14 de nov de 2013

Vem Aí a Primeira Eleição da Mesa Diretora da Conframadeb

Praticamente já começou a correria em busca de votos para um lugar na Mesa Diretora da Conframadeb. Agora que o número de componentes na Diretoria aumentou, a disputa passa a ser também regional, já que em cada região do Estado a Conframadeb será representada por um Vice Presidente e um Secretário.
Este processo eletivo deverá, como em outras ocasiões, revelar gente boa e capaz, mas, com certeza, revelará também aqueles que só tem intenções políticas e aspirações meramente pessoais e que alimente a gana por holofotes e privilégios. 
As estratégias já começaram a ser montadas e não se fala em outra coisa. O pior é que 2014 será também o pleito para eleições dos Executivos e Legislativos Federal e Estadual e, por causa disto, candidatos a Deputados já começam a dar o tom desta campanha conframadebiana. Promessas, articulações, estratégias, fazem parte deste processo que, ao que tudo parece, em nada se difere daquele praticado nas eleições seculares. 
Minha pergunta é: E os interesses da instituição? E o bem estar da Convenção que tem menos de quatro anos e que ainda está aprendendo, embora esteja também se fortalecendo?
Com problemas precocemente adquiridos nesses mais de três anos, a Conframadeb precisará de uma Diretoria que faça frente a comportamentos que teimam em comprometer o futuro da instituição que tem tudo para ser a Convenção assembleiana com um notável diferencial!
A organização e a moralização deve ser algo a ser levado a sério neste processo eletivo que, em hipótese alguma, deve ser encarado com leviandade e ficar refém de incapazes e gananciosos. O rumo da Conframadeb deverá ser definido com esta eleição; ela será importante e, uma vez eleita a Mesa Diretora, todos nós teremos um retrato do que será os próximos três anos da instituição que luta entre a possibilidade da fragmentação e da consolidação.
Para alguns candidatos, aqueles que já gritaram aos quatro cantos seu nome para os cargos eletivos e que já estão investindo em "santinhos", cartas, chaveiros, calendários etc., o desafio é correr a Bahia, visitar campos e é aí que a lástima começa, pois começará também as trocas de favores, as promessas absurdas, as negociatas, e lamento ter que admitir que as exceções serão muito, muito poucas.
Enquanto isso, preciso lembrar da famosa frase de Martin Luther King: "O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons!" Lembrei-me das palavras do meu amigo, o Pastor Melquisedeque da Cruz, as quais tomo a ousadia de para fraseá-las: "Os bons não podem ficar calados, eles tem que fazer frente a este estado de coisas!"
Interessante é que a reforma estatutária, acontecida no último sábado, dia 09/11, não contemplou uma discussão que visasse regulamentar a ética dos candidatos neste processo, com a intenção de evitar o que todos nós temos certeza que acontecerá.
Todos aqueles que, de coração sincero, desejam que se instale um estado de equidade, ética e de verdadeira fraternidade em nossa Conframadeb, deverão fazer uso do voto para tal, não aceitando benefícios e vantagens pessoais, evitando pensar só em si e pensar na instituição, em sua sobrevivência e na construção de uma Convenção da qual tenhamos orgulho em participar.
Projetos mirabolantes e promessas impagáveis, devem ser rejeitados e posições firmes precisam ser adotadas por cada convencional, para que não continuemos a alimentar  vícios que teimam em perpetuar em nosso meio.
Para o Pastor Abiezer Apolinário, Presidente do Conselho Jurídico da Conframadeb, "a regulamentação do processo eletivo em decorrência da proposta que aumentou o número de componentes na Diretoria da Convenção, não é fácil". Portanto, esta será uma eleição que dará dor de cabeça à Comissão Eleitoral, bem como ao Pastor Abiezer, responsável pela construção do texto que regulamentará este processo.
Resta-nos fazer acontecer, dizer o que pensamos e esperamos com o voto, no mês de março, mais precisamente nos dias 26 a 29.


Nenhum comentário: