24 de dez de 2015

O Bote Ceadebiano!

Foto: Refugiado de Tlön
Depois de inusitadamente aparecer no aniversário do Presidente da Adesal, o Presidente da Ceadeb deu mais um de seus botes: tenta a todo custo reabrir o processo que foi julgado extinto pela Juíza Karla Adriana Barnuevo de Azevedo em 21 de agosto de 2014. O processo nº 052148242010805001 no qual a CEADEB requeria o direito de indicar um de seus ministros para a Adesal e destituir o seu Presidente, Pr. Israel Alves Ferreira, foi julgado extinto por se levar em conta a inexistência de qualquer vinculação entre as duas entidades: Adesal e Ceadeb.
Mas a sede ceadebiana de se apossar da Igreja de Salvador parece ser maior que a decisão da Juíza que chegou a citar nos autos do processo que não vislumbrava a "legitimidade apta a respaldar o ajuizamento da presente demanda". Isto é, o requerimento ceadebiano naquele processo é ilegítimo e sem razão!
A Ceadeb ainda mantém sob seu poder vários templos de propriedade legal da Adesal e seu Presidente numa reunião com o as Mesas Diretoras da CGADB e da Adesal, chegou a dizer que quanto aos templos em posse de Pastores que, sendo ministros da Adesal, foram seduzidos pelo canto dos 95% (quem lê entenda!), era um problemas desses tais pastores e que ele não se meteria mais neste assunto!
A postura do senhor Presidente da CEADEB tem sido a de diálogo se não houver mais chances de ganhar alguma coisa de alguma forma, mas se uma luz, mesmo falsa, surgir no fundo do túnel para a sua ilegítima e insana guerra contra a Igreja de Salvador, então ele é capaz até de tentar ressuscitar um processo julgado extinto e "sem julgamento de seu mérito"!
Sinceramente eu não sei que palhaçada foi aquela no aniversário de 18 anos do Pastorado do Presidente da Adesal! Não dá pra entender como nossa hipocrisia e teatralização de circunstâncias tão sérias são levadas a efeito como se Deus fosse menino!
É preciso que se diga ao Presidente da Ceadeb que a Igreja de Salvador quer viver em paz e que ela não tem nada haver com sua guerrinha medíocre e seus caprichosinhos. Que, se ele não consegue sarar suas feridas, deixe que aquelas que ele abriu no seio de várias famílias, estabelecendo um muro entre a comunhão dos fiéis, sejam saradas!
Que essa palhaçada, esse teatro visto em reuniões da CGADB e da UMADENE, se acabe. Que de ambos os lados, tenham homens de verdade! Homens que assumam suas posições de uma vez por todas! Esse circo precisa acabar! Essa falsa religiosidade onde se abraçam nas reuniões, se hospedam no mesmo hotel, comem no mesmo refeitório, tiram fotos juntos num comportamento meramente político, mas se engalfinham nos bastidores!
O bote foi dado, ou melhor, está sendo dado! Esse foi o motivo pelo qual o Presidente da Adesal na semana passada pediu a igreja de Salvador que orasse e jejuasse, pois a Ceadeb tentou a todo custo reabrir o tal processo! Por razões que desconheço, tal façanha não foi possível!
Não, o Presidente da Ceadeb não quer paz com a Adesal, ele quer poder e poder implica em humilhar quem ele entende que lhe desafiou, mesmo que para isso tenha que causar mais dor à igreja que não tem nada haver com sua incursão pela posição e poder!

21 de dez de 2015

O Verdadeiro Cristianismo é Vida Em Favor do Outro


E quando o Filho do homem vier em sua glória, e todos os santos anjos com ele, então se assentará no trono da sua glória;
E todas as nações serão reunidas diante dele, e apartará uns dos outros, como o pastor aparta dos bodes as ovelhas;
E porá as ovelhas à sua direita, mas os bodes à esquerda.
Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo;
Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me;
Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e foste me ver.


Não sei o que estamos fazendo com este texto! Não sei porque o mantemos escondido debaixo de nosso equivocado entendimento da Bíblia, de Deus e da vida! Resolvemos fazer dele um clamor que não se ouve um texto que não se lê, uma sermão não pregado! Ele é muito propício para este Natal que tanto ovacionamos, este Natal de bolas coloridas, das cores verdes e vermelhas, das mesas fartas e das velas artesanais. Este Natal da canção em Harpa tocada em todas as esquinas embalando nossa ilusão de um clima de paz. Este Natal que fazemos, traz em nossa mente a mesa farta em família enquanto outras famílias na mesa falta. Falta o simples pão de cada dia, imagine o tal peru! Falta paz, falta amor, falta esperança, falta Jesus, o aniversariante!
Mas este texto nos confronta. Ao lê-lo, é como se o Filho do Homem já estivesse sobre as nuvens com seus anjos, assentado sobre seu trono, separando as ovelhas dos bodes e tendo diante de si as nações no maior espetáculo do confronto, no julgamento de nossa religiosidade, lançando luz sobre nossa hipocrisia, expondo-a no espaço sideral, em algum lugar da história da humanidade!
Aqui não há termos rebuscados, as expressões são simples, a conversa é direta, o confronto é imediato, a vergonha é exposta e todos ficam inescusáveis. O Filho de Deus não cobra nada além daquilo que tanto mandou que fizéssemos. Pois quem nunca soube que sua tônica era o amor, a máxima de seus ensinamentos, a impressão que Ele deixou nas vidas por onde passou?
Aqui,  Ele primeiro dá a sentença e depois explica o motivo de sua condenação expondo nosso cristianismo apostatado, nossa fé divorciada da prática. Ele deixa bem claro que seu Reino, sua recompensa, seus braços acolhedores em sua glória, são para aqueles que, entendendo sua mensagem, viveram como Ele: para os outros! Viveram, acolheram e ampararam os famintos, os sedentos, os desamparados, os nus, os encarcerados, os doentes!
Foram a igreja da rua, da comunidade, dos becos. Igrejas cujos púlpitos estavam nas esquinas, cuja mão ajudadora estava em cada casa, em cada hospital, em cada clínica. Seus pastores não eram dos templos apenas, eram do povo, eram seus profetas apontando ao povo o caminho e sendo para ele o sal e a luz deste mundo!
Eles entenderam que o verdadeiro cristianismo é vida em favor do outro! Feliz Natal!

9 de dez de 2015

Michel Temer Não É Herói, É Conivente

Foto: Uol

A Carta do Senhor Vice-Presidente da República do Brasil à Senhora Presidente da mesma, é no mínimo ridícula e infantil e penso que poderia até ser transformada em letra de música do estilo "sofrência"! Um político de sua envergadura jamais poderia se comportar com relação às circunstâncias políticas que vive o Planalto e o Brasil, como um adolescente dos anos 90 que termina o namoro com a namoradinha e lhe escreve em tom de "dor de cotovelo".
Homens que se dão o respeito, de "cabelo na venta" como bem diria minha vó, trata de assuntos importantes de olho no olho, "de frente" como diz a Jornalista Marília Gabriela. Homens de honra sabe o valor que tem e não se humilha como no trecho de sua carta que diz:
"A senhora, no segundo mandato, à última hora, não renovou o Ministério da Aviação Civil onde o Moreira Franco fez belíssimo trabalho elogiado durante a Copa do Mundo. Sabia que ele era uma indicação minha. Quis, portanto, desvalorizar-me. Cheguei a registrar este fato no dia seguinte, ao telefone."
Por que não tratou deste assunto que, para ele é de grande relevância a ponto de choramingá-lo em sua carta, como um presidenciável em reunião com sua titular?
Além de mostrar ser um fraco, incapaz de tratar de assuntos relevantes de sua pasta com sua titular, preferindo ligações telefônicas e cartinhas, o Senhor Vice-Presidente da República assume em sua carta que o Governo Dilma foi de desmandos e manobras e, como qualquer incauto sabe, de jogadas de interesse. Todavia, o Presidente do PMDB e Vice-Presidente da República aceitou tudo de forma submissa e, como mulher que já está cansada de ser traída, resolve lavar a roupa suja numa carta como quem foge às escuras da madrugada para não apanhar!
Seu comportamento não é honroso, é vergonhoso e, para este eleitor blogueiro, que teve a felicidade de não votar nem em Dilma nem no PT, sua carta é uma confissão e um ato de covardia. Confissão não precisa nem dizer porque, pois, os onze itens elencados em sua carta mostram sua conivência e sua preferência pela omissão diante do que ele mesmo considera ser “absoluta desconfiança” da Presidente para com ele e o PMDB. Covardia porque só agora, diante da possibilidade de impeachment ele se manifesta e da forma mais infantil que existe! Claro, diante da possibilidade de vir a ser o Presidente da República, ele não quererá ser visto pelo povo como cúmplice de um Governo que, com sua aquiescência, liderou o maior assalto aos cofres públicos da história desta nação!
Mais covarde ainda, porque além de não tratar de assuntos relevantes com sua titular cara a cara e até mesmo com a sociedade, o Vice-Presidente, cuja carta, de certa forma, se vazada, só lhe beneficia, pousa de “João sem braço” dizendo que ficou alarmado com o vazamento da carta! Me façam uma garapa! Agora ele é o cara. Para mim, está claro que esta é mais uma jogada política e desta vez do PMDB, para ficar no Governo. Em pronunciamento Dilma chegou a dizer que, quanto ao impeachment “não há nenhuma justificativa para que isso ocorra, exceto aqueles que acham que tem um atalho para chegar à Presidência da República que não é o voto popular”. É claro que ela está falando de uma jogada tanto do impeachment, quanto do joguinho da carta de “dor de cotovelo” de seu Vice-Presidente!
Michel Temer não é herói, é conivente, é menos confiável ainda que Dilma. Enquanto nada vem às claras, fica como está, mas se descobrirem e, se principalmente surgir uma chance de se sair bem, agarra esta chance, mesmo que tenha que se fantasiar de bobo da corte, para que todos riam com ele, ao invés de chorar!