19 de mai de 2014

Consciência Missionária na Igreja Passa Pelo Discipulado e Pela Educação Cristã





Todo ano, as centenas de Secretários e as dezenas de Coordenadores de Missões em nossa Igreja, com a melhor das intenções e objetivando despertar a Igreja para a Obra Missionária, realizam Conferências e toda sorte de eventos, na tentativa de chamar a atenção da Igreja. Agendas são feitas, missionários, pregadores e palestrantes são convidados, uma série de apresentações e coreografias tomam espaço no culto, cantinas são montadas, estratégias de arrecadações são desenvolvidas. Tudo pensando no missionário e no Ide imperativo do Senhor Jesus.
Tudo isto é importante e faz parte do processo de conscientização, mas são apenas ferramentas. Na verdade, o processo de conscientização missionária envolve elementos mais importantes que estes. Tão importantes são, que se estes faltarem, não farão diferença nenhuma no avanço da evangelização aos povos.
Devemos lembrar que qualquer pessoa, mesmo não salva, pode fazer eventos como estes, podem organizar até melhor do que nós e pode mobilizar muito mais gente, arrecadar infinitamente mais do que arrecadamos!
Portanto, embora os eventos, as estratégias e tudo que foi citado antes, tenha o seu valor, eles não se constituem na principal ferramenta de conscientização missionária.
Antes de falar sobre como uma Consciência Missionária é formada na Igreja, quero te lembrar duas coisas: primeiro: a Igreja de Atos dos Apóstolos não Fazia Conferências Missionárias, ela fazia Missões. Segundo: A Conferência e qualquer evento conscientizador é prova cabal da ausência de consciência bíblica.
Pense comigo, se a Conferência ou qualquer evento de Missões for um esforço de conscientização, então, estamos ao mesmo tempo denunciando o estado de distanciamento das Escrituras em que se encontra nossa igreja! 
Como formamos então uma consciência missionária na Igreja? Segundo a Professora Cristina Ramos, do Betel Brasileiro e que foi palestrante em nosso 4º Treinamento Para Líderes de Missões, os valores que temos, que norteiam nosso comportamento e nossas relações, definem nossos conceitos, nossas prioridades. Se nossos valores são formados pela Palavra de Deus, então, nossas prioridades serão aquelas que a Palavra diz que devem ser. 
Aí, é preciso falar sobre uma série de coisas que, ao longo de alguns anos vem sendo esquecidas pela Igreja: educação cristã, discipulado, por exemplo.

Formando uma Consciência Missionária

Discipulado:

Tenho dito que o discipulado é a base da consciência cristã. É no processo discipulador que valores cristãos são formados e que se habilita homens e mulheres para o serviço do Mestre. Qualquer cristão que desenvolve sua vida espiritual sob os ensinos fundamentais das Escrituras, sendo discipulado por cristãos sinceros e preparados, desenvolverão também uma consciência cristã, onde valores como obediência ao ide de Jesus nortearão sua vida, fazendo-o ser não só anunciador das Boas Novas, mas incentivador de planos e projetos que visem fazer Cristo conhecido em toda terra.
Portanto, se a igreja não tiver um discipulado eficaz, se ela não investir em formação do caráter cristão no novo crente, ela jamais poderá ter em sua membresia, fiéis altamente comprometidos com a Grande Comissão de nosso Senhor Jesus Cristo.
A falta de discipulado na igreja está formando uma geração não somente descomprometida com o ide de Jesus, mas também com toda sorte de valores e princípios que devem ser norteadores da vida do crente em Jesus. Valores como santidade, testemunho cristão, vida de comunhão com Deus e os irmãos, obediência à liderança, chamado específico no Reino de Deus, só são formados com eficácia, num processo de discipulado eficiente, feito por homens e mulheres fiéis e inteirados das Escrituras!
Enquanto desprezarmos o discipulado, teremos apenas religiosos, seguidores de normas e preceitos institucionais, e estes tais não tem compromisso com aqueles valores exarados nas páginas das Escrituras e que são formados no novo crente, enquanto estes se submetem aos ensinos da Palavra de Deus no processo do discipulado.
O desinteresse por missões, a falta de contribuição financeira, a preguiça para evangelizar, a indiferença com os missionários e seus projetos, nada mais é do que reflexo de uma lacuna que a igreja está deixando no discipulado. É preciso resgatar o discipulado, ele é mais importante que esforços para a conscientização, a não ser que esta deixe de se constituir em grandes eventos, com custos elevados, para se transformar numa tribuna discipuladora, onde valores cristãos serão reensinados!
Não adiantará bandeiras, mapas, grandes fotos em alta resolução, gráficos estatísticos, relatórios, slides em data show, coreografias, peças, trajes típicos de determinadas culturas, bazares e cantinas, se os tais não se constituírem apenas em uma celebração da profunda consciência missionária enraizada na Igreja desde o seu discipulado.

Educação Cristã

A educação cristã pode ser considerada como a responsável pela formação da maturidade cristã desde a sua fase de discipulado ou aquele processo educativo que se prossegue depois do período deste. A educação cristã para o Teólogo Augustus Nicodemus do Instituto Mackenzie, é "um processo de treinamento e desenvolvimento da pessoa e de seus dons naturais à luz da perspectiva cristã da vida, da realidade, do mundo e do homem."
É óbvio, que o desenvolvimento da pessoa não se dá apenas no processo do discipulado, mas continua depois dele. Isto leva-nos a pensar que a educação cristã é aquele processo contínuo na Igreja viabilizado pelos cultos de doutrina, pela escola bíblica dominical e por todo esforço de ensino das Escrituras desenvolvido pela Igreja.
Infelizmente, os encontros de curas ou cultos de "milagres", cultos de "maravilhas" e toda sorte de reuniões com supostos propósitos de presenciar a manifestações místicas, tomaram o lugar de encontros onde a busca pelo conhecimento da Palavra de Deus é o principal objetivo.
A educação cristã é aquele processo contínuo na Igreja que mantém-na em sintonia com as verdades entendidas no processo de discipulado e que lhe oferece extraordinárias oportunidades de aprofundar seus conhecimentos das verdades de Deus. Faltar com a educação cristã na Igreja é deixá-la à mercê de heresias, de falsos doutores e enganadores e finalmente expô-la ao estado de inconsciência cristã em que vive, ao ponto de tornar-se indiferente à sua tarefa primordial que é proclamar Cristo!

Conclusão

Finalmente, Conferências e toda sorte de eventos em favor de missões, não pode se constituir em ferramenta de conscientização, mas em celebração da consciência bíblica da Igreja. Enquanto esta não tiver uma consciência bíblica formada no processo de discipulado, reflexo também do contínuo trabalho dela na educação cristã de seus fiéis, todo esforço em favor de missões só terá efeito enquanto estiver sendo realizado, nunca produzirá efeito pós evento. Este é o motivo pelo qual muitos Coordenadores e Secretários de Missões sempre enfrentarão problemas e se surpreenderão com a indiferença de líderes e fiéis em sua comunidade cristã.

Nenhum comentário: