12 de set de 2015

Thalles Roberto: Um Discípulo Que Precisava Ser Discipulado!


Cair matando em cima de alguém quando este alguém comete um erro, é muito fácil! Agora, duas coisas parecem ser impossíveis para nós evangélicos cheios da graça e sem defeito fazermos: Primeiro, instruir o irmão para que ele seja preservado de momentos delicados como o que protagonizou o Thalles Roberto e, segundo: ajudá-lo, perdoá-lo e reorientá-lo depois de uma mancada como a que deu Thalles! Mas não, preferimos expor, execrar, criticar e pousarmos de corretinhos, donos da verdade!
O que acontece com Thalles vem acontecendo a muitos anos no Brasil. Se a pessoa que se converte em qualquer igreja tiver sido famosa ou cantado ou feito parte de alguma banda famosa, logo todas as portas no meio gospel se abrem para essa pessoa! A "Ex-estrela" assume púlpito, recebe convites, é assediada por todo tipo de liderança, por agências gospel, gravadoras e um mundo de oportunidades caem aos pés deste que deveria ser visto pela igreja como discípulo de Jesus e necessitado de instrução da Palavra de Deus a fim de que seja preservado nas tentações!
Thalles Roberto não é culpado, Thalles Roberto é um menino espiritual. Durante quanto tempo foi discipulado? Pergunte se aprendeu algum dia a servir a igreja local. Quantas santas ceias toma com o mesmo Pastor, na mesma comunidade, se tem relacionamentos profundos em uma rede de sua comunidade. 
Thalles foi de recém convertido a Pastor! Pastor?! Quem o separou para tão honrado ministério talvez nem saiba o que significa ser pastor. Talvez nem saiba que pastor tem rebanho. Ah, desculpem! Eles vão dizer que seus seguidores de shows, de redes sociais, são suas ovelhas! Que loucura, que insanidade! Como? Se eles se autodenominam "artistas"? Eles não tem ovelhas, eles tem fãs e diga-se de passagem, muitos tão fanáticos que não conseguem ver os erros e defeitos de seu "ídolo"!
Paulo em 1 Tm. 3:6 orienta Timóteo a não confiar o pastorado ao neófito (pessoa recém convertida, inexperiente) "para que, ensoberbecendo-se, não caia na condenação do diabo". O discípulo não instruído, que não passa na escola do discipulado, que não vive um tempo para ser instruído por um discipulador, com certeza terá problemas quando as "bandejas" lhe forem ofertadas na "feira da vaidade" da vida! Seu coração não estará protegido pela Palavra de Deus a fim de que possa resistir ao diabo e suas ofertas!
Na verdade, nós criamos Thalles e tantos outros, meninos espirituais como ele que pousam como detentores de uma mensagem, de uma missão. Sim, eles são nossa cria, é a cria do mercado fonográfico gospel, gente que não está nem aí pra mensagem alguma, gente que quer mesmo é faturar! Basta você conhecer os contratos destas gravadoras ou produtoras gospel. Muitos "artistas" gospel se sentem até explorados por uma indústria implacável cujos objetivos estão longe de anunciar Jesus pela música!
E nós? Nós pastores, fãs, admiradores dessas "estrelas", somos iguaizinhos! Alimentamos esta indústria podre, massageamos o ego desses "exaltados", pagamos valores "acima da média" para entradas em shows dessa gente, enfrentamos filas para pegar um autógrafo ou pousarmos numa selfie para postarmos imediatamente nas redes sociais, só pra dizer a todo mundo que estamos "por cima"! Nós pastores que pagamos altos cachês pra essa gente, na gana de termos um nome que possa atrair as multidões para o nosso "evento"!
Thalles Roberto é o que sempre quisemos que ele fosse! Então, ninguém se queixe, ele foi criado por nós, pelas lideranças espirituais desta nação, pela indústria fonográfica gospel, que de gospel só tem o nome.
Faltou para Thalles o que sempre faltou para a maioria dos "ex-artistas seculares". Faltou homens de Deus que estivessem mais preocupados com a alma do que com o nome que aquele discípulo representava. Faltou homens e mulheres de Deus que dissesse: "Não, ainda não é o tempo. Você precisa aprender mais, se humilhar mais, conhecer mais Deus!". Mas não, lançaram Thalles, ovacionaram Thalles, exploraram o máximo a imagem. E agora, Thalles só revelou o que ele sempre foi, alguém que não foi discipulado, um menino espiritual incapaz de lhe dar com as glórias que o mundo oferece!
A reação dos outros cantores e produtores gospel às declarações de Thalles, revelou que eles são iguais a Thalles! Por trás das declarações de cantores cujos nomes não cito por questões éticas, gente que está na estrada a mais tempo que Thalles, desponta-se uma certa inveja, um certo despeito, raiva por ter sido "humilhado" nas redes sociais pelas declarações do cantor que chegou agora, mas já se acha acima da média!
Então, Thalles não é este demônio que acabamos de construir. Thalles é alguém que precisa de orientação, de ajuda. Alguém que precisa ser discipulado a fim de que possa aprender sobre humildade e transferência de louvor e glória para quem realmente merece: Deus!

3 comentários:

Pr Dário Gomes disse...

Caro pastor Raimundo Campos.
Sou leitor assíduo dos seus post, sempre escritos com uma sensibilidade real meio evangélico que fazemos parte e com uma coragem particular, muitas vezes mal interpretada.
Permita-me fazer algumas considerações quanto a esta postagem:
1º - Não faço parte deste grupo dos “cheios de graça e sem defeito”. Mas nessa minha “des-graça” e imperfeição, tenho o direito sim, de ponderar elogiar ou até criticar o comportamento deste cantor quando foge aos principio bíblicos. Principalmente quando sua mancada se dá em eventos públicos e divulgado pela mídia.
Rogamos-vos, também, irmãos, que os desordeiros, consoleis os de pouco ânimo, sustenteis os fracos, e sejais pacientes para com todos. I Ts 5.14.
(1. Censurar alguém a partir da observação do seu comportamento, da sua forma de pensar; repreensão de alguém por causa uma falha cometida por essa pessoa; repreender – Dic Lexico)
Concordo plenamente contigo quando pontua acerca dos procedimentos em relação as “estrelas gospel”, “ex um monte de coisa”, assédios, pagamentos de cachês elevados, infelizmente é uma realidade, mas praticadas por poucas lideranças.
2º - Não posso concordar ao afirmar que o cantor é inocente! Muito menos menino espiritual. Parece que o caro amigo não pesquisou sua biografia. Este cantor veio de família evangélica: pai pastor, cantava na igreja (ministro de louvor), então o mesmo sabia o que é servir a uma igreja local e provavelmente teve relacionamentos profundos em uma comunidade cristã.
Quanto ao seu pastorado pode ser um chamado ou não. Ou uma espécie de marketing para a denominação e o líder que o separou. Tal busca pela visibilidade inverte a prudência pela leniência.
3º - Também não me incluo nesta sua frase: E nós? Nós pastores, fãs, admiradores dessas "estrelas", somos iguaizinhos! Não sou igual, não sei cantar uma musica inteira deste cantor, não alimento indústria, não massageio ego, não pago nada, nem alto cachê nem baixo.
4º - Ele sempre foi o que quis ser. Não foi criado, criou-se. Pergunto: E quem criou os outros cantores alguns também pastores que são verdadeiro adoradores, mesmo alcançando fama e “estrelato”?
Como informação este “ex-artista secular” só passou 7 anos como vocal de alguns artistas seculares.
Caro companheiro sei que não foi esta sua intenção, mas em sua postagem fica parecendo que a culpa deste cantor, maduro (não menino), que não soube lidar com o dom dado por Deus é dos líderes evangélicos.
Em estima
Pr Dário Gomes

Pr. Raimundo Campos disse...

Reverendíssimo Pastor Dario Gomes, paz. Primeiro: Não o chamei de "inocente" em nenhum momento da postagem, embora concorde que possa parecer. Minha postagem teve a intenção de ir na contramão das declarações hipócritas de pastores e outros cantores que quiseram pousar de perfeitos quando são iguais a Thalles Roberto e, em muitos casos, piores. Segundo: quando afirmo de sua falta de discipulado e de não contrair relações profundas em uma comunidade, servindo-a, estou falando de sua vida pós conversão, como novo convertido. Que ele tem sua culpa, não há dúvidas, todavia, ele é sim produto do meio gospel, ele apenas caiu na asneira de falar. Conhecemos tantos outros que são tão arrogantes e vivem até em pecado! Terceiro companheiro, é óbvio que afirmo que a culpa é dos líderes evangélicos, mas daqueles líderes evangélicos que alimentam esta indústria implacável pagando altos cachês a gente como Thalles, isso companheiro, está no contexto, nas entrelinhas... Grande abraço!

Andre Soares disse...

Pastor Raimundo Campos, a sua postagem é clara e indiscutível, parabéns pela matéria não entende e contesta alguma coisa quem está sem visão ou já está perdendo.
Em momento algum o Sr aprova ou condena a comportamento de Thalles, apenas fala o que realmente tem acontecido.