21 de ago de 2014

Santa Corrupção Eleitoreira



O povo evangélico, creio que por herdar esta maldição do cristianismo católico, gosta de sacralizar tudo. Tudo que for usado ou mencionado no contexto gospel, tem uma tendência a ser visto  ou, é tendenciosamente imposto, como santo. Condenamos tudo que o mundo faz, mas se for feito por nós, passa a ser um serviço a Deus, uma glória ao nome do Senhor! Os shows são santos, os sorteios são santos, a balada agora também é gospel, portanto, santa. Hoje existe todo tipo de comportamento e entretenimento sacralizado por nós. Aproveitamos até para botar pra fora aquele desejosinho de encher a cara e tomamos ponches e cervejas sem álcool em nossas reuniões e solenidades, dançamos descendo até em baixo e rimos dando uma conotação de engraçado, divertido e, claro, santo.
Neste tempo de eleições, temos também a oferta alçada vinda dos políticos. Como funciona? Simples. O político marca um encontro, um almoço, até aí tudo bem. Nós pastores, líderes de comunidades evangélicas precisamos ouvir propostas, conhece-las e observar se elas estão de acordo com aqueles princípios espirituais, morais e éticos que devem nortear a vida de qualquer ministro do Evangelho. Não há pecado em ouvir aqueles que poderão ocupar uma cadeira no legislativo ou executivo, não. Ouví-los não significa que estejamos fazendo acordos ou algo semelhante.
Todavia, aceitar propina sob a desculpa sem vergonha de que se está recebendo uma oferta, justamente nesta época é, no mínimo, sinal de desvio de caráter e falta de compromisso com aqueles valores exarados nas paginas da Escritura Sagrada e que rege a consciência de todo homem de bem. Parece que temos uma tendência natural de querer justificar nossos pecados buscando embasamento na Bíblia para nossas sem-vergonhices! 
Aceitar ofertas de políticos em campanha é a mesma coisa de se vender e negociar com o rebanho do Senhor. É vender o voto, é negociar com a arma mais poderosa de qualquer cidadão em uma democracia. Corrupção também é o político dar dinheiro e ofertas especiais a denominações, sob o pretexto de estar doando para a construção ou qualquer desafio que tenha a instituição com a promessa de que terá o seu apoio. Tal político, com esta atitude, já está dando prova de que não quer nada mais do que um lugar ao sol sob as bençãos da "igrejoca" que se vendeu e do "pastoreco" ganancioso!
Tais pastores e líderes não se importam se este candidato vai legislar ou executar em favor da sociedade buscando torná-la mais justa e fazendo da cidade ou país, um lugar melhor de se viver. O que ele pensa é quanto o tal tem para lhe oferecer. E, neste contexto, negocia-se tudo: cargos, posições, mesmo que sejam fantasmas; benefícios, dinheiro fácil e ilícito, entre outras coisas.
Fico observando alguns desses políticos "crentes" que prometem em todo pleito doar parte de seus salários para a Igreja! Isso é o cúmulo do absurdo! Uma proposta indecente e sem nenhuma verdade! Vejo gente aplaudindo e fico me perguntando que desgraça é essa, que cegueira miserável, que incompreensão de tudo, de Deus, de Bíblia, de valores!
Não precisamos do dinheiro desta gente! Só por esta proposta, sua fala deveria ser interrompida! Porque? Simples, precisamos de homens e mulheres que legislem em favor do povo e que tenha tanto temor a Deus que se comprometa com os valores da família e de uma sociedade justa.
Não voto em político que doa oferta nesta ocasião. Perguntei a um político crente de nossa Adesal se ele é dizimista e ofertante em seu dia-a-dia, se isto é uma rotina em sua vida de cristão, se ele contribui regularmente com missões, orfanato, a construção do grande templo, ou se ele faz como a maioria, que vem com aquela conversinha safada de que sentiu desejo de contribuir com a construção do templo sede só agora, em tempos de eleição. Ele me respondeu que sempre ajuda! Não era a resposta que esperava, mas minha pergunta tinha o objetivo de mostrar-lhe o perigo de subornar e ser subornado sob a alegação de estar ofertando ao Senhor!
A Palavra do Senhor em Isaías 33: 15,16, diz: 

"Aquele que anda corretamente e fala o que é reto, que recusa o lucro injusto, cuja mão não aceita suborno, que tapa os ouvidos para as tramas de assassinatos e fecha os olhos para não contemplar o mal,
é esse o homem que habitará nas alturas; seu refúgio será a fortaleza das rochas; terá suprimento de pão, e água não lhe faltará."

Nenhum comentário: