9 de dez de 2015

Michel Temer Não É Herói, É Conivente

Foto: Uol

A Carta do Senhor Vice-Presidente da República do Brasil à Senhora Presidente da mesma, é no mínimo ridícula e infantil e penso que poderia até ser transformada em letra de música do estilo "sofrência"! Um político de sua envergadura jamais poderia se comportar com relação às circunstâncias políticas que vive o Planalto e o Brasil, como um adolescente dos anos 90 que termina o namoro com a namoradinha e lhe escreve em tom de "dor de cotovelo".
Homens que se dão o respeito, de "cabelo na venta" como bem diria minha vó, trata de assuntos importantes de olho no olho, "de frente" como diz a Jornalista Marília Gabriela. Homens de honra sabe o valor que tem e não se humilha como no trecho de sua carta que diz:
"A senhora, no segundo mandato, à última hora, não renovou o Ministério da Aviação Civil onde o Moreira Franco fez belíssimo trabalho elogiado durante a Copa do Mundo. Sabia que ele era uma indicação minha. Quis, portanto, desvalorizar-me. Cheguei a registrar este fato no dia seguinte, ao telefone."
Por que não tratou deste assunto que, para ele é de grande relevância a ponto de choramingá-lo em sua carta, como um presidenciável em reunião com sua titular?
Além de mostrar ser um fraco, incapaz de tratar de assuntos relevantes de sua pasta com sua titular, preferindo ligações telefônicas e cartinhas, o Senhor Vice-Presidente da República assume em sua carta que o Governo Dilma foi de desmandos e manobras e, como qualquer incauto sabe, de jogadas de interesse. Todavia, o Presidente do PMDB e Vice-Presidente da República aceitou tudo de forma submissa e, como mulher que já está cansada de ser traída, resolve lavar a roupa suja numa carta como quem foge às escuras da madrugada para não apanhar!
Seu comportamento não é honroso, é vergonhoso e, para este eleitor blogueiro, que teve a felicidade de não votar nem em Dilma nem no PT, sua carta é uma confissão e um ato de covardia. Confissão não precisa nem dizer porque, pois, os onze itens elencados em sua carta mostram sua conivência e sua preferência pela omissão diante do que ele mesmo considera ser “absoluta desconfiança” da Presidente para com ele e o PMDB. Covardia porque só agora, diante da possibilidade de impeachment ele se manifesta e da forma mais infantil que existe! Claro, diante da possibilidade de vir a ser o Presidente da República, ele não quererá ser visto pelo povo como cúmplice de um Governo que, com sua aquiescência, liderou o maior assalto aos cofres públicos da história desta nação!
Mais covarde ainda, porque além de não tratar de assuntos relevantes com sua titular cara a cara e até mesmo com a sociedade, o Vice-Presidente, cuja carta, de certa forma, se vazada, só lhe beneficia, pousa de “João sem braço” dizendo que ficou alarmado com o vazamento da carta! Me façam uma garapa! Agora ele é o cara. Para mim, está claro que esta é mais uma jogada política e desta vez do PMDB, para ficar no Governo. Em pronunciamento Dilma chegou a dizer que, quanto ao impeachment “não há nenhuma justificativa para que isso ocorra, exceto aqueles que acham que tem um atalho para chegar à Presidência da República que não é o voto popular”. É claro que ela está falando de uma jogada tanto do impeachment, quanto do joguinho da carta de “dor de cotovelo” de seu Vice-Presidente!
Michel Temer não é herói, é conivente, é menos confiável ainda que Dilma. Enquanto nada vem às claras, fica como está, mas se descobrirem e, se principalmente surgir uma chance de se sair bem, agarra esta chance, mesmo que tenha que se fantasiar de bobo da corte, para que todos riam com ele, ao invés de chorar!

Um comentário:

Nils disse...

Parabéns!
Gostei !!!
Posição corajosa e bem colocada!