29 de out de 2014

Por Uma Adesal Melhor


Não quero ser simplista, mas as soluções para a Adesal são simples, sim senhor. Outro dia, depois de ouvir certo ministro falando dos reflexos na vida espiritual da Igreja causados pelos problemas de ordem financeira, um outro ministro imediatamente o rebateu dizendo que aquele estava confundindo os assuntos técnicos da Igreja com os espirituais! Oi? Meu amigo e pastor desavisado, deixe-me lembrá-lo que, apesar da Igreja ser organismo e organização, tudo que você faz em sua organização nos diversos setores, terão relevantes reflexos nela como organismo. Exemplozinho básico, consideraria até medíocre, mas vamos lá: Se a Igreja tem sérios problemas de ordem financeira e isso é de conhecimento dos membros e congregados, é mais que óbvio ô "abençoado", que isto trará sérios reflexos na vida espiritual da instituição! Um povo decepcionado, frustrado com a liderança e, principalmente, que não acredita mais nela, desanimará. Daí decorrerão feridas, afastamentos, desilusões e toda sorte de males que afetarão frontalmente a vida espiritual da Igreja. É fato!
Bem, vamos ao que interessa: nos últimos quase três meses, a Igreja de Salvador, Adesal, voltou a ter sua auto estima lá em cima. Tivemos duas vitórias em processos da CEADEB contra nós, ambas postadas  neste blog. (Processo Extinto e Queda de Embargo). No setor onde sou Pastor, por exemplo, vi as pessoas jubilarem e, no semblante delas dava para perceber um respiro de alívio e, ao mesmo tempo de quem quer dizer: "Hum, então tínhamos razão!". Isso deu um oxigênio também às lideranças, principalmente ao Presidente que passou a reunir o Conselho Consultivo para deliberar acerca de uma eleição de nova Diretoria. 
O desejo do Presidente e de muitos Líderes Setoriais é que passemos a escrever uma nova história, viremos uma página marcada por impedimentos e desarrumações sem precedentes na história desta Igreja. Pra isso, é necessário a união dos Pastores Setoriais, Superintendentes de Congregação, Obreiros em geral e toda membresia! Não é possível que nos comportemos como ministros da inquisição numa caça às bruxas! É preciso simplesmente "eliminar" (pelo amor de Deus, eliminar aqui é não dar mais oportunidade) as velhas figuras que já deram provas cabais de incapacidade administrativa! Elegermos uma Diretoria capaz de confrontar de forma ética, supostas atitudes irregulares de qualquer de seus pares na Mesa Diretora, incluindo do Presidente, se for o caso!
Para que uma eleição da Diretoria redunde em uma via de salvação para este estado de coisas, é necessário:
  1. Reformar o Estatuto e Regimento Interno: existem artigos que dizem respeito à eleição e composição da Mesa Diretora que, em minha simples interpretação, comprometem o estado democrático de direito. Para garantir a democracia que tanto exigimos que exista na vida secular, é preciso mudanças urgentes que coadunem com este espírito democrático!
  2. Uma vez reformado o Estatuto nesses artigos, é preciso que haja eleição da nova Mesa Diretora de todos os cargos, eu estou dizendo: TODOS.
  3. Como disse acima, é preciso renovar, não podemos aceitar a presença de gente que já esteve envolvida com problemas de resoluções duvidosas, réu em dossiês, etc. É preciso que a Assembléia esteja atenta para isto e não permita que nomes sobre os quais pairam dúvidas, voltem a compor a Mesa Diretora desta Igreja.
  4. É preciso criar mecanismos estatutários para que, não só o Conselho Fiscal, mas a Tesouraria tenha a autonomia de tomar as decisões necessárias para evitar os erros do passado e colocar a Igreja num caminho de enxugamento da máquina, diminuição de despesas, planejamento, renegociação e modernização do sistema financeiro da instituição.
Penso em outros pontos importantíssimos, mas acredito que esses quatro são basilares neste momento delicado que vivemos. Eles só serão possíveis com uma gana pelo melhor para esta igreja, onde desapareçam os interesses pessoais e as guerrinhas de ego. 
Antes de tudo isso porém, é preciso um voltar sincero para Deus, um arrependimento (tem uma turma aí que diz que não se pode confundir os problemas técnicos com os espirituais da Igreja, que não gosta deste discurso não.). É preciso um desejo de agradar a Deus independente de qualquer coisa. É necessário renúncia, é necessário sofrer o dano (1 Co. 6:7)!
Que Deus abençoe e dê sabedoria ao Presidente!

27 de out de 2014

Colocando Os Pontos nos I's




Escrevo este texto para meia dúzia de leitores e amigos que me acompanham. Durante todo processo de campanhas políticas não me posicionei, não utilizei o face para defender minhas convicções, nem tão pouco fiz da igreja que pastoreio, comitê político. Respeito as diferenças, a liberdade de expressão e de escolha dadas a nós por Deus e ratificada em nossa Constituição. Porém, tenho visto e lido coisas absurdas no face e em todas as redes sociais, escritas e ditas principalmente por religiosos ou líderes que manipulam seu povo. Vamos lá:

Defendem alternância de poder, entretanto, não entregam suas igrejas a outros pastores, vivem anos a fios sendo eternos presidentes e ai de quem se posicionar contrario as suas ideias. Lideram convenções como vitalícios mandatários, caso alguém deseje se candidatar, o que é direito garantido pelo Estatuto, este tal infeliz é chamado de " endemoninhado, filho do diabo, rebelde" etc..

Endeusam um candidato e demonizam o outro, quando, se pesarmos na balança, ambos são iguais: corruptos, exoteristas, maçons, tem mãos manchadas por desvios de verbas, fazem alianças escusas para sustentar sua governabilidade, não demonstram crença no Deus verdadeiro e são defensores de ideologias que contrariam os princípios bíblicos.

As questões do casamento gay, legalização do aborto, descriminalização da maconha, e oficialização da profissão de "profissionais do sexo", passam pelo Congresso Nacional, são os Senadores e Deputados que têm a competência de legislar, ou não sabem o senhores que este é o papel fundamental dos nossos representantes? Agora, me façam uma garapa, conheço líderes religiosos que apoiaram candidatos ao cargo de Deputado Federal, cidadãos não evangélicos, se venderam, receberam propinas, tem seus filhos em cargos comissionados no governo petista, fizeram dos templos palanque politico e agora se manifestam contra a reeleição da presidente Dilma! Lembro-lhes: o povo não é bobo e somos seres pensantes. Deveríamos ter nos preocupado em eleger o maior numero de Senadores e Deputados evangélicos, católicos e de linhagem conservadora para contrastar e se opor às ideias malignas que contrariam a Deus e estragam a nobre instituição chamada sagrada família.

4º De fato, não podemos esquecer que o governo que ai está se envolveu em muitos escândalos e foi perdulário com o dinheiro público, contudo achar que não houve avanços é ser cego por vontade própria, ou como diz o velho adágio: " o pior cego é o que não quer ver". Não vejo apenas um lado da moeda, não observo uma parte do processo, mas o seu todo, não busco só os meus interesses mais de toda uma sociedade, em especial dos menos favorecidos que com todas as mazelas deste governo, foram beneficiados com moradia, faculdade e a esperança de uma vida mais digna.

5º Não posso esquecer que: DEUS É SOBERANO E SENHOR DA HISTORIA, se Ele não quisesse Dilma não seria reeleita.

6º Eleição é eleição e, para tanto, num país ainda democrático, o povo tem a liberdade de fazer a sua escolha e vivenciar os resultados dela. Que Deus abençoe a Presidenta reeleita, bem como todos os integrantes do seu novo governo, afinal, é isso que a Bíblia nos orienta.

Os números da apuração mostram claramente que a nação está ideologicamente dividida, no entanto, cabe aos vencedores mostrarem sua capacidade de unir o povo através de ações e atitudes que tragam a tranquilidade social que as duas metades do Brasil anelam.

7º Sei que serei entendido por uns, elogiado, criticado por outros, entretanto, sou cidadão livre, pensador e formador de opiniões, não poderia me calar diante de alguns descalabros de "chefes, caciques" que ignoram ou desdenham da inteligência e sapiência do povo. Amo minha pátria, vou orar e trabalhar para que ela seja uma pátria melhor.

Avante Brasil, parabéns presidente Dilma!!!!!






Pr. Enivaldo Moreira é licenciado em Filosofia, 
Bacharel em Teologia e Líder da Assembleia de Deus
Ministério Madureira em Feira de Santana

A Histórica Questão da Corrupção no Brasil

Por Erivaldo Brasileiro


Infelizmente um grupo muito grande de brasileiros ainda não compreendeu que no Brasil a corrupção não é coisa de um único partido político. Acredito, inclusive, que seja coisa de todos os partidos, pois é algo que, infelizmente, é praticado até mesmo pelo cidadão das classes C, D e E como algo normal em seu dia-a-dia. Outra coisa que as pessoas não percebem é que não se ameniza a corrupção apenas fazendo discurso eleitoreiro e denuncista em tempos de campanha. 
É necessário tratar do assunto de modo muito mais sério e durante as legislaturas para que, talvez assim, haja algum avanço. Um segundo problema também grave é o fato de a maioria das pessoas ter muito pouco conhecimento sobre a história política do Brasil e sobre seus representantes políticos. Para entender adequadamente o fenômeno político brasileiro faz-se necessário procurar conhecer a história do Brasil e de seus principais grupos políticos. 
Saber como surgiram, porque surgiram e quais suas pretensões históricas e ideológicas, apesar de no Brasil se valorizar muito pouco a ideologia. Faz-se necessário ainda, conhecer a história das principais nações do mundo e perceber o que impulsiona as relações políticas e econômicas entre essas nações. 
Assim, se torna possível perceber o que acontece de verdade no jogo político mundial e entender até que ponto isso influencia na política interna do Brasil e consequentemente, em nossas vidas. Afirma-se muito que a ignorância dos brasileiros sobre qualquer assunto ocorre por culpa única e exclusiva dos nosso governantes, mas acho que isso é verdade apenas em parte. 
Afinal, é perfeitamente possível obter suficiente quantidade de conhecimento com o que nossa sociedade já nos oferece e assim entendermos os reais porquês dos acontecimentos. A todos os conhecidos com quem mantive contato durante a campanha eleitoral de 2014, fica o meu abraço, mas também o convite para melhor conhecimento sobre os assuntos aqui postos para que, na próxima oportunidade, tenhamos todos mais consciência dos fatos à nossa volta e da real importância de cada um deles.

23 de out de 2014

NOTA DE ESCLARECIMENTO:

Aos queridos irmãos da Adesal,
Graça e paz da parte de Deus.
Na qualidade de um dos Diretores da Semadesal, quero esclarecer que a Secretaria de Missões, trabalha com transparência e muito temor a Deus, sendo fiel na manutenção de todos os missionários e de todas as ações missionárias de nossa Igreja. Temos o compromisso de manter os missionários ENQUANTO ESTES NÃO FOREM CAPAZES DE ADQUIRIR AUTONOMIA FINANCEIRA. Uma vez que a obtenham, a Semadesal, em diálogo com o Missionário, propõe a suspensão do vínculo financeiro, permanecendo os vínculos espirituais e ministeriais. A suspensão definitiva só acontece depois do diálogo e de um prazo de carência que visa a organização financeira do missionário. A iniciativa tem por objetivo contemplar outros projetos missionários e ampliar a capacidade de manutenção de obreiros em missões de nossa Igreja.
Portanto, não é verdade o que determinados missionários, estão informando nas congregações da Adesal, embora os mesmos tenham serviços prestados no Reino de Deus. Não duvidamos do trabalho de ninguém, apenas não concordamos com a postura desleal, que tais missionários tem assumido com a aquiescência de certos obreiros da Adesal, semeando dúvidas e tentando destruir todo um trabalho de seriedade feito por nossa Secretaria de Missões a anos. Antes de acreditar em comentários desta natureza, que em nada glorifica a Deus ou contribui com o Reino de Deus, procure ver o "outro lado da moeda", entre em contato conosco. 
Já demos prova de nossa idoneidade e todos os missionários da Igreja hoje, podem comprovar isso. Lamento que alguns líderes que se dizem da Adesal, que tomam conta de Igrejas da Adesal, são coniventes com esta postura antiética e ainda incentivam que tais obreiros, revoltados e doentes espiritualmente, semeiem contendas e todo tipo de sentimento no meio do povo de Deus. 
Repito: tais missionários estão faltando com a verdade quando dizem que a Igreja os abandonou e cortou seus proventos sem os avisar. Eles mesmos sabem que isto não é verdade e o objetivo dos tais, juntamente com os obreiros que os recomenda é, além de levar dinheiro dos fiéis, semear contendas, desconfianças e estabelecer um clima que desfavoreça a obra missionária em Salvador.
Não cito nomes aqui por uma questão ética e porque não tenho interesse algum de denegrir a imagem de ninguém, embora estes não se importem de mentir contra a Igreja e contra a obra missionária feita por esta.
Portanto, solicito que antes de espalhar qualquer notícia desta natureza, entre em contato conosco. Muitos desses obreiros tem sido, na verdade, um grande problema para a Semadesal assumindo posturas que não condizem com a de servos de Deus!

Grande abraço, do amigo.

As Conferências de Missões e Suas Implicações


Nosso país se tornou um celeiro de Conferências em todos os segmentos. Nunca se debateu tanto e nunca se ouviu tanto especialistas como nos últimos anos. Os segmentos organizados encontram-se periodicamente com informações atualizadas e propostas de novos caminhos e ofertas de novos mecanismos que buscam e apontam soluções, além, claro, de discutir os problemas existentes.
No meio evangélico, isto cresce ano após ano. Autoridades eclesiásticas em toda sorte de assunto, se reúnem em pequenos, médios e grandes eventos para discutir, planejar e apresentar propostas nas diversas áreas. Tenho participado de inúmeras Conferências de Missões em Salvador, aliás, a minha agenda de convites gira em torno de missões por causa de minha experiência como missionário e de meu envolvimento com a Semadesal (Secretaria de Missões da Assembleia de Deus em Salvador), e tenho observado que precisamos urgente fazer com que a igreja e as lideranças de missões entendam o que é uma Conferência. 
Começo dizendo que os eventos que denominamos de Conferência Missionária em nossas congregações, na verdade não o é. Na verdade participamos de um ajuntamento que fala de missões mas que não produz o que uma verdadeira Conferência produziria.
Nesta minha contribuição, pretendo falar sobre o que é uma Conferência e como fazer com que ela produza os resultados esperados.

O que é uma Conferência?

Conferência é um espaço de debates, um mecanismo que permite a participação de todos na discussão de determinado tema. Portanto, é um espaço democrático onde todas as idéias, conceitos e soluções são ouvidas e apreciadas. Na Conferência, os diversos segmentos debatem por meio de metodologia específica os diversos temas.

O que é uma Conferência de Missões?

A Conferência de Missões deve ser um espaço de debate da Obra Missionária, onde não somente especialistas em Missões, mas também os próprios missionários e segmentos da membresia devem ter oportunidade para o debate apontando problemas e soluções.

Objetivos de uma Conferência de Missões:

  1. Debater e propor ações da Igreja no acompanhamento e controlo da gestão da obra missionária e o fortalecimento da interação entre Igreja e Missões;
  2. Promover, incentivar e divulgar o debate e o desenvolvimento de novas idéias e conceitos sobre a participação da Igreja no acompanhamento e controle das ações em missões;
  3. Propor mecanismos de transparência e acesso a informações e dados da obra missionária a ser implementados pela Secretaria de Missões e fomentar o uso dessas informações e dados pela Igreja;
  4. Debater e propor mecanismos de sensibilização e mobilização da Igreja em prol da participação no acompanhamento e controle da gestão de Missões;
  5. Discutir e propor ações de capacitação e qualificação da Igreja para o acompanhamento e controle da gestão em missões, que utilizem, inclusive, ferramentas e tecnologia de informação;
  6. Discutir e propor ações de capacitação e qualificação de missionários e obreiros para as áreas que tenham sido alvo de debate e discussão na Conferência;
  7. Desenvolver e fortalecer redes de interação dos diversos segmentos e departamentos da Igreja para o acompanhamento da gestão de missões e dos missionários;
  8. Debater e propor medidas de prevenção e combate às barreiras que se levantam contra a obra missionária, na Igreja e no campo missionário;
  9.  Criar diretrizes que subsidiem a elaboração de um Plano de Transparência e Controle Social sobre a gestão de Missões, que oriente as atividades missionária na Igreja e a envolva nas mesmas;
  10. Criar diretrizes que subsidiem a elaboração de um Plano de Missões em cidades, estados e nações que tenham sido alvo de debate na Conferência.
Esses objetivos são basilares, além de outros específicos e que atendam às demandas de cada Igreja, cada circunstância. Nada disso também terá valor se o Espírito Santo não for o guia.
É bom lembrarmos que uma Conferência deve seguir determinadas etapas. Se existe o objetivo de que toda uma denominação em uma cidade, por exemplo, faça parte da discussão proposta pela Conferência, esta discussão deve começar a partir de congregações, depois de regiões e por fim, em um debate para toda cidade.
Se a idéia é formar uma consciência em determinado assunto ou tema, é preciso também que a Secretaria de Missões da  instituição elabore a Conferência para ser discutida nas etapas citadas. Conferências isoladas, com temas diferentes, não podem ser capazes de formar conceitos, tão pouco causar consciência.

Antes da Conferência

É claro que a Conferência pode ser um veículo de conscientização poderoso. Todavia, a consciência missionária da Igreja deve começar desde o discipulado, passando pela doutrinação diária, sendo discutida e vivida pelas lideranças e por cada crente. Deve ser o respirar da Igreja. Isto posto, a igreja educada em missões, terá maturidade para discutir temas específicos através de representações dos diversos departamentos ou segmentos dela em uma Conferência de Missões.
Para isto, a igreja precisará de lideranças comprometidas com Missões e abertas ao debate e que busque novos olhares sobre as múltiplas necessidades de missões de forma global. 

17 de out de 2014

Cai Embargo da CEADEB




OBS: Click no Fullscreen na parte inferior à sua direita para ampliar o documento e use a barra de rolar também à direita para ver todo o documento. Click em "Save" para salvar o documento para você. Click em "Share" para compartilhar com outras redes sociais ou para postar em seu blog ou site.

Primeiro entendamos o que é embargo. "Embargo de Declaração ou Embargo Declaratório serve como instrumento pelo qual uma das partes de um processo judicial pede ao magistrado para que reveja alguns aspectos de uma decisão proferida. Esse pedido deverá ser feito quando for verificado em determinada decisão judicial, a existência de omissão, contradição ou obscuridade...Os embargos declaratórios são previstos no art. 535 do Código de Processo Civil." (Juris Way)
Esta é uma explicação técnica sob o ponto de vista jurídico que, em sua gíria entre advogados, costumam chamar de embarrigamento, o famoso "empurrar com a barriga", termo usado para quem quer adiar determinada decisão. Foi o que a CEADEB, através de seus advogados, no legítimo direito amparado pelo artigo citado do Código de Processo Civil, fez no que diz respeito à decisão do processo de nº 052148-24.2010.8.05.001 que requeria o seguinte: "...o direito de indicar um de seus ministros para a Presidência da Adesal, consoante o disposto no Art. 54 do Estatuto da primeira Ré, aduzindo ainda que o Presidente deve necessariamente ser integrante do quadro da CEADEB.", entre outros requerimentos. A decisão judicial , como postada neste blog, foi de que há "inexistência de qualquer vinculação jurídica ou estatutária entre as entidades litigante e tendo em vista o fato de que a CEADEB não é membro da ADESAL, não integrando o seu quadro de associados, não vislumbro a legitimidade apta a respaldar o ajuizamento da presente demanda." Portanto, "...em face do reconhecimento da ilegitimidade ad causam da requerente, JULGO EXTINTO o feito sem julgamento de seu mérito, consoante o Art. 267, VI do Código de Processo Civil." E acrescentou: "Condeno a autora ao pagamento das custas processuais acaso remanescentes e honorários advocatícios."
Bem, a CEADEB, como disse, entrou com o Embargo de Declaração e perdeu mais uma vez. Ela alegou que o "prolator da decisão embargada não atentou para todos os pedidos formulados, estes que não guardariam vinculação com a relação jurídica entre a parte autora e a parte ré, razão de ser da ilegitimidade afirmada." O Juiz de Direito  George Alves de Assis, declarou em sua sentença que " ...a decisão embargada, porém, diferentemente do que assevera o embargante (a CEADEB), não padece da falta de qualquer dos requisitos quanto à inteligência do ato, não sendo, por isso mesmo, omissa." O Juiz afirmou ainda que "não é difícil constatar que sua pretensão é a desconstituição de diversos atos praticados pela primeira acionada e pelos demais réus na condição de integrantes da primeira, de modo que a fundamentação da sentença atacada, que afirmou a impossibilidade de avançar-se no mérito, dada a autonomia da pessoa jurídica acionada, é clara o suficiente para rejeitar os embargos agitados." E finalizou dizendo: "Diante do exposto, conheço dos embargos de declaração opostos, negando-lhes provimento."
Esta é mais uma etapa de vitória da Adesal neste processo absurdo cuja razão era manter a Adesal sob as garras de uma instituição que nunca beneficiou a Igreja em nada, pelo contrário, a Igreja de Salvador é a razão de existência da CEADEB. Foi aqui que tudo começou, foi através desta igreja que sempre hospedou as reuniões convencionais e que enviou muitos de seus pastores para servir à CEADEB em seus campos, que ao longo dos anos sustentou vários missionários em campos ceadebianos, que a Bahia se tornou em dos campos da Assembléia de Deus mais vasto deste país.
Não me sinto vingado, em hipótese alguma, oro por um tempo de paz entre a Adesal, Conframadeb e Ceadeb. Todavia, quero salientar que me alegro com a vitória de minha igreja, da qual sou membro a mais de 30 anos e espero que ela continue vitoriosa não somente no que diz respeito a este absurdo mas que ela continue marchando como organismo vivo, ganhando almas para Cristo, perdoando os males causados por este fatídico episódio e seguindo em frente para glória de Deus!

16 de out de 2014

O Clima Adesal X Ceadeb


Nunca tratei este assunto com desdém e, todas as vezes que o mencionei, foi sob o meu ponto de vista e fruto daquilo que entendo como ético, moral e bíblico. Sempre entendi que ambos os lados cometeram erros grotescos  e que muitas coisas poderiam ser evitadas se os orgulhos fossem colocados de lado. Todavia, critiquei aqui neste blog a maneira cruel como a CEADEB tratou a igreja de Salvador e manipulou opiniões fazendo com que todos os que não concordassem com ela fossem vistos como rebeldes! Naquela ocasião, até a CGADB era alvo de duras críticas e seu Presidente chegou a ser chamado até de "feiticeiro". A idéia era: se a Bíblia diz que o pecado de rebeldia é como o de feitiçaria e, se a CGADB "apoiava" a Adesal, logo, o Presidente da CGADB era feiticeiro! Absurdo dos absurdos, mas fazer o quê? Era o desespero de quem queria a qualquer custo ter a razão. 
Bem, esta história nojenta já cheirou mal demais e dá repula em pensar na postura de alguns pastores da Adesal e de alguns pastores ceadebianos, esses últimos posavam de guerreiros em uma cruzada, numa tentativa insana de calar quem protestava! O tempo passou e o principal processo movido contra a Adesal foi extinto depois da decisão judicial reconhecer a ilegitimidade das acusações. É claro que ainda tem muita coisa a rolar, embargos e coisa e tal, como já está acontecendo. Mas as coisas começaram a ter um clima estranho. 
Alguns vem com um discurso de reaproximação, outros colocaram as pedras da execração pública temporariamente no chão, outros ainda afirmam que o próprio Presidente da CEADEB já discursou sobre parar, dá uma trégua, agora os pastores da Adeal podem visitar igrejas da CEADEB. Não sei se essa balela toda é boato ou se é verdade, o que percebo é que o princípio bíblico do perdão vai ficando de lado. Quebram-se princípios, ferem-se vidas, violam-se direitos, escandalizam o nome de Jesus, execram os irmãos de fé, apropriam-se de bens imóveis alheios, promovem badernas, e depois querem estabelecer um clima de paz, tapando uma ferida crônica com uma bandagem inadequada.
Vivemos um clima de desconfianças e de incertezas, onde ninguém quer dar o primeiro passo em direção a uma reconciliação séria e bíblica, onde os orgulhos falam mais alto e onde, enquanto tiver uma instância na justiça comum a quem se possa recorrer, todos preferirão essa falsa paz que mais parece acordo político.
Precisa-se definir que tipo de paz estamos falando. Que paz é esta em que processos continuam na justiça comum? Esse clima de desconfiança precisa terminar e é papel meu e de cada crente, tanto da Adesal quanto da Ceadeb, começar a entender que o Eterno Deus nos cobrará em seu devido tempo. É preciso deixar claro que não somos rebeldes e que temos direitos garantidos em nossa Constituição. Não somos obrigados a pertencermos a qualquer instituição ou grupo social. Isto não é pecado, isto é direito, é democrático, é livre arbítrio!
Todavia, independente de direitos ou razões, de qualquer das partes, precisamos agora, pôr um ponto final nesta fatídica história que foi escrita na contra-mão da vontade de Deus e que precisa ser reescrita. É preciso que se estabeleça um clima de verdadeira paz, onde cada um caminhe no caminho que escolheu diante de Deus, que cada um tenha sua autonomia, mas com a consciência limpa, sem usar dos artifícios usados até aqui. Que o perdão não seja cínico e político como vejo acontecendo em algumas reuniões convencionais, que nossas lideranças e eu, todos nós, reconheçamos que, antes de qualquer interesse político, somos crentes, salvos, dizemos que caminhamos para o céu e isto não pode ser mero discurso, tem que ser muito mais que nossa ideologia, é nossa fé.

14 de out de 2014

Somos Todos Selfie


Palavras como Facebook, Twitter, WathSap, e tantas outras do mundo virtual, se tornaram nossas amigas íntimas, porque não dizer, familiares! Selfie, é outra palavra que é dita pelo menos uma vez ao dia por cada ser humano que trafega neste universo do eu.
A palavra indica um auto retrato, onde em primeiro plano está o autor da foto. De repente, todo mundo se tornou estrela e protagonista dos fatos mais estranhos. A última que gerou revolta nas redes sociais, foi de uma senhora que fez um selfie em frente ao caixão do candidato a Presidência da República, Eduardo Campos, morto num acidente aéreo que comoveu o país.
Não tenho nada contra selfie, posso até fazer, embora não goste, mas o que irrita é que esta sociedade, guiada pelo narcisismo e assaltada pela falta de valores e sentimentos pelo outro, na ânsia de ser vista, ovacionada, vai também passando por cima até mesmo da dor alheia só para fazer o seu selfie.
Porque no selfie, o autor é  estrela  e o fato que se pretende registrar, ou a paisagem, lugar, perde importância. Nesta loucura "selfiana", a glória é de quem faz o selfie e a gana por ele nos torna indiferentes ao outro, às circunstâncias, ao sofrimento alheio.
Vamos assim, de certa forma, revelando o que era para ser só nosso, indicando nossas localizações, dando provas contra nós àqueles que podem transformar o inocente em culpado, se quiser. Nossa vida não é mais nossa, aliás nossa vida agora é um selfie, nós em glória, nós em destaque, nós estrela inapagável sob a luz do flash que nos revela ao mundo.
Acontece que nós selfianos,  somos também ridículos, damos ao mundo a oportunidade de não gostar de nós, nos colocamos desnecessariamente sob a crítica e execração de quem não gostou do que viu. Nos exibimos ao bom e ao péssimo gosto de quem não queríamos que nos julgasse, achamos isso necessário, porque simplesmente queremos levantar nossa torre até os céus e fazer um nome para nós. Logo, que importa se alguém fale bem ou mal? O que importa é que minha torre toque os céus, que me vejam, curtam e comente, que me tornem cada vez mais aquilo que quero ser, ainda que não seja. 

6 de out de 2014

Desafios na Missão Mundo Novo

Como todos sabem, desde o início de 2011 começamos um trabalho missionário em Mundo Novo, a 300 Km de Salvador. Em 2005, quando fui Pastor naquela cidade, ainda pela CEADEB, o campo de Mundo Novo era ligado a Piritiba e, nesta época, o mesmo chegou a ser emancipado pela Convenção. Naquela ocasião abrimos um trabalho em Indaí, povoado a 30 Km de Mundo Novo. O povo de Indaí abriu o coração para a Palavra de Deus, de forma que, além dos cultos semanais, realizávamos também a Escola Bíblica Infantil, utilizando o Livro da Vida da Organização AMME.
Em janeiro de 2006, fomos para Goiás, onde passamos quase um ano e retornamos para Bahia, no final daquele mesmo ano. No final de 2010 recebemos um um pedido de socorro dos irmãos de Indaí. Ele nos pediram para que reabríssemos o trabalho naquele povoado, já que estavam sem a assistência da sede em Mundo Novo, a quase um ano! Foi então que, abraçamos a causa, depois de nos certificarmos que a sede em Mundo Novo não daria sequencia àquele trabalho. Junto com o Evangelista Jaziel Buraem, conseguimos cadeiras e outros utensílios para recomeçar o trabalho.
O primeiro ano, 2011, foi de muitas dificuldades, pois viajávamos 600 Km toda segunda-feira para dar assistência àquela congregação. Todavia, o Senhor foi bom conosco! Logo o trabalho começou a crescer e resolvemos abrir uma Base no centro de Mundo Novo para então termos suporte para o
trabalho em Indaí e em outros povoados da região.
Para a glória de Deus e com a ajuda de nossos mantenedores, o trabalho se expandiu para uma fazenda chamada Pedra Branca, graças aos esforços de nosso missionário naquela região, Paulino Santiago. Em um ano, depois de termos recebido o terreno como doação e ofertas dos irmãos em Salvador, inauguramos uma congregação bem no centro da fazenda!
Mas não ficou aí. Conseguimos também a compra de uma casa no Povoado de Santo Antonio, onde realizamos cultos e onde pretendemos construir uma congregação. No povoado de Indaí, estamos construindo uma congregação para a qual pedimos a ajuda dos irmãos. A obra está em andamento e já está quase em ponto de cobertura. O desafio é grande e cremos que você pode nos ajudar! Este ano, o Pastor Luis Anselmo, Superintendente na Congregação de Jardim Praia Grande, no Setor 32 da Adesal, levou uma caravana para Indaí e nos doou além de roupas e cestas básicas, uma oferta de cerca de R$ 800,00 para a obra o que nos ajudou a alavancar aquela construção!
Missionário Paulino na construção do templo em Indaí
Mas os desafios em nossa missão em Mundo Novo vão além das construções. Precisamos de mantenedores para sustentar o nosso Missionário Paulino Santiago que presta assistência a três trabalhos: o de Indaí, o da Fazenda Pedra Branca e ainda no Povoado de Santo Antonio! Um outro grande desafio também, é conseguir pagar o aluguem da nossa congregação no centro de Mundo Novo (R$ 600,00). Este trabalho tem sido uma benção, pois além de vidas estarem sendo resgatadas, ele ajuda os irmãos no Povoado com suas caravanas e todo tipo de assistência!
Eu preciso de tua ajuda para dar continuidade a este trabalho. Nos ajude. Se quiser conhecer pessoalmente o trabalho, basta entrar em contato conosco e participar de nossas caravanas e de nossas visitas mensais àquela região.
Casa comprada no Povoado de Santo Antonio
Este é um trabalho missionário. Nosso objetivo é alcançar outros povoados onde haja carência da pregação do Evangelho. Nesta região há ainda muitos povoados sem a presença de trabalhos evangélicos e eu sei que você pode nos ajudar e acompanhar nossas prestações de contas. Seja nosso parceiro, nos ajude de forma que esta obra não pare.

3 de out de 2014

Outubro Rosa, Um Alerta Contra o Câncer de Mama


Não sou especialista na área, claro. Todavia, como líder e tendo em minha comunidade cristã as mulheres como maioria dos fiéis e tendo ainda que sofrer junto com uma mulher, nossa irmã em Cristo que recentemente, vitimada pelo câncer de mama, sofreu uma cirurgia onde perdeu uma das mamas e sendo incentivado por minha amiga, Missionária Andréa Reis, me sinto na obrigação de vestir esta camisa e alertar as mulheres, não só em nossas igrejas, mas como as mulheres de uma forma geral. O Câncer de Mama, se diagnosticado a tempo, tem cura.
O brasileiro é conhecido por sua negligência quando o assunto é saúde. Sempre adiamos decisões importantes em relação à nossa saúde e depois pagamos um alto preço! As informações que deixarei aqui nesta página são de sites e periódicos que falam do assunto. É hora de levarmos a sério este alerta, pois o câncer, independente de ser o de mama, tem sido um dos diagnósticos mais comuns nos consultórios médicos.
Segundo o site Minha Vida,  O câncer de mama é um tumor maligno que se desenvolve na mama como consequência de alterações genéticas em algum conjunto de células da mama, que passam a se dividir descontroladamente. Ocorre o crescimento anormal das células mamárias, tanto do ducto mamário quanto dos glóbulos mamários. O câncer da mama é o tipo de câncer que mais acomete as mulheres em todo o mundo, sendo 1,38 milhões de novos casos e 458 mil mortes pela doença por ano, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). A proporção de câncer de mama em homens e mulheres é de 1:100 - ou seja, para cada 100 mulheres com câncer de mama, um homem terá a doença. No Brasil, o Ministério da Saúde estima 52.680 casos novos em um ano, com um risco estimado de 52 casos a cada 100 mil mulheres. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Mastologia, cerca de uma a cada 12 mulheres terão um tumor nas mamas até os 90 anos de idade.
O Movimento Outubro Rosa é uma iniciativa que começou nos Estados Unidos pelos idos de 1990, na cidade de Nova York. Para chamar a atenção para os perigos do câncer de mama, entidades americanas passaram a colorir de rosa monumentos importantes em várias cidades, alavancando assim o movimento e chamando a atenção da sociedade.
A primeira iniciativa vista no Brasil em relação ao Outubro Rosa, foi a iluminação em rosa do monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista (mais conhecido como o Obelisco do Ibirapuera), situado em São Paulo-SP. No dia 02 de outubro de 2002 quando foi comemorado os 70 Anos do Encerramento da Revolução, o monumento ficou iluminado de rosa "num período efêmero" como relembra o secretário da Sociedade Veteranos de 32 - MMDC, o Coronel PM (reformado) Mário Fonseca Ventura. Essa iniciativa foi de um grupo de mulheres simpatizantes com a causa do câncer de mama, que com o apoio de uma conceituada empresa européia de cosméticos iluminaram de rosa o Obelisco do Ibirapuera em alusão ao Outubro Rosa.
Neste mês de outubro vamos todos, pastores, maridos, filhos, incentivarem nossas ovelhas, esposas, filhas, sobrinhas, avós, amigas, vizinhas a procurarem um Posto de Saúde mais próximo de suas residências e tomarem informações, marcar um exame. Mulheres com menos de 40 anos devem fazer toques como recomendados e mulheres a partir dos 40, devem fazer a mamografia. Além disso, devem conversar com um profissional de saúde e ficar por dentro do que é a doença, como diagnosticá-la e tratá-la. Lembrem-se: se diagnosticado a tempo, o câncer de mama pode ser tratado e erradicado. 
O vídeo abaixo é do artista Lucas Lucco e traz um alerta para este problema assista o vídeo até o final e veja histórias de pessoas que venceram o câncer de mama. Não deixe que o câncer de mama interrompa precocemente sua vida. Procure agora orientação em seu bairro em um Posto de Saúde.