16 de set de 2013

Para Líderes: Quando a Conveniência é Salutar



Por Raimundo Campos


A palavra conveniência está relacionada a vantagem, interesse, proveito, utilidade, etc. Ela não é salutar quando relacionada a vantagens e interesses que excluam as prioridades e prejudiquem pessoas ou atividades, projetos ou processos de relevância.
A conveniência é salutar quando atende a interesses comuns, que visem o bem da coletividade, que favoreça o processo, que viabilize o sistema e ampare os anseios e expectativas dos que estão envolvidos com a situação.
Infelizmente, a maioria das pessoas querem dar à conveniência um significado egoísta; conveniência para algumas pessoas é aquilo que lhe traga proveito e vantagem, sem pensar no outro e nos resultados ou nas consequências.
Um líder deve pensar em conveniência como aquilo que resulte em ganho, proveito, vantagem para os seus liderados e para o processo que envolva a sua liderança. Um líder que pensa em conveniência de forma umbilical, é um líder que não consegue ver o todo, de visão periférica e que não vê além dos horizontes.
Um líder deve abrir mão de suas conveniências para investir nas conveniências do grupo, da equipe, de seus liderados. Ele marca reuniões que sejam convenientes para ele e para quem ele vai reunir. Ele investe em empreendimentos que seja conveniente para as pessoas, para o todo, para aquilo que atenda aos objetivos de sua liderança, que esteja de acordo com sua missão e visão. 
Um líder é conveniente tendo em vista o real significado desta palavra. A conveniência só é relevante quando aplicada para si e para o outro, para o todo. 
Líderes que marcam reuniões em locais, dia e hora que lhe convenha, é um líder egoísta e tolo a ponto de pensar que ninguém percebe suas conveniências. Líder que assume planos, projetos, empreendimentos que sejam convenientes pra ele, é um líder fadado ao abandono e aos descrédito, será visto como um egoísta.
Um líder é conveniente com a situação dos liderados, é conveniente com as limitações de sua equipe. Por isso, ele deve estudar muito bem suas atitudes, discutindo-a com todos, tendo em vistas o que será conveniente para todos.
Algumas coisas precisam mais de bom senso do que de discussão. Um simples olhar para determinadas situações, com sensibilidade, atentando para as vantagens e desvantagens, para os lucros e prejuízos e para as consequências, evitará que a conveniência tenha um significado egoísta na vida do líder. Com certeza, lhe proporcionará o desfrutar de mais respeito por parte de seus liderados e será conhecido como um líder que sempre pensou no outro, na equipe.
Líderes que enxergam a conveniência como uma oportunidade que garanta só a ele o seu significado, são líderes mesquinhos e que só pensam nos resultados imediatos, não visualizam o futuro, não respeitam os outros e só conseguem entender a si mesmos.

2 comentários:

paulo disse...

Como alguem pode ser tão cego assim?
Seus escrito são todos pra vcs mesmos!!! isso é incrivel.... vc vivencia tudo que escreve, e isso é o que está em teu inconsciente... acorda amigãoooooooooo

Pr. Raimundo Campos disse...

Obrigado Paulo pela palavra de despertamento. Preciso aprender muito. Não te preocupas não meu irmão estou acordando e pretendo chegar lá. Louvo a Deus por pessoas como você da ADEC que se preocupa em ajudar gente cega como eu da Adesal a ser melhor. Obrigado mesmo! Fica na paz!