4 de abr de 2014

Uma Família Diante do Altar

"Depois disse Deus a Jacó: Levanta-te, sobe a Betel, e habita ali; e faze ali um altar ao Deus que te apareceu, quando fugiste da face de Esaú teu irmão. Então disse Jacó à sua família, e a todos os que com ele estavam: Tirai os deuses estranhos, que há no meio de vós, e purificai-vos, e mudai as vossas vestes.

E levantemo-nos, e subamos a Betel; e ali farei um altar ao Deus que me respondeu no dia da minha angústia, e que foi comigo no caminho que tenho andado." 


Quem abre a Bíblia e lê este texto sem levar em consideração seu contexto, que não faz uma leitura atenta dos dois capítulos anteriores, poderá imaginar que Deus queria apenas que Jacó saísse um pouco de sua rotina e fizesse algo novo no aspecto espiritual. Mas não. Por que Deus faria com que o Patriarca Jacó desmontasse sua Caravana constituída de família, escravos, soldados, animais para ir em direção ao norte, 20 Km? 
Primeiro, viremos nosso olhar para a situação em que vivia o velho Jacó. Nos capítulos 32 e 33 a vida de Jacó da uma virada inimaginável. Ele tem um encontro com Deus no Vale de Jaboque, seu nome é mudado pelo próprio Deus e ainda consegue reconciliar-se com seu irmão, resolvendo um problema familiar de mais de 20 anos! Além disso, estabelece residência em Salém, onde compra uma propriedade (Gn. 33:18,19). Tudo parecia bem até que sua filha Diná vive a amarga experiência de ser violentada pelo príncipe daquela terra, Siquém (Gn. 34:1,2). Mesmo sendo aconselhados pelo pai para que não usassem de violência para com o agressor de sua irmã, dois dos filhos de Jacó, Simeão e Levi, fazem uma falsa aliança com Siquém e os moradores de sua cidade e os mata. (Gn. 34:6-29).
Quando Jacó descobre o que seus filhos fizeram, o medo de morrer com toda sua casa toma conta do velho coração do Patriarca (Gn. 34:30).
Pense comigo: Como estava a casa de Jacó? Qual o estado emocional, psicológico e espiritual no lar do homem que chegara àquela terra achando que seus problemas estavam resolvidos? Ele tinha em casa uma filha vítima de violência sexual e dois filhos que traziam nas mãos o sangue de toda uma cidade! Dá para sentir a dor nas palavras de Jacó no capítulo 34, versículo 30: "...tendes-me turbado, fazendo-me cheirar mal entre os moradores desta terra, entre os cananeus e perizeus; tendo eu pouco povo em número, eles juntar-se-ão, e serei destruído, eu e minha casa."
É nesta hora de amargura, desilusão, quando todos os sonhos daquela família patriarcal se desvanecem, quando o medo é o sentimento mais forte no coração experiente do pai de Diná, que Deus lhe ordena a subir a Betel!
O que eu gosto neste texto de Gênesis 35:1, é perceber que o Eterno Deus sempre vem a nós em momentos de grandes turbações, Ele, o Onisciente, percebe nossos desesperos. Ele se apresenta em meio às turbulências da vida e nos dá um norte, orienta-nos, ainda que não tenhamos a compreensão exata de suas ordens. Parece que o Valente de Jacó queria dizer: "Em meu altar Jacó, em minha presença, adorando, é o lugar de tua família. Em meu altar deve ficar tuas frustrações, deve ficar tua filha violada e teus filhos revoltados!"
Segundo, Jacó teve uma idéia do que Deus queria, ele convocou a família e todos os que viajavam com ele. Ele levou sua família ao altar de Deus! Como é bom quando interpretamos corretamente a vontade de Deus, é maravilhoso ter as percepções espirituais aguçadas e entender a orientação de Deus em momentos de adversidades. Deus não queria apenas que edificasse um altar em Betel, mas que fixasse residência lá. Talvez Deus não tivesse nenhum propósito com Jacó em Salém, talvez não fosse o plano de Deus que ele comprasse terras naquele lugar. O fato é que Deus agora reorienta a vida daquele pai de coração temeroso e dá um norte para aquela família assaltada por tamanha desgraça!
Terceiro, Jacó lidera uma limpeza total, um arrumar das coisas, um "avivamento" varre o acampamento do patriarca. Ele convoca a uma conversão: "...Tirai os deuses estranhos, que há no meio de vós, e purificai-vos, e mudai as vossas vestes..." disse Jacó. Ele portanto, ouve a voz de Deus e toma atitudes baseadas na orientação do Eterno.
Quarto, o versículo 5 diz que Deus enviou um "terror" sobre as cidades vizinhas de modo que ninguém tocou neles. A família de Jacó faz sua viagem rumo ao altar de Deus sob a divina proteção. Lembre-se que este era o mair medo de Jacó: morrer sob a espada dos moradores daquela região, ser vítima da fúria dos moradores da região de Salém! Quando levamos nossa família ao altar de Deus, o próprio Deus garantirá que o façamos debaixo de sua proteção. Aproveito para te dizer que se você levar tua família hoje ao altar de Deus, ninguém poderá te fazer dano algum,  nenhum inimigo te alcançará!
A partir daí, depois de levar sua família ao altar de Deus em Betel, sua vida tem uma outra virada, marcada por perdas e renovações de alianças com Deus. Em Betel Débora morre, mas em Betel Deus renova sua aliança com Jacó (Gn. 35:6-13).

A mudança de visão da vida

O nascimento do segundo e último filho de Raquel foi traumático (Gn. 35:17-19). Raquel morre no parto, a mulher da vida de Jacó. Quiseram colocar o nome da criança, Benoni (filho da minha dor), mas Jacó o chamou de Benjamim (filho da destra). Enquanto queriam relacionar o último filho da sua amada à dor, à perda, Jacó conseguiu ver na dor a vitória. Aquela atitude demonstrou a sua nova maneira de ver a vida. Era como se quisesse dizer: "Não, não fadarei a minha vida e de meu filho, o filho último de minha amada, à dor e à perda. Ele será 'filho da destra', ele será motivo de força e alegria e jamais de derrota" Com isso, ele tira da tristeza, alegria e consegue olhar positivamente para a vida! Mais tarde ele profeticamente disse de Benjamim: "Benjamim é lobo que despedaça, pela manhã comerá a presa, e à tarde repartirá o despojo" (Gn. 49:27). Jacó, em meio às lágrimas, com o coração partido pela morte de Raquel, consegue ver em seu filho a esperança! Sua visão de vida tinha mudado.
No Blog A Tenda na Rocha, Wilma Rejane faz uma linda exposição deste episódio (Leia aqui).
Leve hoje sua família ao altar de Deus. Talvez vivas uma circunstância tempestuosa em tua casa. Talvez tua família esteja marcada por desventuras que tem deixado profundas marcas, traumas. Talvez teu coração esteja cheio de tristezas e mágoas, ou o teu lar tenha se tornado no ambiente mais inóspito que você conheça. Talvez não tenhas sequer motivos para voltar para tua casa depois de um dia fora dela. Por favor, ouça hoje a voz de Deus, ouça-o falando enquanto lês este texto. Suba ao altar de Deus! Convoque tua casa, promova uma limpeza espiritual. Ouça a voz de Deus agora, Ele quer mudar a história de de tua casa. Leve tua família ao altar de Deus!

  

Nenhum comentário: