14 de set de 2015

Lições de Liderança em Romanos 16



"Saudai a Maria, que trabalhou muito por nós." Romanos 16: 6

O texto do capítulo 16 de Romanos encerra lições preciosas de liderança deixadas por Paulo. Para mim, este é um dos textos mais extraordinários do Apóstolo. Ele nos dá aqui lições de liderança pouco praticadas pela maioria dos líderes modernos. No capítulo 16 de Romanos Paulo cita vinte e cinco indivíduos e duas famílias. A forma de tratamento de Paulo a esses irmãos a quem saúda, exprime uma amizade intensa e não superficial!
Alguns estudiosos consideram o capítulo 16 de Romanos como uma mini epístola, já que parece fragmentado dos demais capítulos da carta. Algumas perguntas são levantadas quanto ao décimo sexto capítulo de aos Romanos: Se Paulo nem os demais apóstolos foram responsáveis pela fundação da igreja romana, como Paulo poderia conhecer tanta gente em Roma? Para Champlin, este capítulo pode ter sido incorporado à carta por razões cômodas quanto ao seu transporte, mas talvez ela não seja endereçada aos Romanos mas à igreja em Éfeso, principal cidade da Ásia, já que a maioria dos nomes citados por Paulo neste capítulo não trabalharam em Roma, mas na Ásia. 
Ainda existe a possibilidade de que esses irmãos e famílias citados por Paulo tenham realmente ido morar em Roma talvez por causa de perseguições em algum período daquela época. As argumentações são muitas, mas o que importa mesmo é que o último capítulo do maior tratado teológico do Novo Testamento, revela um líder capaz de perceber o valor dos obreiros na seara do Mestre! Vejamos aqui, pelo menos, três preciosas lições:

Trabalho em equipe

Perceba essas expressões de Paulo: 
"...como também a mim mesmo..." (v. 2);
"...meus cooperadores..." (v. 3);
"Os quais pela minha vida expuseram suas cabeças..." (v. 4);
"...que trabalhou muito por nós..." (v. 6)

O Apóstolo Paulo está reconhecendo aqui que o sucesso de suas atividades ministeriais se deviam ao esforço de gente que trabalhava com ele, que lhe auxiliava, que facilitava em determinados momentos o seu trabalho. É o reconhecimento de Paulo de que ele não trabalhava sozinho, que outros eram responsáveis pelo avanço de seu trabalho, que "seguravam a corda" como se diz em missões!
O capítulo 16 de Romanos, portanto, nos dá, antes de qualquer coisa, a lição do trabalho em equipe, de que sozinhos, isolados, nunca teremos o mesmo desempenho na obra de Deus! Os grandes líderes da Bíblia tiveram sua equipe ou seu parceiro. O próprio Jesus teve sua equipe!

A importância das pessoas enquanto indivíduos

Paulo elenca um número de obreiros que fizeram parte de sua história ministerial. Alguns desses nomes não aparecerão de novo em seus escritos. Talvez muitos desses irmãos nunca esperasse que o Apóstolo dos gentios os citasse, ou nem esperasse que ele lembrasse deles! Mas Paulo os cita por nome! Essa atitude de Paulo demonstra o valor que dava aos seus parceiros de ministério. Eles não eram "aqueles" irmãos, "aqueles" que fizeram "aquela" obra. Eles tinham nome, o nome é a identidade de uma pessoa, chamar alguém pelo nome é atribuir valor ao indivíduo, é considerá-lo como ser único e incomparável. As pessoas tem uma identidade e não valorizar isso é desprezar sua importância enquanto indivíduo. Lembro-me que enquanto Mefibosete era lembrado por Ziba pelo seu defeito físico (2 Sm. 9:3), Davi apenas o chamou de Mefibosete (2 Sm. 9: 6)! Isso fez toda diferença! Para Ziba ele era "aleijado dos pés", para Davi ele era "Mefibosete"!
Um bom líder é aquele que valoriza não apenas a equipe, mas cada indivíduo na equipe, identificando seus valores e sua singularidade enquanto ser único no universo!

O valor do trabalho de cada um

Paulo não somente destaca os nomes de seus cooperadores e companheiros de ministério, ele destaca também o trabalho de cada um. Ele destacou que Febe havia "hospedado a muitos", Priscila e Aquila eram seus "cooperadores" e que, por sua vida, haviam "expostos a cabeça". Sobre Maria, ele disse: "...trabalhou muito por nós...", sobre Andrônico e Júnias, disse que tinham sido seus "companheiros na prisão". Paulo sabia exatamente o que cada um fazia e o que cada trabalho representava para seu ministério e isso demonstrava sua sensibilidade para com o trabalho de seus companheiros!
esta é uma lição que temos que aprender! valorizar o trabalho de nossos cooperadores, destacar a importância de cada um deles. Não há dúvidas de que quando um indivíduo é reconhecido em seu trabalho e valores são atribuídos ao que ele faz, ele não somente se sentirá valorizado, mas estimulado a fazer mais e com excelência!

Nenhum comentário: