidade dos discípulos em várias ocasiões, e os deixou à vontade para definir-se, e quando percebeu que alguns deixavam de segui-lo, o que o levou a desafiar seus discípulos: “Quereis vós também retirar-vos?”. Pedro representa os demais: Respondeu-lhe, pois, Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna.” (João 6:66-68). Em outros momentos vemos Jesus testando a fidelidade dos seus discípulos: A Pedro: “Simão, filho de Jonas, amas-me mais do que estes...” (Jo. 21.15...). Resposta: “Sim, Senhor; tu sabes que te amo.” (Jo. 21.15); aos dois discípulos no caminho de Emaús: “Fez que ia mais adiante...” (Lc.24.28,29). 
Mesmo que você não esteja entendendo tudo que está acontecendo na sua vida e que o Senhor está permitindo, não desista de segui-lo. Jó também não entendeu, mas, exclamou, “Ainda que ele me mate, nele esperarei...”.(Jó.13.15). Diante de tudo, Jó o adorou. (Jó 1.20-22). “Eu sei que o meu Redentor vive e que por fim se levantará sobre a terra.” (Jó 19.25).
Há os que seguem a Jesus, como certo jovem o seguia envolto em um lençol sobre o corpo nu. E lançaram-lhe a mão. Mas ele, largando o lençol, fugiu nu. (Marcos 14:51,52), ou como os que o abandonaram na sua morte, restando apenas João e as mulheres (Mt.27.56; Mc.15.40; Jo.19.25-27), dois discípulos iam retornando para Emaús (Lc.24.28,29), assim como Pedro que voltou para pescar e outros os seguiram (Jo.21.3).
Sejam quais forem às circunstâncias, o Senhor espera que lhe sejamos fiéis, pois Ele nos foi fiel até a morte e morte de cruz. Ele desafia: : “Quem é, pois o servo fiel e prudente...”(Mt.24.45-51= Lc.12.42-48).
Como está o seu nível de fidelidade com o seu Salvador e Senhor. Ele foi e é fiel até o fim, até as últimas conseqüências. “Tendo amado os seus discípulos, amou-os até o fim...”.(Jo.13.1) Ele tem todo direito de esperar a nossa fidelidade até o fim. Desafia o Senhor a Daniel, “Tu, porém, vai até o fim; porque repousarás e estará na tua sorte, no fim dos dias ”. (Dn.12.13). “A vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito”, confirma o sábio Salomão. (Pv.4.18). 
“Melhor é o fim das coisas do que o princípio delas”. (Ecl.7.8). 
São Cristóvão, julho/2013

Pr. Carlos Tolentino

Nenhum comentário: