29 de ago de 2013

A Utilização Pecaminosa de Missões


Por Raimundo Campos


Os eventos de conscientização missionária são feitos em número assustador em todo o Brasil. Se tem uma nação que investe em conferências, simpósios, fóruns, seminários, congressos, etc., é o Brasil. Existe uma série deles de norte a sul desta nação. Uma boa parte tem como foco: missões.
Milhões são investidos em passagens aéreas, hospedagens e cachês para Conferencistas nacionais e internacionais. Outros milhões são gastos em megas estruturas, em grandes hotéis e empresas que assessoram super eventos. 
Na maioria das vezes, esses encontros não definem metas palpáveis de investimentos em missões. Eles terminam e a consciência missionária da Igreja brasileira continua a mesma. Novas frentes de trabalhos não são abertas, não há investimentos concretos em candidatos à obra missionária e o Brasil continua na triste estatística de que o cristão evangélico brasileiro contribui anualmente com R$ 1, 34 em missões. O que está acontecendo?
Pr. Thomas e sua esposa Laura Fodor
É claro que existem trabalhos sérios, até de pequeno porte, mas que produzem infinitamente mais que os grandes eventos prometem investir. Caso, por exemplo, do Pr. Thomas Fodor, Reitor do Seminário Teológico Pentecostal do Nordeste que se utiliza da renda do Seminário para treinar, enviar e sustentar obreiros em várias partes do mundo. A arrecadação de recursos é feita através, também, do Parceiros em Missões, uma ONG que está presente também entre tribos indígenas no Brasil . O Pastor Thomas acredita que, apesar das dificuldades da região nordeste do Brasil, a igreja desta região pode fazer muito por missões, por isso investe em conscientização entre os pastores nordestinos, divulgando projetos que já são respeitados por muitas igrejas, principalmente as Assembléias de Deus. O Pastor Thomas esteve conosco no ano passado em nosso 2º Treinamento Para Líderes de Missões da Semadesal (Secretaria de Missões da Adesal - Assembléia de Deus em Salvador). Com bastante humor, comentou que a Assembléia de Deus em Salvador poderia fazer muito mais por missões haja vista seu número de membros!
Pr. Nivaldo Góis
Vale apena citar também o Instituto Paqto, presidido pelo Pr. Nivaldo Góis em Maringá, Paraná. O instituto tem como finalidade formar consciência missionária na igreja brasileira através de treinamentos, utilizando-se do que chamam de Assessoria a Igrejas.
Esses servos de Deus fazem trabalhos sérios e estão longe do glamour das grandes plateias e dos megas investimentos em estruturas e estrelas de missões! O trabalho deles consiste em ação, através de treinamento, envio e sustento.
Todavia, existe no Brasil uma utilização pecaminosa de missões. A causa tem sido instrumento nas mãos de aproveitadores que abusam do sentimento de amor que os fiéis nutrem pela Grande Comissão e realizam super eventos, arrecadam milhares de reais e no final, o que dizem que foi investido em missões, foi na verdade um farelo da última fatia do grande bolo onde muitos se fartaram. 
Alguns líderes, demonstrando uma falta de temor imensa, precisam ter em seu quadro de missionários alguns que fazem missões transculturais, para que as entradas financeiras lhes sejam garantidas. Há casos de igrejas que divulgam uma lista enorme de missionários, mas que os mantém com uma renda insuficiente ou nem mesmo os mantém. 
Os eventos são feitos com um apelo emocional desnecessário! Utilizam-se de imagens antigas, fora da realidade atual para comover o público e garantir a arrecadação. Uma igreja que se diz missionária jamais realizaria megas eventos pagando altos cachês a Conferencistas, hospedando-os em hotéis cinco estrelas! Isto é o uso pecaminoso de missões, é abominação aos olhos do Senhor.
O que mais assusta é perceber que os fiéis contribuem e não pedem conta. Sabe porque? Simples, a maioria, inconscientemente, estão na verdade pagando pela benesse de ouvir uma doce pregação! Eles sairão dali e não contribuirão mais com missões, não se envolverão com nenhuma causa missionária, muito menos serão evangelizadores!
Igualmente pecado é a igreja fazer eventos, cultos de missões e não ter em seu plano orçamentário um percentual para investir em missões. Uma igreja que não investe de suas entradas em missões é uma igreja que prega uma coisa, mas pratica outra. Fundos missionários que vem de eventos e cultos não podem representar o investimento de nenhuma instituição séria. Tais arrecadações devem ser apenas um apoio ao projeto missionário da igreja. A igreja deve ter um plano missionário e investir nele.
A Igreja não pode continuar na esfera da conscientização meramente. Ela precisa ter ações concretas. A obra missionária não pode ser instrumento nas mãos dos bandidos da fé, ávidos por dinheiro e seus momentinhos de fama diante de suas platéias atraídas pelos cartazes bem elaborados divulgados na internet e outros. 

28 de ago de 2013

Igreja Perseguida: Verdade ou Febre Gospel?


Por Raimundo Campos


Segundo o Inforgospel, A história da Igreja Perseguida no Brasil, começou a 35 anos com a divulgação do famoso livro do Irmão André, O Contrabandista de Deus. Uma leitora, a irmã Elmira Pasquini, ficou comovida com as histórias de perseguição à cristãos no mundo inteiro contadas pelo autor do livro, o holandês Anne van der Bijl, conhecido por irmão André.

Irmã Elmira Pasquini
Ainda segundo o site, "sete anos mais tarde, o Irmão André pregou na Igreja Batista da Liberdade, em São Paulo, para cerca de 800 pessoas. Na ocasião, foi levantada uma oferta para o ministério, mas o Irmão André(foto), ao receber a doação, disse: “Usem esta quantia para abrir um escritório aqui”. Assim, em 1978, foi formalizada e instituída a base da Portas Abertas no Brasil."

Em 1995, foi publicada a primeira lista da classificação de países onde há perseguição religiosa. Os cinquenta países onde há mais perseguição se transformam em alvos de oração da igreja brasileira que também realiza o DIP (Domingo da Igreja Perseguida), anualmente. O DIP é uma proposta que objetiva a mobilização das igrejas locais para interceder e divulgar a causa da Igreja Perseguida.
Em Salvador, Marcelo Francisco e a Missionária Andréa Reis, foram  os primeiros a se tornarem CL -
Irmão André
Correspondente Local, uma espécie de mobilizador que divulga a causa da Igreja Perseguida e organiza eventos em favor dela. As imagens divulgadas na internet de violência contra cristãos no mundo se tornou numa espécie de espetáculo para alguns grupos que até chegam a fazer peças teatrais para transmitir a ideia do que se passa na vida da igreja perseguida.
O tema Igreja Perseguida, é um dos preferidos na hora de organizar eventos missionários. Alguns têm a equivocada ideia que sempre haverá uma relação entre missões e perseguição. O movimento em favor da igreja perseguida chegou como uma febre em Salvador. Alguns não entenderam que o movimento é mais que apresentações comovidas de perseguição, mas uma causa que deve ser abraçada pela igreja livre com ações práticas de apoio não só espiritual, mas também financeiro através de doações, apadrinhamentos, entre outros.
Aos poucos, a causa da igreja perseguida vai sendo esquecida e só é lembrada no DIP, evento que muitas vezes se quer é realizado. A causa de nossos irmãos perseguidos não pode se transformar numa febre gospel. A Coordenação de Portas Abertas na Bahia precisa se mobilizar em torno de um projeto palpável e que represente uma ação séria e real em favor da Igreja Perseguida.
Tratar a causa da Igreja Perseguida como uma febre, uma onda que vem e logo se vai, como uma moda do momento, é ser insensível ao que ela representa, é considerá-la irrelevante, é aproveitar-se do "ibop" que ela dá, é não ter amor cristão.
Alguns se utilizam da causa da Igreja Perseguida só porque ela é comovente e atrai atenções, porque sabem que ela provoca lágrimas e indignação, dando assim um tom de evento legal, digno de ser aplaudido. Isso não é amor aos irmãos perseguidos, mas a utilização das  tragédias deles para favorecer seus eventos. É como aquela história das imagens de crianças morrendo de fome em países da África, que são utilizadas para angariar dinheiro e nada mais. Isso não é missões, isto é mercantilizar a desgraça alheia!
A causa da Igreja Perseguida não pode ser uma febre, tem que ser a causa da Igreja Livre com ações concretas de engajamento de lideranças e fiéis em favor de nossos irmãos que, em várias partes do mundo são presos, violentados e mortos por amor a Cristo!

26 de ago de 2013

Não, o avivamento não virá!

Sim, isso mesmo! O avivamento não virá. Não, uma igreja relevante será uma utopia, crentes maduros fazendo e treinando discípulos, será uma fantasia das mentes sonhadoras dos que choram pela noiva do Cordeiro. Uma evangelização eficaz, capaz de alcançar qualquer um que ouça a doce mensagem da cruz, ficará nos projetos dos missiólogos e dos evangelistas.
Nossos templos até poderão encher, nossos shows e entretenimentos litúrgicos até poderão sacudir a carne da platéia ansiosa por espetáculo e por um festival de emoções que fazem explodir a alma, mas nos manterá distantes do nosso Criador!
O avivamento não virá porque nos tornamos ávidos por números e não por conversões. O avivamento não virá porque substituímos a mensagem bíblica pela positivista e transformamos o momento do agir de Deus, em um espetáculo circense. Deixamos de conversar com Deus para bater papo com o diabo em nossos shows de exorcismo. 
Nossas lideranças deixaram de se reunir para orar e estudar a Bíblia ou ainda discutir em como alcançar sua comunidade para Cristo, para fazer conchavos políticos e discutir suas rendas, riquezas e dívidas, até o ponto de não suportarmos mais. 
Não amados, o avivamento não virá! Ele não virá porque só o buscamos em nossos discursos e em nossas orações públicas. Não virá porque oramos por uma coisa, mas desejamos outra. Não virá porque pregamos uma coisa e vivemos outra. Não virá porque nossos líderes são uma coisa no púlpito de suas igrejas e outra em suas reuniões.
Não virá porque não há investimento relevante em educação cristã, evangelismo e missões. Não virá porque transformaram o esforço evangelístico e missionário em um mero discurso de conferências e seminários. Não virá porque os santos dízimos são usados para fins que não agradam a Deus! Não virá porque nossa santidade é apenas um tema bíblico, não uma vivência, não uma experiência.
Não virá porque culto se tornou entretenimento, adoração agora é show, pregação agora é gritaria e emocionalismo, bíblia é só o livro que levamos ao culto e o lemos em algum momento dele!
O avivamento não virá porque a iniquidade se multiplicou, mas se multiplicou aqui, no arraial dos "santos" e germinou em nossas vidas equivocadas, em nossa mediocridade bíblica e cristã, em nossa ilusão de ser crentes que vão para os céus desse jeito!
O avivamento não virá enquanto eu e cada pastor nesta igreja, nesta cidade, não cair de joelhos e entender o real sentido de nossa chamada. Enquanto não nos arrependermos de nossos pecados, enquanto não desistirmos da tosca idéia de que Deus é um cara fácil de convencer, pois é cheio de misericórdias. O avivamento não virá enquanto não entendermos que o Criador é um Deus de justiça e que executa juízo em sua casa!
O avivamento não virá enquanto nossos átrios estiverem profanados por nosso comércio da fé, enquanto o Messias não entrar pela porta central expulsando os vendilhões e gritando aos quatro cantos: "A minha casa será chamada casa de oração, mas vós a transformaste em covis de ladrões!"
O avivamento não virá enquanto nossa música for apenas uma letra comercial, que vende milhões de cd's, enquanto nossa pregação for apenas uma mensagem de amor com um tema interessante e que dá pra se reproduzir em centenas de dvd's.
O avivamento não virá enquanto não investirmos tempo relevante em oração e em incansável estudo de sua Palavra. Não virá enquanto não sonharmos em alcançar as nações para Cristo, enquanto não investirmos nossa renda em missões, enquanto não fizermos tudo para alcançar todos os homens e enquanto não estendermos a mão para o cansado e aflito, enquanto não investirmos nossas riquezas no Reino de Deus, ao invés de investirmos no reino dos homens.
Não amados, o avivamento não virá...

14 de ago de 2013

O Orgulho de Ser Politicamente Correto

Toda vez que eu posto uma matéria entendida por alguns de polêmica, desnecessária ou politicamente incorreta, surgem os orgulhosos de serem politicamente corretos. Orgulham-se por fazer o convencional e discutir o trivial ou ainda por postar o que agradaria a maioria, ou aquilo que soa como religioso e dentro de uma suposta ética cristã.
Outro dia um certo líder espiritual me ligou dizendo: "eu acho que a internet deve ser usada para evangelizar". Respondi: "também!" Alguns acham que evangelizar é omitir a verdade! Na verdade, o verdadeiro evangelismo expõe a verdade e manifesta o pecado! Dizer apenas que Jesus ama o pecador sem apontar seu pecado, é fazer uma pregação incompleta, que o diga João Batista e o próprio Jesus.
Os que mais reclamam são os que vivem uma vidinha medíocre e caminham na mesma direção de um sistema que anda a passos largos da Bíblia. Já outros, são aqueles que não conseguem produzir algo novo e ousado e, por isso, vê em artigos mais ousados uma ameaça. Outros ainda, apenas não entenderam que não somos iguais, não temos a mesma visão de vida, que a capacidade de interpretar a vida é individual.
Essa falsa ética, esse orgulho tosco de quem posa de santo diante daquilo que os ousados expõem, é, na verdade, um mecanismo de defesa para justificar sua posição confortável, (nem sempre, eu sei), mas o que digo é verdade na maioria das vezes em que ouvi esse discursozinho medíocre dos que pensam diferente!
Outro dia falei com alguém que protagoniza a destruição de rebanhos, separação de famílias, no caso CEADEB X ADESAL. A argumentação de que a internet deveria ser usada pelos crentes só para evangelizar, veio quando postei neste blog uma série de artigos que denunciavam a postura inadequada e antibíblica de algumas "autoridades espirituais" naquele caso.
Daí eu perceber que a famigerada afirmativa de que a internet deve ser usada só para evangelizar, era na verdade, um discurso hipócrita de alguém que fora alvejado em sua ferida quando da postagem que lhe desmascarava!
Acontece que essa gente, que tanto comenta em blogs e Facebook que a internet deveria ser usada só para evangelizar, é quem menos evangeliza. São incapazes de produzir qualquer tipo de texto, muito menos um evangelístico, mas são experts em julgar o que os outros escrevem. Vejo o perfil desta gente por aí. Não dizem nada que não seja futilidade. São péssimos intérpretes da vida.
Tem uma compreensão muito limitada. Cravaram seu pensamento no universo em que vivem ou em que foram criados. Suas mentes não voam. Só conseguem ver a vida por um ângulo. Não foram experimentados na arte da compreensão, do espírito democrático que fornece graciosamente o direito de expressão.
Os tais querem ser vistos como superiores, mais santos do que quem escreve ou diz o que ele reprova ou  o que jamais teria coragem de publicar!
Eles ainda são muito bons em acusar e usam isso como uma espécie de subterfúgio que mascara sua incapacidade de argumentar. Desesperados, xingam, acusam, difamam, amaldiçoam. Encontram no favor da web em conceder-lhe a benção do anonimato, a saída para escrever o que jamais diriam pessoalmente.
São na verdade irracionais, vomitam seu veneno sob o manto da virtualidade, do mundo das rede sociais, onde toda sorte de prática é permitida e onde a lei é mais ilusão que na vida real.


12 de ago de 2013

É Isso Aí. A PL 122 Não Foi Aprovada Ainda, Imagine Quando For!

A cena é de indignar. A falta de respeito e uma certa agressão psicológica protagonizada por desconhecidos inconformados com as posições bem conhecidas do Deputado Marco Feliciano, em um certo vôo, como mostra o vídeo abaixo, se quer foi comentado pela imprensa brasileira. Poucos programas tocaram no assunto. Isso porque o referido Deputado, uma autoridade, um parlamentar, pode ser provocado ao ponto de ser tocado, tendo seu direito de viajar com tranquilidade violado por baderneiros que protestavam no lugar errado.
Se fosse o contrário, a imprensa, que no Brasil passou a estar a serviço da filosofia gay, já teria se manifestado em sua falsa ética e pretensa idéia de que manipula a opinião pública. Vi que alguns programas ao mesmo tempo que reconhecia que os inconvenientes do vídeo estavam errados, aproveitavam para fazer comentários maldosos contra o Deputado.



Agnaldo Timóteo diz o que pensa sobre as posições de Marco Feliciano

Caso Thalles Roberto em União dos Palmares (AL). Seria Ele Mesmo o Culpado?

Pois é. A gente alimenta a ganância das estrelas gospel, damos-lhes um super valor, tornamo-nos suas tietes, investimos altos valores nelas, em detrimento daquele que deveria ser feito na obra de Deus, como: ação social, atendendo os menos favorecidos, missões, novas frentes de trabalho, etc., e depois queremos reclamar!
Alguns vão dizer: "Mas o dinheiro dado ao 'artista' não saiu dos cofres da igreja não, veio de patrocinadores, de ajuda de políticos e tal..." Pois é, movemos céus e terra para eles, os artistas gospel, quando todo este empenho, toda esta habilidade de convencer autoridades e empresários a investir em um show que, na verdade resultará em muito pouco ou, às vezes, nada para o Reino de Deus, deveria ser direcionada para as coisas relevantes na seara do Senhor!
No caso de União dos Palmares, em Alagoas, onde a "estrela", o "artista", Thalles Roberto, deixou a ver navios o público que pagou R$ 35,00 para vê-lo cantar, claro, porque para adorar a Deus mesmo, não se paga, o Pastor responsável pelo evento, na minha opinião, pagou o preço de entrar na onda gospel em detrimento de estar na onda missionária, na onda do Espírito Santo.
Ao assistir o vídeo do Pastor Ivonélio Abrahão, onde exibe documentos e um argumento para rebater as explicações de Thalles, percebe-se que, legalmente, o pastor deve estar certo, embora eu acredite que os tais documentos precisem ser analisados por profissionais, pois os mesmos podem ter sido produzidos depois das explicações do cantor. Pelo amor de Deus, podem ter sido, não estou afirmando que foram.
Mas vamos considerar que o pastor esteja certo, e quero acreditar que esteja, ele apenas está colhendo o fruto de alimentar o ego dessas "estrelas" do gospel, de tratá-los como super seres humanos, dando-lhes as honrarias que deveriam ser dadas a Cristo, tornando-os semi deuses, mimando e atendendo aos seus caprichos!
Segundo o Blog do Francisco Evangelista, dos R$ 100.000,00 gastos na organização do evento, R$ 65.000,00 foi para Thalles, o que considero um valor absurdamente alto para uma apresentação que, em tese, é para louvar a Deus. Esses caras não não ministros do louvor, são artistas da música gospel e há uma discrepância considerável entre as duas coisas! São como alguns Conferencistas que mercadejam a Palavra de Deus!
O site xonei publicou uma lista dos cantores gospel mais caros do Brasil e eles só cobram, claro, porque tem quem pague e depois querem reclamar de que? O que esperar de uma pessoa que se diz porta voz de Cristo, ministro do louvor ou da Palavra, que cobra um valor digno de uma estrela do rock?
Não, não cobrem atitudes de filhos de Deus para quem escolheu ser artista gospel, para quem mercadeja o precioso dom de cantar ou pregar! Não, eles não são culpados, os culpados somos nós!
Considero o Thalles um dos melhores cantores gospel dos últimos tempos! Gosto de sua música e a ouço com prazer. Minha crítica aqui não é ao cantor, mas ao sistema ganancioso da indústria da música gospel e à insanidade das lideranças evangélicas que fazem contratos absurdamente caros com essas estrelas, quando uma série de prioridades no Reino de Deus nunca é levada consideração. Há uma urgência em investimentos pesados em missões e evangelismo, centenas de pessoas morrem todos os dias sem ouvir o evangelho e por causa da falta de ação da igreja e nós gastamos milhões de reais em shows e enriquecemos cada vez mais essas estrelas gospel!
Veja abaixo, a explicação do Doninha, empresário do Thalles. É realmente um grande negócio, não é liturgia, não é culto, está muito longe de ser isso!




O próprio Thalles dando sua versão dos fatos


Neste vídeo, Juninho Lutero, um vlogueiro conhecido na rede, sai em defesa do cantor Thalles.

O vídeo abaixo mostra algumas declarações em favor do Pastor Abrahão.

Abaixo, o momento do vexame em que passou o Pastor Abrahão e o protesto dos pagantes do show em frente ao hotel onde o cantor estava hospedado.


Mais um vídeo da polêmica situação. Parece que o vídeo foi postado por quem quer denunciar o "comportamento mercenário" do cantor, como o inadequado investimento do pastor.


Mais um vídeo envolvendo o não cumprimento de agenda do Thalles

9 de ago de 2013

O Novo Modelo de Pastor Para Lideranças Obtusas


Fico impressionado com  as novas figuras dentro do "santo" ministério.  O jeito boçal, combinado com uma tendência nítida de falar muito e se sentir no direito de julgar e sentenciar companheiros, descreve muito bem muitos dos tais "chamados" ao ministério. Na verdade, foram chamados por quem, ninguém sabe.
Não precisa ser profeta ou ter uma divina revelação especial, para ver que tais elementos poderiam ser qualquer outra coisa, menos pastor! Fico pensando que critérios tem aqueles que os indicou e em casos especiais, até se colocou contra a maioria do chamado Conselho Consultivo, para empurrá-los pela janela da conveniência, dando início, desta forma, à desvalorização do pastorado.
Comportamentos inaceitáveis e que não são vistos nem entre outros segmentos da sociedade, permita-me dizer, nem entre ímpios, são aceitos complacentemente por quem deveria promover o equilíbrio de nossos conclaves.
As regras claras, como diz um certo comentarista de futebol global, do Apóstolo Paulo, são ignoradas e cometemos um atentado às santas instruções bíblicas, quando colocamos tais indivíduos no ministério da Palavra.
Uma turma desequilibrada emocionalmente e sem nenhuma habilidade nas relações inter pessoais, sem maturidade no lidar com os companheiros de ministério, sem falar na clara falta de capacidade em lidar com o ensino da Escritura! O que eu fico mais impressionado ainda, é que suas ovelhas sabem que ele não é apto para ensinar a Palavra de Deus e quem os consagrou ao ministério não sabia?
Este modelo bizarro de ministros desta nossa geração conturbada é uma contribuição à ação diabólica no arraial dos santos por vários motivos:
Primeiro porque princípios bíblicos estão sendo ignorados na escolha dos novos ministros; e a desobediência a princípios bíblicos, segundo Deuteronômio, atrai maldição e não benção. Desobedecer princípios da Palavra de Deus abre precedentes para toda sorte de derrotas!
Segundo, porque é uma prova cabal de que algumas lideranças estão lidando com assuntos relevantes do Reino de Deus de forma leviana e medíocre, fazendo um desdém com aquilo que o próprio Deus leva muito a sério!
Terceiro, porque, quanto mais este tipo de gente assume funções ministeriais de tamanha magnitude, os verdadeiros chamados, são tolhidos por quem deveria ter visão de Deus, de praticar o santo ministério.
Quarto, porque promove-se, desta forma, uma matança espiritual à alma dos fiéis, deixando-os vazios do alimento da alma, a Palavra de Deus e órfãos de pastores que deveriam amá-los e ampará-los e não tosquiá-los apenas em detrimento da ação divina de levá-los às águas tranquilas e pastos verdejantes.
Esse gritante estado de coisas revela uma liderança obtusa e pouco preocupada com assuntos de tamanha relevância. 
Ao invés de se impor as mãos para consagrar homens que, por orientação divina são chamados ao ministério, na verdade, promove-se indivíduos ao status de ministros. Em alguns casos, dando-lhes uma oportunidade de garantir o ganha-pão, uma posição honrada ou, pagando favores!
Este modelo levará à queda inevitável da igreja! Não estou exagerando! Paulo disse em Efésios 4: 11-14: 

"E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores,

Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo;
Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo,
Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente."

Primeiro: "ele mesmo", isto é, é Deus quem dá pastores à igreja. Ele dá pastores à igreja e não o contrário! No novo modelo de pastor hoje, dão-se igrejas a pastores!
Segundo: Deus faz isso com objetivos bem definidos: 1. Aperfeiçoamento dos santos...para edificação do corpo de Cristo! A obra de aperfeiçoar é meticulosa e exige habilidades. É como o exímio escultor que não sossegará até que sua obra represente com perfeição aquilo para que foi esculpida. Exige paixão, trabalho, investimento e renúncias! Já a de edificar, é claro, tem haver com construção. O Pastor promove, com a ajuda do Espírito Santo, a construção da vida espiritual de suas ovelhas!
2. O objetivo é levar o rebanho "à unidade da fé", "ao conhecimento do Filho de Deus!" (conhecimento aqui tem haver com 'pleroma' = plenitude, logo, à conhecer Cristo em sua plenitude!), à homem perfeito (perfeição aqui tem haver com maturidade), "à medida da estatura completa de Cristo, isto é, até alcançar a maturidade de Cristo em nós em sua forma plena!
3. "Para que não sejamos mais meninos inconstante..." Logo, o pastor é dado para promover a maturidade da igreja a ponto dela, por si própria, saber distinguir os enganos do século presente, sair do estágio de menino, que tem como característica, a inconstância e ser apta a recusar as heresias!

Ora, se estes objetivos ficam longe de serem alcançados, é claro que o rebanho fica à mercê dos lobos ferozes, e do leão que ruge diariamente com o fim de derrubar a igreja.
Não podemos aceitar este modelo diabólico de obreiros que querem impor ao ministério. Precisamos urgente de uma reforma no sistema de escolha dos novos ministros, uma reforma que nos retorne à busca da orientação do Espírito Santo e à obediência aos escritos paulinos referentes à nova geração de pastores!