28 de jun de 2013

A Necessidade da Conversão

Conversão é a palavra usada por nós evangélicos, para definir nossa experiência com Deus e sua salvação. Este fenômeno religioso é fundamental na teologia protestante e passou a ser requisito primordial para quem deixa de professar qualquer religião para ser protestante!
William Perkins acreditava que a conversão passava pelo "nascer de novo", o que significava uma experiência profunda e que era o aspecto central da identidade evangélica.  A pregação de Perkins confrontava dois tipos de cristãos que foram surgindo na igreja da America colonizada pelos ingleses, em meio à chamada "era da auto-estima": o cristão nominal, que sofre de auto-estima exagerada e que muitas vezes, está cheio de auto satisfação e auto justificação, e que Mark Shaw, em seu livro "Lições de Mestre", disse que o cristão nominal tem certeza de que é tão bom quanto os outros e, portanto, acaba resistente à mudança e ao verdadeiro cristianismo.
O outro, era o cristão neurótico ou nervoso, o que sofre de baixíssima auto-estima e que, apesar das promessas encontradas nos evangelhos, se sentem fracassados e se depreciam. Segundo Shaw, eles não tem segurança de sua salvação.
Perkins defendia "A teologia das Alianças". Para ele, Lutero e Calvino, tinham deixado farto material em obras literárias sobre a justificação pela fé, mas deixaram de explicar sobre como ser justificado! O puritano William Perkins ensinou então sobre a parte do homem no processo da salvação. Ele dizia que a graça salvadora era como a parte invisível de um iceberg, onde, embaixo, está o que Deus faz durante a salvação. Já na parte superior, visível,  está o que se espera ver e o que fazer quando Deus está nos salvando.
William ensinou que os dois lados do iceberg representam os dois lados da aliança da graça. "O lado divino da aliança é o decreto de Deus para salvar, e envolve muitas expressões do amor de Deus, como: eleição, chamado, regeneração, justificação, adoção, santificação, preservação e glorificação. O lado humano da aliança envolve os quatro passos da conversão, seguidos de uma vida de batalha espiritual constante contra o mundo, a carne e o diabo.
Todos os pais da igreja não abriam mão da experiência mais profunda vivida pelos verdadeiros salvos, a conversão. Este fenômeno espiritual processado na alma de quem se rende aos pés do Messias, é elementar para quem decide renunciar o que é chamado de "velho homem", a natureza pecaminosa que, segundo algumas linhas teológicas, este velho homem continua dentro de nós, mas sob a égide do Espírito Santo, para viver o que Paulo, o apóstolo dos gentios, chamava de "nova vida em Cristo Jesus".
Aliás, a expressão "em Cristo", repetida inúmeras vezes no Novo Testamento, é a expressão novo testamentária para o estado de conversão dos cristãos.
Com o crescimento assustador do número de evangélicos e com o surgimento seguido de um crescimento vertiginoso das denominações neo pentecostais, a visão ou o conceito sobre conversão foi mudando. Uma pregação que enfatiza mais o bem estar físico e social do homem foi, aos poucos, substituindo aquela pregação que enfatizava as necessidades espirituais e que tinha a conversão como fator determinante para uma relação estreita do pecador com o seu Salvador.
A pregação da teologia da prosperidade supervalorizou as conquistas materiais e colocou em segundo plano a maior conquista de um homem, a salvação de sua alma. Parece que a voz de Deus continua soando alto: "Louco! Esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?" Lc. 12:20
A conversão é, de certas forma, a passagem de uma vida de pecados para uma vida de santidade, é  entender o estado de pecado em que se encontra o perdido e visualizar em Cristo a única resposta ou a única forma de Deus aceitá-lo como filho. É a porta de entrada para nova vida em Cristo e quem passa pela verdadeira conversão, terá o desejo de seguir a Cristo independente das circunstâncias da vida.

