22 de fev de 2015

Parte Para a Eternidade Um dos Líderes do Movimento Pentecostal no Brasil: Missionário David Miranda


A voz gritante, rouca e trêmula que se vazia ouvir nas várias emissoras de rádio em todo o Brasil e que tinha tradução para outros idiomas em vários países, já era conhecida do público. Era a voz do homem que pregava curas e milagres e que ficou conhecido por seu duro discurso legalista que defendia o não uso de TV e mídias como a internet, além de severidade quanto ao tipo de roupa de seus fiéis e de lazeres como praia, cinema e outros.
O movimento da Igreja Pentecostal Deus é Amor, fundada por ele mesmo em 1962 e que, conforme ele mesmo disse em sua biografia, teria se tornado na "maior igreja do mundo", teria entrado em crise nos últimos 10 anos por causa justamente do discurso duro com relação aos usos e costumes. Nos últimos anos, vários templos teriam sido fechados por falta de fiéis para manter as despesas com templos que em sua maioria eram alugados.
Apesar da crise e do escândalo no ano de 2000, a Igreja Pentecostal Deus é Amor continuou sendo liderada pelo homem que foi absolvido pela Justiça em dois processos. A liderança de David Martins Miranda, filho de agricultores, que teria se convertido ao protestantismo pentecostal em 1958, começou 4 anos depois de sua conversão, 1962, quando fundou a IPDA com apenas 3 pessoas e hoje já conta com mais 800 mil membros segundo dados do IBGE, sendo a oitava maior denominação evangélica do Brasil.

Histórias de milagres!

O ministério do Missionário David Miranda ganhou notoriedade quando começaram a se ouvir histórias de milagres que fazem parte de sua trajetória hoje: 

"A cura de um jovem que havia perdido a língua por uma overdose – consequência do uso de drogas -, em 1993, desencadeou uma nova corrida de fieis para os salões da IPDA. No ano seguinte, ao retornar de uma viagem a Buenos Aires, Miranda lança o jornal “O Testemunho” e dá início aos projetos em torno da “Assembleia dos Santos” – concentração de “milagres” que reúne centenas de pessoas de diversas cidades e países.
Em uma dessas concentrações, em 1º de maio de 1996, em Vitória (ES), três mortos teriam “ressuscitado” após uma oração de David Miranda. A mídia local, impressionada com os “milagres” e com o amplo número de participantes da cruzada, estampa nos principais jornais e noticiários que “nem mesmo o Papa consegue reunir tanta gente.” No começo de 1997, novo recorde: 400 mil pessoas comparecem ao Aterro do Flamengo (Zona Sul do Rio de Janeiro) para ouvirem a mensagem de David Miranda. Nos países vizinhos ao Brasil, pelo menos 280 mil pessoas são reunidas, sendo a maior concentração realizada entre os dias 04 e 05 de outubro, quando 150 mil peruanos compareceram ao estádio Nacional, em Lima." - Site Gospel Mais
Rádio: Um instrumento poderoso para a IPDA
"Segundo Emilio Zamboni Mendonça, da Universidade Metodista, “o rádio foi o principal ponto de apoio do crescimento da Igreja Pentecostal Deus é Amor.” Há, segundo Freston (1995, p.128), pelo menos cinquenta placas acima do púlpito do Templo da Glória de Deus, na Baixada do Glicério, com indicações das rádios que veiculam os programas da IPDA. Transmitido a partir da sede mundial, o programa “A Voz da Libertação” chega aos lares de milhares de brasileiros e é retransmitido para mais de 17 países via uma rede de mais de quarenta rádios pertencentes à Igreja Deus é Amor."
Legalismo como característica fundamental
"Nos programas radiofônicos e nas mais de 12 mil congregações da IPDA, David Miranda exerce controle absoluto sobre os membros. O regulamento interno, aprovado em 1986 e adaptado nove anos depois, estabelece uma série de normas às quais os membros são convidados a seguir: aos homens, é proibido o uso de bigode, costeletas, bermudas e camisetas sem mangas; às mulheres, corte dos cabelos, calça cumprida, maquiagem e adornos. Há outras restrições – impostas a membros de ambos os sexos -, como não participação em festas, locais de entretenimento, porte de armas de fogo, modalidades esportivas e aquisição de aparelhos de televisão."
O homem que exerceu forte liderança em frente à Igreja Pentecostal Deus é Amor, faleceu às 23:45h, do dia 21/02, aos 79 anos, após sofrer um infarto. O corpo está sendo velado no templo em São Paulo com capacidade para 60 mil pessoas e deverá ser sepultado na próxima terça-feira.


