10 de set de 2013

Reformas na Adesal

É claro que meu escrito não vai ser lido. Alguns começarão a ler, mas pararão nas primeiras linhas. Porque? Eu digo. Porque uma grande maioria está interessada em um texto polêmico e que envolva a vida alheia. Outros dirão que tais coisas não deveriam ser escritas ou divulgadas na internet, antes deveríamos usar este instrumento virtual poderoso para evangelizar. Os que dizem isso, ás vezes, são os que menos evangelizam, mas vamos lá.
Quero falar sobre a necessidade de uma reforma profunda na Adesal. Reforma? Talvez o termo correto seja reformas. Estou lhe dizendo que meu discurso será rejeitado e mal entendido, porque para alguns, a verdade só pode ser dita desde que ela lhe convenha (pobres coitados!).
A Adesal é a Assembléia de Deus em Salvador; como já disse em uma postagem antiga, a mãe da maioria das igrejas na Bahia e a responsável pelo surgimento da CEADEB (Convenção Estadual das Assembleias de Deus no Estado da Bahia). Fundada em 30 de maio de 1930 pelo Missionário Otto Nelson. A história das Assembléias de Deus na Bahia passa obrigatoriamente pela igreja de Salvador. Daqui saíram os primeiros obreiros para abrir frentes de trabalhos em todo Estado. Os primeiros Presidentes da CEADEB eram também Presidentes da Igreja em Salvador.
Esta igreja ganhou, muito cedo, o respeito nacional. Durante sete anos, de 1949 a 1956, teve em seu quadro de obreiros uma das maiores expressões de vocação missionária e um teólogo finlandês de respeito internacional, o Pastor Eurico Bergstein, que deixou  uma herança de homens comprometidos com a Palavra como o Pastor Jorão Bergstein e o neto Nils Bergstein.
Abrigou a Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil (CGADB), várias vezes, em ocasiões em que decisões mudaram os rumos da instituição nesta nação!
A Adesal sempre esteve comprometida com uma doutrina santa e bíblica, sendo os estudos bíblicos seus maiores encontros e a doutrina do batismo no Espírito Santo sempre foi uma constante entre antigos e novos crentes!
Todavia, um distanciamento da verdade e uma falta de compromisso com a ética, a moral e princípios fundamentais das Escrituras, vem marcando a existência desta igreja. Assistimos de camarote o apagar das luzes de uma era que teima em ficar no passado e parece querer ser apenas um sentimento saudosista de quem  conheceu e de quem sabe como era nossa igreja!
É preciso voltarmos. Uma reforma profunda precisa acontecer! Um reconciliar com a verdade, um deixar da mentira e da hipocrisia precisa começar a acontecer entre, principalmente, nossos líderes.
Não podemos continuar com um modelo de liderança que já fracassou e que já não responde aos anseios desta nova geração.
Precisamos colocar em prática o que pregamos e escrevemos, tornar nossas habilidades úteis neste momento e não ficarmos em nossas reuniõezinhas que só discute o periférico em detrimento do real e necessário. É preciso tirar da posição de liderança os que travam o processo de desenvolvimento e acumulam prejuízos financeiros, morais e espirituais para a instituição.
Temos que urgentemente investir em novas lideranças, treinar novos obreiros, sendo capazes de identificar os verdadeiramente vocacionados e isso pelo Espírito Santo, não por nossas intuições!
Refazer nossa agenda sob a perspectiva do que nos tem preparado o Espírito Santo, submetendo-a à vontade e direção de Deus. Coragem é preciso, pois só chuta o balde ou pau da barraca neste contexto, quem tem coragem de tomar a atitude de agradar a Deus em detrimento dos homens e de um sistema viciado, corrompido.
Essa pregação de que vai dar tudo certo pra enganar os bestas e continuar em um comportamento discrepante daquele que exige o Eterno, só nos levará à destruição.
Nossa igreja tem tudo para dar certo, temos ótimos líderes (apesar da miséria daqueles que trafegam entre nós, verdadeiras ervas daninhas), gente que pode fazer acontecer, mas é só olhar para o Antigo Testamento e ver que as grandes reformas começaram por quem estava à frente.

2 comentários:

ray venut disse...

concordo pastor palavras sabias foram colocadas e expostas pois elas são verdadeiras e alguns nao gostam e nem iram ler porem são verdades que poucas pessoas que pensam ser inteligentes porem(burras) não discutem sobre o caso mas era-mos referencias e hoje perdemos os valores e não temos a mesma verdade que outrora tinha-mos.

ray venut disse...

Concordo plenamente pastor Raimundo
Era-mos referencia de santidade,doutrina,comunhao e amor e etc.
Porem estamos vivendo um câncer dentro da igreja q estar matando oas poucos alguns porem ainda tem aqueles que estao se medicando contra tudo isso trsie por fase que nao quer terminar.