24 de jun de 2013

A MENTIRA DA IMPRENSA SOBRE A ‘CURA GAY’; PR. SILAS COMENTA

A Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara aprovou nesta terça-feira (18) o projeto de lei que determina o fim da proibição, pelo Conselho Federal de Psicologia, de tratamentos que se propõem a tratar a homossexualidade. A sessão foi presidida pelo deputado Marco Feliciano (PSC-SP), depois de várias semanas de adiamento por causa de protestos e manobras parlamentares contra o projeto.
De autoria do deputado João Campos (PSDB-GO), a proposta suspende dois artigos de uma resolução de 1999 do conselho. Um deles impede a atuação dos profissionais da psicologia para tratar homossexuais. O outro proíbe qualquer ação coercitiva em favor de orientações não solicitadas pelo paciente e determina que psicólogos não se pronunciem publicamente de modo a reforçar preconceitos em relação a homossexuais.
Imagem: divulgaçãoPr. Silas comenta:
É um absurdo, uma afronta à inteligência humana, como a imprensa brasileira na sua grande maioria engole tudo o que o ativismo gay promove, como verdade absoluta, sem o mínimo de análise imparcial, sem ao menos buscar a opinião de partes contrárias, como se a verdade absoluta pertencesse ao ativismo gay.
Vejamos:
1) O projeto não visa curar ninguém. E pelo que me consta, a psicologia não se utiliza deste termo “cura”.
2) O projeto tem a ver com Direitos Humanos. Nenhuma entidade de classe profissional, religiosa ou quem quer que seja, pode impedir uma pessoa de buscar ajuda se ela assim desejar e decidir. O que o Conselho Federal de Psicologia fez ao impedir que psicólogos tratem de homossexuais que vão pedir ajuda sobre a sua sexualidade, é uma afronta a Constituição e a própria ciência. Por que um heterossexual pode pedir ajuda a um psicólogo sobre sua sexualidade e um homossexual não? Em que parâmetros científicos e também legais você pode impedir um profissional de ajudar quem o procura?
3) O Conselho Federal de Psicologia está ideologizado pelos “esquerdopatas” e pelo movimento gay. Pasmem os senhores: NENHUM CONSELHO OU SOCIEDADE DE PSICOLOGIA NO MUNDO TEM UMA RESOLUÇÃO TÃO IMBECIL E ESDRÚXULA COMO ESTA. Em nenhum lugar do mundo o psicólogo é impedido de tratar quem o procura. É vergonhoso ver as ciências humanas virarem ciências exatas e servir ao ativismo gay.
4) Um princípio que rege o atendimento profissional a pessoas na área das ciências humanas é que o indivíduo é quem decide se quer ajuda ou não. Em hipótese alguma o terapeuta.
5) Uma outra questão: quem falou que o ativismo gay tem o monopólio do homossexualismo? É a mesma coisa se nós, pastores evangélicos, tivéssemos o monopólio dos evangélicos e por consequência o poder de determinar se um evangélico pode ou não pedir ajuda a um psicólogo porque esta com problemas em relação a sua religiosidade. Claro que nem os ativistas gays, nem nos pastores, temos o monopólio sobre ninguém. É uma afronta aos direitos de cidadania! A pessoa é livre, seja homo, hétero, católico, evangélico e etc, de pedir ajuda a quem quiser.
6) A safadeza da questão é que querem passar para a sociedade como se alguém estivesse obrigando os homossexuais a mudarem o seu comportamento, porque todos nós sabemos que qualquer psicólogo e médico que queira impor um tratamento a uma pessoa que não o deseja, é passivo de punição.
7) A verdade é a seguinte: homossexualismo é um comportamento que um indivíduo pode desejar ser ou não ser, da mesma forma que a religiosidade também é um comportamento do ser humano que ele pode deixar de ser ou vir a ser da religião que ele bem quiser. DIREITOS HUMANOS JÁ! LIBERDADE EXPRESSÃO JÁ!

22 de jun de 2013

EBF no Rio Sena, Setor 32 da Adesal, Enfatiza o Aprender com o Exemplo de Jesus.

Abrindo oficialmente a EBF de 2013.
O Depin (Departamento Infantil) da Adesal Rio Sena, realizou uma Escola Bíblica de Férias com muito colorido, música e com uma galerinha que veio de outras congregações do Setor com suas líderes, regentes e professoras de EBD. Com o tema "Aprendendo com Jesus", a EBF realizada hoje, 22 de junho, na Sede do setor, falou sobre adoração, evangelização, a casa de Deus, obediência, entre outros. Cada congregação do setor formou uma classe de EBD a abordou um desses temas. As crianças do Rio Sena, por exemplo, aprenderam sobre "Aprendendo com Jesus sobre a Casa de Deus" e ouviram as professoras ensinarem acerca do amor de Jesus para com o templo, além de aprenderem sobre a reverência e o cuidado com o local do culto. Já as crianças do Mirantes de Periperi ouviram sobre "Aprendendo com Jesus a Adorar" e aprenderam sobre dedicar seus lábios ao louvor a Deus e a prestar-lhe culto com inteligência.
Aproveitando os adultos que se fizeram presentes, a Coordenadora do Depin no Setor, Rita Anjos, formou uma classe de adultos que também aprenderam como as crianças, a Palavra de Deus.
Cerca de 200 crianças compareceram. Elas dançaram, cantaram, riram e se divertiram numa tarde descontraída e alegre. Estive presente e fiquei feliz com a dedicação não só do Departamento Infantil, mas também dos porteiros, levitas e outros obreiros que entenderam que o evento não era apenas do Departamento Infantil, mas de toda igreja.
Tarefas como: pinturas, colagens e outras, serviram para gravar na mente de cada criança os substanciosos ensinos desta EBF. Além disso, houve muitas brincadeiras e dinâmicas e a criançada se deliciaram com o lanche depois de muito pular e queimar calorias.
A Coordenadora do evento e do Depin, Rita Anjos, fez questão de registrar aquele momento com uma foto que constasse as crianças, as professoras, líderes e regentes e com o Pastor e esposa. Segundo ela, seria para lembrar que valerá a pena realizar a EBF de 2014. Para ver mais fotos, visite nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/familiacamposdosreis


20 de jun de 2013

Protesto? Que protesto?

Foto: Estadão.com.br
Ok, protesto está na moda. Vamos protestar, agora é status, principalmente se disser que não é uma questão de 20 centavos! Não esquecer de colocar esta frase, ela está famosa no mundo inteiro, é capaz de virar grife vestida por celebridades. É isso aí, vamos levantar o estandarte do protesto, fechar as vias, impedir que, quem precisa do mísero emprego que lhe paga um sofrido salário mínimo chegue a tempo e receba reclamações, suspensão e até demissão. Vamos aproveitar que Salvador está um caos, com ruas esburacadas, chuvas persistentes, eminência de greve dos rodoviários, deslizes de terra, mortes por soterramento e vamos protestar, vamos fazer com que alguns percam o tão importante vôo ou o tão necessário buzu do transporte inter estadual ou municipal. Acho que ficaria legal também atrapalhar um pouco as ambulâncias e carros particulares conduzindo moribundos aos hospitais sem leito e sem vaga na UTI dessa Salvador tão bem cuidada pelo neto do Coronel que durante anos a manteve sob a treva da ignorância e do voto de cabresto e que agora lança projeto de infraestrutura para a Copa das Confederações um dia antes do primeiro jogo em nossa abandonada capital. Organizadinho ele, não?
É isso aí, São Paulo e Rio protestaram, porque Salvador não? Ah sim, Salvador fez seu primeiro protesto esta semana em solidariedade às duas cidades mais importantes do Brasil. É, porque que motivo teríamos de protestar se não fosse por solidariedade? Estamos bem, nossa cidade está com os bairros da periferia abandonados, mas está tudo bem, nossos engarrafamentos diários é algo sem importância diante do coitado estado de São Paulo que teve as passagens dos coletivos reajustadas em R$ 0,20, oh desculpe, não é uma questão de 20 centavos, esqueci! Não posso esquecer de dizer isso! Hoje é status, tenho até que mandar fazer uma camiseta com essa droga de frase bem grande no peito e ver alguns olhar pra mim com aquela cara de quem diz: aê garoto! Pois é, a mídia idiota dos programas das manhãs e tardes da tv perdem o tempo caríssimo da TV repetindo velhas imagens desses famigerados protestos.
Protesto é bom e tem que ser feito. Mas essa gente que levanta bandeira de protestos contra a corrupção e indiferença dos políticos, é a mesma que votou em Tiririca, Agnaldo Timóteo, Clodovil, Mulher Melão e outra sorte de políticos artistas, que chegaram lá não porque tinham um projeto para sua cidade, estado ou para o Brasil, mas porque foram levados por essa gente que não pensa antes de votar, gente que confunde a celebridade com o político capaz de fazer mudanças!
Essa turba que grita hoje por um país justo, com menor taxa tributária e etc., é a mesma que votará nas próximas eleições nesses mesmos corruptos que estão aí. Me diga porque Paulo Maluf é um dos deputados mais bem eleitos de São Paulo? Me diga porque Fernando Collor de Melo ainda é um dos políticos mais bem votados desta nação?
É simples, porque na hora do voto o que conta é o que é bom para o dedo que tecla o número do candidato. A maioria está nem aí para o que é bom para o povo. Por isso, não me venham com esta droga de protesto que depreda, tira o direito de ir e vir de quem não quer participar e depois, além de votar em corrupto, corrompe-se diariamente aceitando uma bolsa família que deveria ser dada ao miserável de sua cidade, faz qualquer coisa para se beneficiar recebendo proventos indevidos, paga propina ao guarda, atropela e não socorre, dribla a segurança das boates para entrar sem pagar, leva o troco a mais do coletivo ou da bilheteria de eventos, mente na hora da declaração do imposto de renda.
Sabe mais? Muitos desses protestos tem o dedinho sem vergonha de políticos que pagam a esses manifestantesinhos inescrupulosos e fingidos. Sem falar da galerinha da classe média, usuária de todo tipo de droga ilícita, protagonistas de trotes homicidas contra os calouros nas faculdades, que apareceram pra dizer: "eu nem uso ônibus ou metrô, mas sou contra o aumento!" Me façam uma garapa, e com açúcar, por favor!
Esses políticos corruptos, dignos de cadeia, representam bem uma população indiferente à honestidade e à integridade.