17 de fev de 2015

Jônatas, Um Líder Incomum


O exército sob o comando de Saul estava com medo, escondido e seu numero diminuía cada vez mais. Alguns, desiludidos, tinham até passado para o lado dos inimigos. Os homens de Saul, além de sentirem medo  e se esconderem em cavernas,  estavam também angustiados (1 Sm. 13: 6,7). Eles sofreram ataques não somente físicos, mas emocionais também.
Para piorar a situação, o capítulo 13 de 1 Samuel conta que Saul tomava decisões precipitadas em relação ao costume de se esperar o sacerdote para a oferta de sacrifícios antes da peleja. O exército estava sem armas.
No capítulo 14 do mesmo livro, percebe-se a maneira diferente de Saul e Jônatas comportarem-se diante da batalha. Quero me deter aqui. Enquanto Saul estava debaixo da romeira, Jônatas decidiu descer ao campo de batalha! Aliás, este espírito inquieto era uma marca na vida do filho do rei que aprendeu a amar Davi, desafeto de seu pai! Enquanto Saul com dois mil homens aguardava na montanha de Betel, Jônatas com apenas mil em Gibeá, resolveu atacar as tropas dos filisteus (1 Sm. 13: 2,3)! 
Jônatas era inquieto e era o tipo de líder de atitude, não esperava a coisa melhorar ou piorar para agir. Gostava de aproveitar oportunidades, sabia que as tais eram únicas e poderia não tê-las mais. Esta marca no caráter de Jônatas o fez comandar uma das maiores investidas do exército de Saul contra os filisteus!
Quero compartilhar com você acerca de lições preciosas que aprendo com este jovem líder no capítulo 14 de Primeiro Samuel!

1. Diferente de Saul, ele não escolhe "ficar debaixo da romeira". Ficar debaixo da romeira, é o mesmo que esperar para ver no que vai dar. É se conformar com o estado de fracasso, é se tornar indiferente à baixa no exército e ao desânimo, medo e angústia que dominavam os liderados. Jônatas toma uma decisão isolada e perigosa, poderíamos chamar de suicida! Se desse errado, ele seria o responsável por um dos maiores desastres na história das batalhas de Israel. Jônatas estava disposto a assumir riscos! Um líder precisa estar pronto a assumir riscos! Qual sua atitude diante das batalhas em teu ministério? "Ficar debaixo da romeira"ou assumir os riscos que a batalha oferece?

2. Visto que sua decisão poderia pôr tudo em risco e que também não poderia ser compreendida por muitos, Jônatas compartilhou de suas pretensões apenas com seu escudeiro. Lembre-se: atitudes ousadas e, aparentemente insanas, não devem ser compartilhadas com qualquer um. Um líder precisa ter um fiel escudeiro, aquele que lhe confiaria a vida, que sabe que suas atitudes, embora ousadas, são fruto de um coração corajoso e confiante! Com quem você compartilha as decisões mais ousadas de teu ministério? Peça a Deus que levante para o teu ministério escudeiros fiéis, dispostos a assumir os riscos que requerem o teu ministério!

3. Jônatas tinha uma compreensão espiritual da batalha que ora travava (1 Sm. 14:6). Enquanto os soldados estavam fragilizados e por se acharem em menor número, nenhuma ordem de ataque tinha sido dada por seu rei, Jônatas compreendia que o Senhor não precisa de números para dar vitória ao seu povo. Jônatas tinha uma visão espiritual, enquanto a maioria condicionava sua vitória ao poder bélico do exército. Qual visão você tem de seu ministério e das batalhas que você trava diariamente? 

4. Jônatas sabia esperar a hora de Deus (1 Sm. 14: 8-10)! Apesar de sua ousadia, o que importava para Jônatas mesmo era o sinal de Deus! Às vezes temos planos ousados, bem elaborados, temos até nosso fiel escudeiro, mas se fizermos as coisas sem que Deus nos indique em que hora devemos agir, nada disso valerá. Jônatas esperou por um sinal. Se aquela guarnição os ignorasse, eles voltariam, todavia, se os desafiassem a descer, este então seria o sinal de Deus para eles! Líderes de sucesso esperam a hora de Deus, sabem reconhecer sua voz e sua vontade!

5. Durante a batalha, Jônatas se tornou um com seu escudeiro (1 Sm. 14:13). Foi um trabalho em equipe. Enquanto Jônatas derrubava o inimigo, seu escudeiro matava aqueles que ele derrubava. Um líder que trabalha em equipe, unido, terá mais probabilidade de vencer as batalhas da vida! Isto os fez avançar e impor medo aos confiantes filisteus. Nunca caia na armadilha de pensar que, por ser o líder, poderá sozinho vencer os desafios que a liderança oferece.

Conclusão

A batalha solitária de Jônatas e seu fiel escudeiro ganhou proporções tão grandes que, foi capaz de levantar o ânimo dos que estavam escondidos em sua depressão nas cavernas e até daqueles que tinham passado para o lado dos inimigos. O próprio Saul saiu de debaixo de sua romeira. A Bíblia diz que houve tremor no arraial dos filisteus e a batalha cresceu a ponto de se ouvir um grande alvoroço (1 Sm. 14: 14-23)! Tudo porque Jônatas saiu de sua zona de conforto, ousou enquanto a maioria se escondia e enquanto o outro líder, seu pai, descansava debaixo da romeira.
Líderes ousados, são líderes incomuns, eles empreendem pequenas batalhas que se transformam em grandes e únicas batalhas. Líderes incomuns são aqueles que acreditam em coisas pequenas, que aos olhos da maioria parecem loucura. Líderes incomuns não condicionam seus ministérios ao cansaço e desânimo de seus liderados. Líderes incomuns agem quando a maioria tem medo de agir! 

8 de fev de 2015

A Estranha Atitude da Ceadeb


Junho de 2010. Ministros da Adesal, Assembleia de Deus em Salvador, resolvem, em reunião com seu Presidente, pedir desligamento da CEADEB (Convenção Estadual das Assembleias de Deus no Estado da Bahia). Pronto, foi o bastante para se dar início a uma série de invasões de templos, de destituições de lideranças, de discussões em redes sociais, processos na Justiça comum entre outras esquisitices que só lembrar, enoja. Os que resolveram ficar a favor da CEADEB, resolveram também que os que continuaram fiéis à sua Igreja eram REBELDES. Lembro-me que um membro ou congregado, não sei, da Adesal Pernambués, postou no youtube um vídeo tosco, cheio de "argumentos" chulos, que queria a todo custo tentar convencer não sei quem, que a posição deles naquela situação era legitima e bíblica! Eu não sabia se ria ou chorava de uma lástima daquela!
O Presidente da CEADEB ignorou todo tipo de conceito de moral e ética. Veio pessoalmente a Salvador, fez reuniões, promessas, emancipou campos numa afronta ao estatuto da instituição que preside. O Artigo 42, inciso VII, Capítulo  V, que dispõe acerca das Igrejas e entidades filiadas, diz:

"As emancipações das congregações vinculadas à igreja local a ela filiada, deverão obedecer aos seguintes critérios:
I. Obtenção da aprovação da Diretoria e Ministério da Igreja local;
II. Obtenção do aval da Assembleia Geral da Igreja local;"

Que parte deste tão claro artigo o senhor Presidente da CEADEB e os senhores pastores até então, ministros da Adesal não tinham entendido?
Eles rasgaram o estatuto, levados por suas ambições e disputas. Macularam o nome de Jesus e do Evangelho, expuseram suas vergonhas nas redes sociais, gritaram aos quatro ventos que até o Presidente da CGADB de quem se fazem aliados hoje, era rebelde e o chamaram de feiticeiro, por, supostamente, apoiar "rebeldes"!
Eles não estavam nem aí para as consequências dos atos impensados e das insanas incursões contra a Igreja de Salvador. Altas somas foram investidas em processos e outras "coisitas" mais a fim de destituírem o Presidente da Adesal. Não se importaram com a fé das pessoas, as feridas abertas, as famílias separadas, nada. Se sentiam e pousavam como judeus diante dos gentios, eram os filhos da "circuncisão" olhando de cima para baixo para os filhos da "incircuncisão".
Bem, deixem-me parar por aqui com esta narrativa de fatos tão grotescos. O que acontece hoje?
O senhor dono da CEADEB, mentor intelectual do gladiamento, dos processos, e de todo tipo de articulação contra a Igreja de Salvador, agora tem uma resposta pronta para quem lhe pergunta sobre os templos da Adesal que eles tem que devolver, vou escrever em letras garrafais caros leitores: "A CEADEB NÃO TEM NADA HAVER COM ISSO!" Eu pergunto a lá Didi Mocó: "Cuma?" A insanidade neste caso é tamanha que não se consegue nem vislumbrar a culpa!  Não tem nada haver? Bem, esta frase esdrúxula pode ter servido de argumento para o senhor Presidente da CGADB, que até aqui preferiu a omissão, e para Deus? 
Aqui surge algumas perguntinhas básicas: E agora senhores pastores que estão ilegalmente com templos da Adesal, tomados à força, invadidos no silêncio da madrugada, com certas "liminares" ou não, e agora? E agora pastores que estão com os templos da Adesal, onde estão as promessas do chefe da CEADEB? Que líder é esse? Que amigo é esse? Onde está a postura de homem de Deus?
Numa tentativa de entrar em um acordo, o Presidente da CGADB presidiu uma reunião em São Paulo a pedido da CEADEB. Pra encurtar a história: Quando o advogado da Adesal, Dr. Abiezer Apolinário, propôs aos tais pastores, hoje ceadebianos e Presidentes de campos, na pessoa de seu representante presente na reunião, o pedido de perdão e a devolução da autoridade espiritual sobre o rebanho solapado, a resposta foi NÃO.
Pois é, o Presidente da CEADEB não assume os atos e deixam os "pobres" presidentes de campo sozinhos e estes últimos fazem como diz a Bíblia: "endurece a cerviz"!
São as estranhas atitudes da gloriosa CEADEB!

6 de fev de 2015

Adesal X Ceadeb: Uma Novela de Muitos Capítulos


Dizem que a novela "Redenção" exibida pela TV Excelsor nos anos 60 foi, até hoje, a novela mais longa da TV brasileira, com 596 capítulos e que o record pode ser quebrado pela Novela do SBT Chiquititas, com 572 capítulos já escritos e gravados e que vão ao ar em 2015.  Para especialistas em tele novelas, uma novela com tantos capítulos pode se tornar uma "chateação" ou pode ser o resultado de sucesso entre os tele-expectadores!
Como a novela é uma série de capítulos em torno de um assunto que engloba outros periféricos, a expressão "novela" se tornou entre nós aquilo que consideramos longo, fatídico, e pior: cujo fim já conhecemos muito bem!
Pois é, membros e congregados da Adesal e aqueles que saíram dela para autodenominarem-se de campos filiados a Ceadeb, agora assistem, comentam ou ficam indiferentes à novela ridícula cuja trama central envolve nada mais, nada menos que disputa. 
Depois de reconhecer que precisa devolver os templos tomados indevidamente da Adesal, a Diretoria da Ceadeb, sai de cena e coloca os Pastores líderes dos campos onde tais templos foram tomados, como responsáveis e como aqueles que não tem interesse em negociar.
A CGADB, cujo comportamento diante desta crise é mais que questionável, que não serviu como moderadora do episódio, que discursou em ambos os ambientes com frases de efeito que dava a entender apoio incondicional, um dia lá, outro dia cá, agora segue fazendo o mesmo papel tosco nesta saga noveleira que causa asco em qualquer que tenha o mínimo de senso moral e ético!
Reuniõesinhas políticas, feitas por quem não quer perder as somas de contribuições de ambas as instituições, são arranjadas com o único objetivo de não dar direito a qualquer um dizer que nada se fez! 
A CGADB simplesmente não fez o que deveria ser feito: agir como moderadora, punir com base no Estatuto e no Regimento Interno aqueles que feriram a ética que deve nortear as relações entre Igrejas e Convenções, ignorou o grave erro cometido pela Ceadeb de invadir o campo de Salvador, apropriar-se de templos, fazer desviar-se centenas do rebanho da Adesal, simplesmente para atingir o Presidente dela.
Agora, depois de tantos capítulos amargos, a novela dá um tom de fim, mas, como acontece nas tramas globais, por motivos tantos, a novela não chega ao fim e os capítulos que se seguem parecem mais com desfechos indesejados e revoltantes!
O Presidente da Adesal chegou a publicar em sua página do Facebook uma nota onde pedia oração por algo que teria ido resolver em São Paulo, que envolvia a Igreja de Salvador. Até o momento em que fechava este artigo, 34 comentários foram postados dando apoio ao Presidente!
O Presidente da Ceadeb que discursava como aquele que tinha poderes para disciplinar o Pastor da Adesal, que incentivou a falsa idéia de que membros da Adesal seriam "rebeldes", que financiou os chamados novos campos da Ceadeb, antes congregações da Adesal, agora discursa como quem está disposto ao diálogo. O mesmo que tinha proibido ministros da Ceadeb em receber os da Adesal em seus conclaves, agora diz que os tais são bem vindos! Pior: muitos ministros da Ceadeb calam-se diante destes absurdos e ainda acham tal atitude coerente e sensata!
Esta novela ridícula precisa acabar, posições éticas e comprometidas com a Palavra de Deus precisam ser assumidas por todos nós. Pastores da Adesal que eram Pastores de Setor e que arrastaram rebanhos inteiros, que se apropriaram de bens alheios, um crime penal, precisam pedir perdão à Igreja de Salvador, assim como a Diretoria da Igreja em Salvador precisa cumprir com supostas obrigações diante da Ceadeb.
A Igreja de Salvador continua crescendo, o Senhor continua salvado e centenas, periodicamente, descem às águas batismais. Uma nova Diretoria foi eleita pelo ministério, graças ao fato de ter ganhado na justiça este direito, no principal processo movido pela Ceadeb contra a Igreja em Salvador. O Presidente da Adesal lançou para 2015 um projeto que prevê o crescimento e a estabilização financeira da instituição. 
Isto indica que a Adesal não é um bando de "rebeldes" como queria que assim fosse considerada o Presidente da Ceadeb. A Adesal é a Igreja de Cristo, Ele está à sua frente e como Igreja esperamos da Diretoria da CGADB um mínimo de senso moral e ético, comum em qualquer instituição ou órgão que se preze. 
Quem é a CGADB senão a Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil? Aquela de quem aprendemos valores que norteiam nossas igrejas nesta nação. Seu Presidente está a cerca de 30 anos à sua frente e isto prova seu valor como homem de Deus e executivo capaz de conduzir processos delicadíssimos aos longo desses quase 30 anos! Homem cujo carisma e amabilidade conquistou lideranças espirituais e políticas em toda esta nação. Nós, ministros da Conframadeb e membros da Adesal, acreditamos que numa atitude de coerência e comprometimento com a verdade, o senhor Presidente da CGADB optará por conduzir esta crise para um caminho de perdão, justiça e equidade, resgatando a fraternidade e estabelecendo um novo tempo de paz entre as duas instituições baianas.

3 de fev de 2015

Depad Ousa e Lota o Farol da Barra


Inovação com certeza é uma palavra que norteia as ações do Depad - Departamento de Adolescentes da Adesal (Assembleia de Deus em Salvador). Depois de invadirem a Rodoviária, a Estação da Lapa e outras áreas de Salvador com estratégias de evangelismo como flashmobe, abraço de graça e, sem esperar grandes recursos, mobilizarem vários adolescentes para o Projeto AD na Copa - Salvador, a Diretoria do Depad agora levou cerca de mil adolescentes e jovens para um Luau no Farol da Barra, na noite de 31 de janeiro. 
A iniciativa faz parte do Projeto "Verão Depad" que está em sua terceira edição e tem como objetivo envolver os adolescentes em período de férias escolares em atividades diferentes, dentro e fora da Igreja. Um Culto é realizado toda sexta-feira na Adesal Paralela com uma programação diferente e com novidades que atraem a atenção da galera teen e o Luau é a extensão destas atividades. 
Reunir os adolescentes à beira da praia, no novo calçadão da Barra, não apenas os atraiu mas, com certeza, chamou a atenção de quem passava para ver um dos pôr do sol mais bonitos do Brasil, o do Farol da Barra.
O encontro foi uma oportunidade singular para orar, estabelecer comunhão, cantar ao som do violão, compartilhar experiências e dizer para Salvador que Jesus Cristo é a razão de viver desta galera que vive sua fé em meio às lutas e tentações!
O Canal do Youtube André Show Brasil, registrou o encontro que mobilizou pelas redes sociais centenas de
jovens e adolescentes. A Diretoria do Depad se preocupou em não estender para mais das 20 horas o evento, por se tratar de um encontro com adolescentes! Muitos jovens e adolescentes que chegaram depois deste horário, se surpreenderam que um evento organizado por um departamento da Assembleia de Deus, tivesse terminado tão cedo. A prudência neste caso, falou mais alto!
O Presbítero Ney Deus, Diretor do Depad, em entrevista no vídeo abaixo, afirmou que "Deus tem nos surpreendido" e que, o projeto Verão Depad deve se estender até depois do Carnaval.