27 de ago de 2014

Caso Adesal X Ceadeb: Acabou a Disputa


Neste início de semana uma bomba caiu no colo do senhor Presidente da CEADEB e dos advogados que, no Processo de nº 052148-24.2010.8.05.001, requeria o seguinte: "...o direito de indicar um de seus ministros para a Presidência da Adesal, consoante o disposto no Art. 54 do Estatuto da primeira Ré, aduzindo ainda que o Presidente deve necessariamente ser integrante do quadro da CEADEB."
A Ceadeb requereu ainda, liminarmente, a "imediata destituição do segundo e terceiro réus (Pastores Israel Alves Ferreira e José Pereira Lima), e que o quarto demandado (Pastor Abiezer Apolinário da Silva) fosse obrigado a indicar o nome do Pastor Eliúde Amaral Soares ao conselho da entidade ré."
Além disso, a CEADEB requereu também, liminarmente, a suspensão de uma Assembléia da Adesal em 2010. Por causa disto, ficou a Adesal, até este último final de semana, impossibilitada de realizar Assembléias Ordinárias por respeitar a decisão da justiça que analisava as liminares de ambas as partes. 
Todavia, a justiça decidiu neste início de semana que há "inexistência de qualquer vinculação jurídica ou estatutária entre as entidades litigante e tendo em vista o fato de que a CEADEB não é membro da ADESAL, não integrando o seu quadro de associados, não vislumbro a legitimidade apta a respaldar o ajuizamento da presente demanda."
Diante disto, a juíza que julgou o processo decidiu: 
"...em face do reconhecimento da ilegitimidade ad causam da requerente, JULGO EXTINTO o feito sem julgamento de seu mérito, consoante o Art. 267, VI do Código de Processo Civil." E acrescentou: "Condeno a autora ao pagamento das custas processuais acaso remanescentes e honorários advocatícios."
Portanto, a Adesal saiu vitoriosa no processo mais ansiado pelo Presidente e por alguns membros da CEADEB. O processo em que a CEADEB exigia a saída do Pr. Israel Alves da Presidência da Igreja, entre tantos outros absurdos considerados ilegítimos pela própria justiça, foi considerado EXTINTO pela Juíza de Direito Karla Adriana Barnuevo de Azevedo.
Muita gente pergunta agora o que acontecerá com as igrejas, isto é, os templos, alguns tomados à força, outros com proteção de liminares. Em reunião com os Pastores de Setor, o Presidente da Adesal, Pastor Israel Alves, afirmou que este é um momento primeiro para celebrar ao Senhor por mais uma vitória dada à sua Igreja e que o diálogo e perdão deve nortear as próximas decisões.
Durante a reunião desta manhã, o Pastor Jerônimo, Líder do Setor de Capelinha, lembrou que as ovelhas que estão sossegadas em seus templos, não devem sofrer mais nenhum tipo de inconveniente. Já o Pastor Roberto Menezes, Líder do Setor de Plataforma, falou que muitos irmãos que ficaram na CEADEB não o fizeram por escolher um lado, mas por amor que sempre tiveram ao local de adoração onde aceitaram Jesus e aprenderam a Palavra de Deus.
O Pastor Felipe das Virgens, Líder do Setor de Tancredo Neves, disse que este é um momento para refletir com cautela, a fim de que não cometamos os erros do passado.
Abaixo, cópia da sentença que favorece a Adesal.











21 de ago de 2014

Santa Corrupção Eleitoreira



O povo evangélico, creio que por herdar esta maldição do cristianismo católico, gosta de sacralizar tudo. Tudo que for usado ou mencionado no contexto gospel, tem uma tendência a ser visto  ou, é tendenciosamente imposto, como santo. Condenamos tudo que o mundo faz, mas se for feito por nós, passa a ser um serviço a Deus, uma glória ao nome do Senhor! Os shows são santos, os sorteios são santos, a balada agora também é gospel, portanto, santa. Hoje existe todo tipo de comportamento e entretenimento sacralizado por nós. Aproveitamos até para botar pra fora aquele desejosinho de encher a cara e tomamos ponches e cervejas sem álcool em nossas reuniões e solenidades, dançamos descendo até em baixo e rimos dando uma conotação de engraçado, divertido e, claro, santo.
Neste tempo de eleições, temos também a oferta alçada vinda dos políticos. Como funciona? Simples. O político marca um encontro, um almoço, até aí tudo bem. Nós pastores, líderes de comunidades evangélicas precisamos ouvir propostas, conhece-las e observar se elas estão de acordo com aqueles princípios espirituais, morais e éticos que devem nortear a vida de qualquer ministro do Evangelho. Não há pecado em ouvir aqueles que poderão ocupar uma cadeira no legislativo ou executivo, não. Ouví-los não significa que estejamos fazendo acordos ou algo semelhante.
Todavia, aceitar propina sob a desculpa sem vergonha de que se está recebendo uma oferta, justamente nesta época é, no mínimo, sinal de desvio de caráter e falta de compromisso com aqueles valores exarados nas paginas da Escritura Sagrada e que rege a consciência de todo homem de bem. Parece que temos uma tendência natural de querer justificar nossos pecados buscando embasamento na Bíblia para nossas sem-vergonhices! 
Aceitar ofertas de políticos em campanha é a mesma coisa de se vender e negociar com o rebanho do Senhor. É vender o voto, é negociar com a arma mais poderosa de qualquer cidadão em uma democracia. Corrupção também é o político dar dinheiro e ofertas especiais a denominações, sob o pretexto de estar doando para a construção ou qualquer desafio que tenha a instituição com a promessa de que terá o seu apoio. Tal político, com esta atitude, já está dando prova de que não quer nada mais do que um lugar ao sol sob as bençãos da "igrejoca" que se vendeu e do "pastoreco" ganancioso!
Tais pastores e líderes não se importam se este candidato vai legislar ou executar em favor da sociedade buscando torná-la mais justa e fazendo da cidade ou país, um lugar melhor de se viver. O que ele pensa é quanto o tal tem para lhe oferecer. E, neste contexto, negocia-se tudo: cargos, posições, mesmo que sejam fantasmas; benefícios, dinheiro fácil e ilícito, entre outras coisas.
Fico observando alguns desses políticos "crentes" que prometem em todo pleito doar parte de seus salários para a Igreja! Isso é o cúmulo do absurdo! Uma proposta indecente e sem nenhuma verdade! Vejo gente aplaudindo e fico me perguntando que desgraça é essa, que cegueira miserável, que incompreensão de tudo, de Deus, de Bíblia, de valores!
Não precisamos do dinheiro desta gente! Só por esta proposta, sua fala deveria ser interrompida! Porque? Simples, precisamos de homens e mulheres que legislem em favor do povo e que tenha tanto temor a Deus que se comprometa com os valores da família e de uma sociedade justa.
Não voto em político que doa oferta nesta ocasião. Perguntei a um político crente de nossa Adesal se ele é dizimista e ofertante em seu dia-a-dia, se isto é uma rotina em sua vida de cristão, se ele contribui regularmente com missões, orfanato, a construção do grande templo, ou se ele faz como a maioria, que vem com aquela conversinha safada de que sentiu desejo de contribuir com a construção do templo sede só agora, em tempos de eleição. Ele me respondeu que sempre ajuda! Não era a resposta que esperava, mas minha pergunta tinha o objetivo de mostrar-lhe o perigo de subornar e ser subornado sob a alegação de estar ofertando ao Senhor!
A Palavra do Senhor em Isaías 33: 15,16, diz: 

"Aquele que anda corretamente e fala o que é reto, que recusa o lucro injusto, cuja mão não aceita suborno, que tapa os ouvidos para as tramas de assassinatos e fecha os olhos para não contemplar o mal,
é esse o homem que habitará nas alturas; seu refúgio será a fortaleza das rochas; terá suprimento de pão, e água não lhe faltará."


11 de ago de 2014

As Idiotices Facebookianas

Dizem que se o Facebook fosse um país, seria o terceiro mais populoso do mundo! O Uol chegou a anunciar que  o número de usuários da Rede Social mais famosa do mundo, poderá passar a população chinesa em 2015. A revista virtual Exame chegou a conjecturar acerca das "dimensões impressionantes" do Facebook. Se fosse um país: "teria cerca de 26,4 milhões de quilômetros quadrados, uma população com idade média entre 23 a 49 anos, e mais de 70 idiomas oficiais."  
Mas eu gostaria mesmo era de saber qual seria o nível intelectual e cultural desta nação fundada por Mark Zuckerberg. Uma coisa eu sei: esta população é patriótica. Dedica-se mais tempo ao seu país que a qualquer outra coisa. Esposa, filhos, maridos, vidas espirituais e acadêmicas, e tudo que seria prioridade, é secundário nesta nação azul de curtições, comentários e cutucadas.
Parece que neste país, a universidade é a mediocridade e o estilo de vida é aquele que seja melhor do que o que foi postado na página alheia. Existe uma prática nesta república que tem haver com a divulgação em larga escala, de fatos infundados que envolvam o que se tem por certo que chamaria a atenção. Os kkk's em vídeos manjados e sem graça, as frases com supostos tons de piedade, só para publicar uma também suposta ideia de que se importa, transformam-se em virais. 
No meio deste universo habitado e visto por milhões e milhões diariamente, estão também os crentes com seus jargões da nova era pentecostal, subtraídos da última vertente do neo pentecostalismo (aquela igrejas em galpões minúsculos, mas com sons pesadíssimos e barulho de pandeiro que só termina às 23 horas!). Esses aí dizem mais asneiras no universo facebookiano que qualquer um outro. Para eles, qualquer espetáculo em seus encontros de línguas mais que estranhas, vira vídeo viral e se propaga como se fosse a manifestação mosaica de Deus na era da graça!
Que dizer então das publicações de hora de almoço, de ida ao shopping, à feira, ao consultório, ao banheiro, ao dormir, ao fazer amor com o parceiro ou parceira e dos desabafos de tristeza, de luto, de raiva, de dor e das publicações de adolescentes e idiotas adultos que querem a todo custo chamar a atenção, tirando fotos perto de carros caros e de lugares fantásticos?
Há uma necessidade de compartilhar o que deveria ser não compartilhável, o que deveria ser sagrado, secreto, íntimo, pessoal e proibido. A ferramenta mais poderosa da internet, é também a mais perigosa, é ela que publica nossos segredos e nos descreve como os idiotas da era da informação, idiotas que posam de sagazes e inteligentes!
Os absurdos facebookianos não tem fim. Vão desde a exposição pública da própria vida, até às traições conjugais, de amigos, ideológicas e espirituais. Dão a volta no mundo e são considerados como: as mais curtidas, denunciando assim o estado deplorável de almas enlameadas pela burrice e pela insanidade. É o retrato de uma geração incapaz de perceber os valores da vida, ou que, propositalmente, os distorce, admitindo um estilo que os está confinando a uma vida medíocre e sem precedentes na história da humanidade (sem exageros!)

O Anseio da Nova Geração de Pregadores

Vendendo em uma rede social como
"sapato de pregador"
Não há dúvida de que a secularização da Igreja é um dos grandes desafios dos últimos tempos. Com muita facilidade e naturalidade, a igreja está se acostumando com os ditames do presente século e abrindo as portas para uma filosofia e estilo de vida abertamente condenados por Cristo nos Evangelhos e pelos pais da Igreja. Esse tipo de familiarização vai desde os costumes mais corriqueiros até aos teológicos, ideológicos, morais e espirituais. 
Hoje quero destacar a necessidade de pregadores e cantores se afirmarem. Essa ânsia para que todos os conheçam e os admirem, assim como anseiam as estrelas de cinema e do Rock, é uma afronta aos ensinos basilares sobre simplicidade, de nosso Senhor Jesus Cristo. 
Pra essa gente que veste ternos brilhantes e calçam sapatos espalhafatosos, (falo daqueles que usam para chamar a atenção) Jesus deveria representar a geração de pregadores medíocres e inexpressivos e, pior ainda, seria esse tal de João Batista, acostumado a uma roupa ultrapassada de pele de animal e um simples cinto de couro!
Com respeito ao artista que criou
o personagem Falcão, mas a
semelhança com alguns de
nossos pregadores é alarmante.
Quando vejo esses caras de olhar altivo, que me medem de cima abaixo com olhar de desprezo, fico tentando imaginar se a Bíblia que leem é a Sagrada ou o manual de manequim de Falcão! A palhaçada é tamanha que só pode ser superada pelo cara que só se veste assim para fazer show.
Minha dor aumenta quando percebo que a nova geração de pregadores vem copiando este estilo cruelmente imposto neste contexto da onda dos Conferencistas, em detrimento da simplicidade, a graça e a sabedoria do alto. Enquanto isto, nossos púlpitos ficam vazios de Bíblia e de humildade e a revelação do Espírito Santo para a pregação, vai sendo substituída pelo brilho da roupa, do sapato e ostentação do carrão do pregador.
O anseio pela ostentação é tamanho que a igreja pode ser humilde como for, eles sempre brilharão e balançarão seus punhos para que reluzam ainda mais seus relógios dourados e anéis de supostas graduações. O conteúdo deixa de ser essencial para deixar valer o estereótipo.
Outro dia, um pastor amigo falou-me de um certo Conferencista convidado para um Congresso de grande porte e de sua preocupação sobre com que carro iria ao evento, pois afinal de contas, precisava impressionar! O pior é que eles pensam deste jeito, porque a igreja moderna gosta disto, é ela quem alimenta essas expectativas. É o novo modelo de liderança e igreja que diz que quanto mais brilho, melhor, quanto mais anéis, mais deve ser a cultura bíblica, quanto mais ocupada a agenda, maior o valor do pregador! Ninguém quer saber se o que o pregador diz tem base na Escritura. O que querem saber é se ele conseguirá emocionar, se todos sairão dizendo que foi tremendo, que arrebentou. Ah, aí com certeza, valerá o alto cachê, o hotel de luxo e todas as paparicações.
Se Jesus entrasse hoje nestes congressos com sua barba agreste, sua aparência de cansado, pés empoeirados nas aldeias e povoados de seu ministério, seria imediatamente expulso e ainda pensariam estar fazendo uma honra a Deus! Se Jesus entrasse, por certo ficaria no meio da multidão sem se manifestar (João 7:10), por certo não procuraria os primeiros lugares nos púlpitos mais  lotados que ônibus coletivo em hora de pick (Marcos 12:38,39; Mateus 23:5,6; Lucas 11:43) e, com certeza, se conseguisse fazer alguma proeza, procuraria mantê-la em oculto (Marcos 7:36; Mateus 16:20).
Mas Jesus é um louco! A agenda precisa ser divulgada! Os feitos? Muito mais! O cartaz do evento tem que ter o nome do Pregador e propagado em outdoor, tvs e toda sorte de mídia, pois, afinal, é isto que atrai a multidão!
Não, estamos errados! Estamos desviados, longe do Evangelho simples de nossos Senhor e Salvador Jesus Cristo! Porque aceitamos este estado de coisas? Porque alimentamos, se sabemos que é pecado? Porque não mudamos e não fazemos exatamente como a Bíblia diz que deve ser? Porque não voltamo-nos para Cristo, arrependidos por querer a glória que só pertence a Cristo? Porque, às vezes, parece que a síndrome de Lúcifer, como disse certa vez Caio Fábio, está dentro de nós? Sim, porque parece que só nos falta o trono do Eterno! Queremos ser vistos e adorados. Queremos ser percebidos e, se passamos desapercebidos, entramos em depressão e passamos a fazer tudo para chamar a atenção como meninos mimados!