6 de jun de 2014

Copa do Brasil, Injustiças e Expectativas de Vitória


Este não é apenas o ano da Copa, é antes de tudo, o ano das Eleições. Este é o ano que todos já conhecemos, ele se repete em todo processo eleitoral. Todas as armas já são conhecidas. É o ano em que fatos nunca antes publicados na mídia, deverão vir à tona. Toda sorte de irregularidades que ficaram guardadas, protegidas pela complacência de jornalistas, intelectuais, políticos de oposição, agora se transformarão em prova documental, digna de nota internacional.
Portanto, toda publicação na mídia de um modo geral, deve ter um olhar crítico do povo brasileiro. É bem verdade que por trás da bilionária copa de 2014 está toda sorte de injustiça. O prioritário foi negligenciado: saúde, educação, segurança, moradia, transporte, etc., e dizem que esta Copa já está mais cara que as duas últimas juntas. Segundo o site Época Negócios, a Copa de 2006 na Alemanha custou 10,7 bilhões, a de 2010, na África do Sul, 7,3 bilhões; já a do Brasil chega ao astronômico valor de 25,5 bilhões, embora o Governo Federal defenda que o valor está abaixo do teto estabelecido em 2010 de 33 bilhões. Isto nos deixa revoltados já que todos os dias vemos na TV a problemática dos serviços públicos, principalmente saúde e segurança. Vidas morrem todos os dias por falta de atendimento nos corredores dos hospitais públicos! Gente morre todo dia por falta de segurança e o transporte público brasileiro ainda é um dos piores do mundo!
Mas é preciso lembrarmos que essa história de gastos em Copa, aconteceu em todos os países onde ela aconteceu. A mídia brasileira nunca deu ênfase às especulações internacionais dos gastos absurdos da Copa da África do Sul. O Uol chegou a publicar que a África do Sul teria uma das maiores desigualdades sociais do mundo, com milhares de pobres e uma pandemia de HIV. Ainda assim, segundo o site, o valor estimado com os estádios naquela Copa seria de 396 milhões de dólares, mas teria chegado a 18 bilhões de dólares! Na época, a maioria dos estádios na África do Sul, ficaram conhecidos, como "elefantes brancos", já que não teriam utilidade após o campeonato mundial da FIFA.
A Alemanha em 2006, teria gasto com a Copa mais de 50% do valor previsto. Além disso, a Alemanha não cumpriu o prazo de entrega dos estádios e teve um que foi entregue no final da Copa.
O que acontece no Brasil, acontece em todo pais anfitrião da Copa. A Copa não é um evento só futebolístico, é também político e empresarial. Envolve toda sorte de lobby, licitações e um marketing ostensivo e ofensivo. Onde quer que a Copa aconteça,  injustiças e negligências serão cometidas e todos os erros cometidos pelos governos e pelos comitês de organização serão usados politicamente. Quando falo politicamente, estou dizendo que as denúncias serão feitas não por causa de senso de justiça e retidão, mas por causa de interesses políticos.
O povo será sempre massa de manipulação tanto de governos, como de organizadores de campeonatos e políticos de situação ou oposição.
É bom lembrarmos que os problemas políticos de ocasião de Copa, já existiam e continuarão a existir e que evento como a Copa do Mundo, em qualquer país, será sempre a prova cabal de que os governantes tem muito dinheiro e que ele não é do povo e nunca será. É a prova cabal de que a saúde, educação, segurança, transporte e todo tipo de serviço público poderia ser melhor. Mas infelizmente nosso dinheiro é deles e eles gastam como bem quiser. Nossos impostos não é para voltar para nós em serviço, é para gastar com aquilo que renderão para eles mais dinheiro ainda!
A nação então se divide. Há aqueles que até enfeitam suas ruas, compram ingressos, vestem a camisa e vive toda emoção que um evento como este costuma proporcionar. Outros, levantam bandeiras de protestos, lideram movimentos, expõem os problemas por trás da euforia e ainda escrevem e publicam matérias!
Com esta balbúrdia, as expectativas de vitória, do hexa, os gestos e sentimentos patrióticos, transformam-se numa mistura de orgulho e revolta. O país, a cidade, cada canto de uma rua brasileira se torna numa via de protesto e num canto do torcedor que quer só comemorar e viver todas as emoções que uma Copa do Mundo pode oferecer, principalmente quando é feita em sua casa.

Nenhum comentário: