6 de jul de 2015

Enquanto Isso Na Sala de Justiça...


Quem não lembra do jargão sempre repetido no desenho animado dos Superamigos, exibido nas manhãs da década de 1970 e início da década de 1980? A expressão era sempre precedida de uma cena onde um vilão estava aprontando contra a sociedade e os mocinhos das histórias em quadrinhos. Mas a expressão "enquanto isso na sala de justiça", levava os olhos dos meninos sonhadores da época à uma sala onde heróis discutiam a determinada situação do momento e buscavam juntos uma solução. Era  como se o filme quisesse mandar uma mensagem: existe esperança, tem gente projetando em favor do bem, os heróis não dormem, eles vigiam em favor da humanidade!
Aqueles heróis que pareciam ter ganhado vida nas telas de nossa TV, quando a tecnologia comemorava o surgimento da imagem em cores em nossas caixas com grandes e quentes tubos de imagem, eram liderados pelo Super-homem, ele mediava a discussão na Sala de Justiça, mas era capaz de ouvir os demais e encontrar com eles uma solução para o caos do momento. Nada passava desapercebido daquela equipe que estava consciente do papel enobrecedor de defender o mundo contra os ataques de vilões que não perdoavam e cuja finalidade era a destruição! 
Quero não somente usar, mas "abusar" da expressão "hanna-barbereana" e fazer aqui minha metáfora! A cenas que precedem a expressão que nos levará à sala da esperança hoje, desfilam em nossa mente já dominada pelo circo facebookiano e wahtsapiano, mas passam desapercebidas porque o fútil é moda e nossa mediocridade é ovacionada enquanto nossa perspicácia fica massacrada em nossa alma débil. 
O Papa Francisco, que conseguiu assombrosa popularidade, devido à mania de quebrar protocolos e assumir uma linguagem mais próxima do povo, assinou um documento que defende o reconhecimento do Estado da Palestina e sugere que sua capital seja Jerusalem. Acontece que o Estado da Palestina é comandado pelo estado Islâmico, o mesmo que anseia pela extinção de Israel do mapa e que espalha terror no mundo inteiro contra Israel e a Igreja de Cristo! 
Notícias, ainda que não comprovadas, dizem que a Nasa pretende criar uma Religião Mundial, o feito faz parte do projeto mais importante da Nova Ordem Mundial, o Blue Beam (Veja Aqui) que, segundo informações, contará até com um show de tecnologia com imagens holográficas enviadas por satélites que simularão até a Vinda de Cristo e transmitirá mensagens direto para o cérebro das pessoas fazendo-as acreditar que o Messias chegou!


Mesmo com as acirradas investidas da bancada evangélica no Congresso Nacional contra projetos que ferem princípios e valores da família e do cristianismo bíblico, as leis que aprovam casamentos de pessoas do mesmo sexo, a Lei da Ideologia de Gênero que diz que os sexos masculino e feminino não são únicos e que os tais são considerados "construções culturais e sociais", isto é, uma criança, por exemplo, do sexo feminino não pode ser chamada de menina até que decida se será menina ou menino, porque a tendência a ser homem ou mulher será construída cultural e socialmente nesta criança!
Esses e outros, são ataques dos vilões contra Cristo e sua Igreja, são planos que estão sendo arquitetados numa esfera em que os crentes de hoje não conseguem perceber. Tais ataques se constituem numa desconstrução de valores e princípios que tem, ao longo dos anos, sustentado a sociedade e a igreja. 
Mas, se em nossa mente, pudéssemos ouvir aquela voz que despertava um ponto de esperança nas histórias de Hanna-Barbera e que conduzia nossos olhares para a Sala de Justiça, onde com certeza os heróis estavam reunidos a tramar em favor do bem e da paz, os encontraríamos? Se a Sala de Justiça fosse o reduto dos crentes em Cristo, os encontraríamos? Eles estariam atentos aos sinais que apontam para a destruição das famílias e da igreja? Estariam projetando algo? Estariam prontos a agir?
Mas parece que a Sala de Justiça está vazia. Os heróis estão ocupados com os shows gospel, com as tramas políticas de suas convenções, com os gastos exorbitantes no que não é prioridade, estão ocupados em sua teologia minada e em seu discurso vazio da graça e sem prática de vida. O heróis não são mais heróis porque agora eles andam de mãos dadas com o inimigo, eles aceitam suborno e fazem conchavos políticos, seus líderes pecam e escondem seus pecados enquanto execram publicamente os de menos expressão por causa de seus deslizes. Eles agora estão ocupados em facilitar para o ímpio perverso que anda disfarçado de ungido em nosso meio. 
Precisamos urgente que a expressão "enquanto isso na sala de justiça" leve nosso olhar para uma cena onde homens e mulheres estejam atentos para os perigos que cercam nossa sociedade e a igreja e que estejam planejando para defendê-los e desfazer as obras dos adversários!

Nenhum comentário: