6 de nov de 2014

Aflições: Uma Abordagem Bíblica



"Que mediante a fé estais guardados na virtude de Deus para a salvação, já prestes para se revelar no último tempo,
Em que vós grandemente vos alegrais, ainda que agora importa, sendo necessário, que estejais por um pouco contristados com várias tentações,
Para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória, na revelação de Jesus Cristo;
Ao qual, não o havendo visto, amais; no qual, não o vendo agora, mas crendo, vos alegrais com gozo inefável e glorioso;
Alcançando o fim da vossa fé, a salvação das vossas almas."

Está claro que a razão deste texto bem como da Carta do Apóstolo Pedro, é fortalecer os fiéis em meio às aflições. Isto é interessante porque, o Apóstolo que fora crucificado de cabeça para baixo tempo depois, não está preocupado em que a Igreja fique livre das aflições, mas que ela seja forte enquanto passa pelas aflições. Esta abordagem de Pedro é indiscutivelmente discrepante do tipo de evangelho que estamos oferecendo aos fiéis de hoje, um evangelho de vitória a qualquer custo, um evangelho de esperanças que a Bíblia nunca garantiu!

  • Entre a esperança de vitória e a necessidade de ser forte na aflição.

Pare e pense: o que teria resultado melhor na vida do cristão? Ser alimentado com uma esperança de vitória que, muitas vezes não está nos planos de Deus, ou fortalecê-lo no meio da adversidade para que ele possa não somente vencer a adversidade do presente, mas também estar pronto para qualquer momento de aflição que a vida lhe proporcionar? Um cristão que recebe forças na aflição a ponto de passar por ela sem reclamar, estará pronto para enfrentar qualquer circunstância da vida com um olhar positivo, consciente e vitorioso! Este será um cristão difícil de se abater, muito menos de perder a esperança. Ele será um crente à prova de lutas e sua fé estará em Cristo independente das circunstâncias! Este tipo de cristão é fiel a Cristo pelo que Ele é e não pelo que Ele poderá fazer. Sua fé estará em Cristo com aflição ou sem aflição. Este cristão tem uma mentalidade bíblica de sua fé e permanecerá fiel a qualquer custo. É mais preferível um crente fiel a qualquer custo do que um crente que anseie por vitória a qualquer custo!
Já o crente que acha que deve ter vitória em todas as situações da vida, nunca conheceu Cristo e está longe do que diz sua Palavra! Este tipo de crente é motivado pelo que Cristo pode fazer por ele e não pelo que Cristo é. Suas motivações não tem bases bíblicas e será um forte candidato à frustração e facilmente lançará sobre Deus e a Bíblia a culpa de suas desesperanças. Ele nunca estará pronto para as aflições, pois sua mentalidade de cristianismo é baseada na falsa ideia de que Deus sempre nos livrará da aflição, quando ele deveria crer que Deus nos dá livramento "na" aflição!

  • A Visão Judaico-cristã de Aflição

Como os judeus tementes e os cristãos do primeiro século viam as aflições? Como as encaravam? Qual reação tinham quando percebiam a derrota batendo em sua porta?

1. Eles a viam como benção: 

"Eis que bem-aventurado é o homem a quem Deus repreende; não desprezes, pois, a correção do Todo-Poderoso." Jó 5:17
"Porém, ele sabe o meu caminho; provando-me ele, sairei como o ouro." Jó 23:10
"E, na verdade, toda a correção, ao presente, não parece ser de gozo, senão de tristeza, mas depois produz um fruto pacífico de justiça nos exercitados por ela." Hebreus 12:11

2. Viam como "o agir de Deus"!

"Sabes, pois, no teu coração que, como um homem castiga a seu filho, assim te castiga o Senhor teu Deus." Deuteronômio 8:5
"Porém ela lhes dizia: Não me chameis Noemi; chamai-me Mara; porque grande amargura me tem dado o Todo-Poderoso." Rute 1:20
"Porque as flechas do Todo Poderoso estão em mim, cujo ardente veneno suga o meu espírito; os terrores de Deus se armam contra mim." Jó 6:4

3. Como forma de correção:

"Porque o Senhor repreende aquele a quem ama, assim como o pai ao filho a quem quer bem." Provérbios 3:12
""Sabes, pois, no teu coração que, como um homem castiga a seu filho, assim te castiga o Senhor teu Deus." Deuteronômio 8:5

4. Como agente purificador:

"Pois tu, ó Deus, nos provaste; tu nos afinaste como se afina a prata." Salmos 66:10
"Eis que já te purifiquei, mas não como a prata; escolhi-te na fornalha da aflição." Isaías 48:10
"E assentar-se-á como fundidor e purificador de prata; e purificará os filhos de Levi, e os refinará como ouro e como prata; então ao Senhor trarão oferta em justiça." Malaquias 3:3

5. Como algo que produz resultados enriquecedores:

"Antes de ser afligido andava errado; mas agora tenho guardado a tua palavra." Salmos 119:67
"E farei passar esta terceira parte pelo fogo, e a purificarei, como se purifica a prata, e a provarei, como se prova o ouro. Ela invocará o meu nome, e eu a ouvirei; direi: É meu povo; e ela dirá: O Senhor é o meu Deus." Zacarias 13:9
"E assentar-se-á como fundidor e purificador de prata; e purificará os filhos de Levi, e os refinará como ouro e como prata; então ao Senhor trarão oferta em justiça." Malaquias 3:3
"Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente." 2 Coríntios 4:17

Estas eram as bases da visão que os cristãos nos dias de Pedro tinham sobre o papel das lutas e aflições na vida dos servos de Deus! Quando encaramos as aflições como um instrumento de provação e que favorece crescimento, experiência e um aprofundar de relacionamento com Deus, então temos forças para passar por qualquer adversidade sem reclamar e ainda guardar no coração a certeza de que, se Deus não nos der a vitória, "alcançaremos o fim da nossa fé, a salvação das nossas almas."

  • Voltando para as palavras de Pedro:

Primeiro, o Apóstolo lembra que, independente das circunstâncias da vida, estamos "guardados na virtude de Deus para a salvação, já prestes para se revelar no último tempo..." Veja! Não importa o que passemos, não importam as tribulações, as lágrimas, o que importa é que estamos guardados para o dia da salvação! Este é nosso bem mais precioso, deve ser a âncora de nossa fé, nossa motivação, nosso gozo e alegria! Um dia tudo vai passar. Somos crentes porque queremos um dia estar com Ele e não porque queremos vitórias em cima de vitórias!

Segundo, Pedro diz "...em que vós grandemente vos alegrais..."Alegrar-se em quê? Naquilo que é maior, supremo, superior: a salvação! A esperança de uma vitória aqui jamais poderá superar a esperança da maior vitória da vida cristã: a vida eterna!

Terceiro, "...ainda que agora importa, sendo necessário, que estejais por um pouco contristados com várias tentações..." Na visão do Apóstolo, o que haveremos de receber na eternidade é tão extraordinário, tão superior, que, o que passamos aqui em lutas e tribulações, redunda em "pouco"! Rick Warren, em seu livro "Uma Vida com Propósito", disse que nossa vida aqui na terra, com todos os seus sonhos, com toda sua problemática, "é um parêntese em nossa existência". Por que? Porque Deus nos projetou para algo maior. Isto aqui é um momento breve em nossa existência efêmera!

Quarto"...para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória, na revelação de Jesus Cristo." Neste texto Pedro vê: 1. A aflição apenas como "uma prova"; 2. Ele a vê como algo extremamente "precioso" e, 3. Para ele todas as nossas provações devem redundar em "honra, e glória, na revelação de Jesus Cristo."

A minha oração a Deus é que o Espírito Santo de Deus te encha de toda força que precisa para passar pelas lutas e aflições da vida. Não tenhas medo nesta adversidade, saibas que tens um tesouro maior que qualquer vitória que possas ter na terra. Seu alvo não é o livramento da aflição, seu alvo é Cristo. Ele é poderoso para fazer algo muito mais excelente do que te tirar da aflição, Ele te fortalecerá durante a aflição, Ele te revestirá de força, graça, sabedoria e unção para que possas estar tão forte que, quando vier a próxima adversidade, estejas pronto para a batalha e sejas campeão na adversidade!

Nenhum comentário: