4 de jan de 2014

Sobrevivendo e Insistindo

Por Raimundo Campos


Ontem, 04/01/2014, foi a Santa Ceia Reunida e a posse dos Pastores de Setor e de Congregações para 2014, no estacionamento da Adesal Paralela. Fiquei olhando para toda aquela gente e fiquei pensando no espírito de sobrevivência e de insistência desse povo. É claro que a Assembléia de Deus em Salvador não é mais a mesma, quando digo Assembléia de Deus em Salvador, me refiro também àqueles que optaram por manter-se filiados à CEADEB. Sim, nem eles também nunca mais serão os mesmos! Os episódios de 2010 fincaram uma marca cicatrizante na memória e no coração de quem acompanhou tudo.
Mas não é isso que importa agora. O que importa é como tanto os da Adesal quanto os da CEADEB sobreviveram aos ventos impetuosos da dita "divisão" e como insistem em continuar acreditando. Vi isso no semblante de quem foi ontem à Ceia Reunida. Ainda se ouvia um feliz "Ano Novo" dos lábios de alguns que teimam em acreditar em coisas novas, coisa da época mesmo, do espírito de recomeço que nos ataca todo final de um e início de outro ano. O abraço, e aquele tapinha nas costas até de gente que pensa diferente da gente e nunca será nosso amigo de verdade, deu pra se ver muito!
Pois é, aquela gente veio de várias partes da cidade, causaram um transtorno danado na porta da igreja, com seus carros forçadamente estacionados na via, e ficaram até o final do culto para ver quem estaria assumindo tal setor e tal congregação. Mas também celebraram, cantaram, deram glórias a Deus, se emocionaram, choraram e declararam ter sentido a presença de Deus. Sim, eu também senti, chorei e falei
coisas com Jesus. Pedi a Ele pelo Presidente e por meus companheiros, me senti um sobrevivente em meio a este estado de coisas, percebi que também sou um insistente, que acredita na grande providência do Eterno. Tive o prazer de sentar-me ao lado de homens que pensam como eu, que anelam por mudanças profundas, que apontam erros e falhas porque querem o melhor para a igreja, que critica o Presidente porque são sinceros e não conseguem ser bajuladores, mas amigos.
Sim, caros leitores, essa gente sobrevive por um milagre, simplesmente porque o dono desta igreja é Deus, porque seu Filho Jesus deu a vida por ela. Isso mesmo, ainda que acumulem fraquezas e erros, esta igreja foi comprada por bom preço, seu clamor de arrependimento, sua oração suplicante ainda move a mão do Todo Poderoso. Contemplei, como sempre faço, os mais idosos, aqueles que conhecem a história desta igreja, que viveram e vivem as profundas transformações pelas quais passa nossa instituição e que lamentam de que não sejam transformações salutares e benéficas!
Mas, mais uma vez voltei meu olhar para o todo, para a multidão, para os semblantes daqueles que ainda esperam por algo novo e diferente e, que por isso, sobrevive e insiste.
Foi uma Santa Ceia abençoada, mas senti que ficou faltando algo, algo que pudesse me fazer acreditar que está valendo apena. Mas como a maioria que lá esteve, sobrevivo e insisto. 
Bom mesmo seria se seguíssemos o conselho de um velho amigo meu: REUNIRMOS-NOS EM UMA FAZENDA E CHORAR, RASGAR NOSSAS VESTES, ARREPENDERMOS-NOS E RECOMEÇARMOS. 
Bom seria também se rasgássemos nossa agendinha e suspendêssemos nossas reuniões inúteis e fúteis e deixássemos o Espírito Santo tomar conta da coisa. Enquanto insistirmos em nossa desgraçada inteligência e nosso jeitinho brasileiro (op's! jeitinho de crente!), continuaremos sendo sobreviventes e insistentes, numa via incerta, alimentando apenas a esperança de que tudo vai mudar.
Parabéns aos sobreviventes e àqueles que insistem, que acreditam. Apesar de meu texto, com ar de nebulosidade, estou renovado e pronto para trabalhar por Cristo e as ovelhas que me confiou, pela causa e pela instituição, pelo evangelismo e pela edificação do corpo de Cristo!  
Vamos em frente, sobrevivamos e insistamos!

Um comentário:

AD NO BONFIM disse...

Caro amigo e Pastor choro por esses mesmos ideais e confesso que as lágrimas contidas quiseram desabar ao ler sua narrativa e me pergunto depois de ter ouvido a voz do Senhor ´pela sua instrumentalidade: O que vamos fazer então?
Pr Rômel ,seu admirador e amigo.