9 de dez de 2014

O Adeus ao Homem Que Descreveu a Sociedade Sul americana Sem Querer Querendo

Florinda Meza, viúva de Roberto Bolaños
(Foto: Israel Leal/AP) Site: G1.Globo
Roberto Bolaños ficou conhecido no Brasil na década de 1980 como apenas, Chaves. Seu humor inocente mostrou ao mundo que se pode dar boas gargalhadas sem baixar o nível ou sem apelos sensuais. Crianças e adultos aprenderam a rir, imitar e simplesmente ficarem "todos atentos olhando pra TV" como bem dizia a música de abertura do programa de Bolaños.
Mas suas cenas eternizadas na memória sul americana, não tinham somente humor, tinham fortes mensagens que refletiam a sociedade do sul da América. Poderia ele talvez querer falar apenas da realidade mexicana, mas acabou fazendo com que os latinos se encontrassem em cada um dos personagens da vila de seu "Barriga", um homem que só se importa consigo mesmo e nem está aí se alguém não pode pagar o aluguel. 
Já seu Madruga e Dona Florinda retratam os pais solteiros que descarregam suas frustrações com desamor, violência e inimizade. Quico e Chiquinha são os filhos desses pais que não percebem em sua inocência a frustração deles e se comportam como se seu lar fosse perfeito, pois encontram neles (nos pais) a força de que precisam para continuar a vida.
Dona Clotilde, a "Bruxa do 71" é o retrato das senhoras que por algum motivo não conseguiram encontrar o amor de sua vida e vê em seu Madruga a esperança de viver o amor que nunca teve ou que perdeu um dia.
E o Chaves, representa as milhares de crianças sem pais, sem teto e vítima de bullying na vila que se relacionava com ele, mas era incapaz de atender suas necessidades. Chaves mora ali em frente às casas de Dona Florinda, seu Madruga e Dona Clotilde, faz parte do dia-a-dia deles, mas eles são incapazes de lhe dar uma dormida ou uma refeição. É justamente a representação de milhares de crianças que estão bem ali em nossa esquina, mas não estendemos a mão para elas. Aliás, a maior característica da vila onde Chaves reside em um barril é a indiferença e o egoísmo!
Roberto Bolaños partiu para a eternidade e deu adeus a esta sociedade cheia de sérios problemas sociais, políticos e econômicos e nos deixou a grande lição de aprender a rir em meio ao caos e desespero deste estado de coisas onde impera a indiferença e injustiça social.

Nenhum comentário: