27 de fev de 2014

Consagração aos Santos Ministérios Não Pode Ser Um Negócio

Entenda-se por ministérios aqui as funções de Diáconos, Presbíteros, Evangelistas e Pastores no corpo de Cristo!
Primeiro é bom lembrarmos que tais funções no corpo são dadas por Deus (Ef. 4:11; At. 6:1-6). Segundo, não consagramos, ou escolhemos para ser; escolhemos ou consagramos os que já são, os que Deus em sua infinita misericórdia já nos deu!
A consagração, a separação para seja qual for o ministério é algo altamente espiritual e envolve o agir do Espírito Santo, seu querer e sua direção e isso não pode ser negociado!
Não podemos fabricar obreiros. Não podemos fazer dinheiro com isso. Não podemos formar obreiros em uma Escola, não. Eles são forjados desde o discipulado, passando por treinamentos específicos até serem legitimados os seus dons com a imposição de homens santos e fiéis!
Não podemos dar à Igreja homens sem ministérios só porque precisamos apresentar um numero, alcançar uma meta, pelo amor de Deus! É burrice pensar que produzir obreiros seja sinal de crescimento. Não podemos produzir obreiros para dar sinais de crescimento. O contrário sim é saudável. A Igreja que cresce, ela mesmo produz obreiros! Basta ler Atos 6. Os Apóstolos pediram à multidão dos discípulos que lhes apresentassem homens com o perfil exigido e a igreja apresentou-lhes sete homens! A Igreja produz obreiros, eles surgem no seio da igreja a partir da vontade do Espírito Santo que se encarrega de capacitar homens, forjando-os no discipulado, na oração e na doutrina!
A formação de obreiros não se dá com uma inscrição em uma EBO, não acontece em uma ou duas tardes, não se dá com uma ou mais ministrações. Eu disse em outra postagem que para se formar líderes precisamos gastar tempo num processo discipular específico e exaustivo, que envolva a prática e uma vida santa e irrepreensível!
Não podemos fazer negócio disso, não podemos.

Nenhum comentário: